Luxo no mar – Brasil representa 1,5% do crescente mercado de iates de luxo no mundo, onde anualmente são vendidos 1000 unidades

Iates de luxo são verdadeiras casas em alto mar. Alguns medindo mais de 80 pés (24 metros), são considerados megaiates e chegam a ter cinco suítes e são decorados com muito requinte para oferecer todo o conforto a seus ocupantes. Podem ser equipados com televisores de plasma e home theaters, de acordo com o desejo do comprador. Em todo o mundo, são fabricados cerca de 1.000 iates de luxo por ano, com preços que chegam a ultrapassar facilmente R$ 10 milhões e levam de oito a dez meses para ser construídos.
No restrito mercado de vendas de iates de luxo, o Brasil representa aproximadamente 1,5% do consumo mundial. A Itália é maior produtora de iates de luxo do mundo, com 260 unidades, em segundo lugar está os Estados Unidos, com 85. Holanda, Reino Unido e Alemanha ocupam terceiro, quarto e quinto lugares, respectivamente. Para se considerar um iate como sendo de luxo, normalmente, existe uma referencia de preço. Dificilmente um iate de luxo custa menos do que R$ 1 milhão.O iate italiano Azimut de 47 pés (cerca de 15 metros) custa R$ 3 milhões no Brasil e o iate da Sea Ray de 35 péss (11 metros) chega no País por R$ 1,1 milhão.
Divulgação
Spirit Ferretti 88, de 88 pés (26 metros de comprimento) com 4 cabines, 5 banheiros e custa R$ 22 milhões
As principais fabricantes de iates no mundo são as italianas Azimut-Benetti e Ferretti Group. As duas têm parcerias com empresas brasileiras na fabricação de seus barcos. Desde 1996, a empresa náutica brasileira Intermarine mantém um acordo de fabricação sob a licença da Azimut, sendo a única no País a desenvolver os barcos da marca fora da Itália. A empresa de construção de barcos de luxo Ferretti possui uma parceria com a brasileira Spirit, que passou a se chamar Spirit Ferretti em 1992. Assim como a empresa Intermarine é a licenciada exclusiva da Azimut, a Spirit é a única empresa que pode montar as embarcações Ferretti fora da Itália.
Divulgação
Pilar Rossi, iate de Nelson Piquet, com 100 pés e valor aproximado de R$ 12 milhões
Marco Antonio do Carmo, diretor-executivo da YatchBrasil, empresa que representa no paí­s a americana Sea Ray (EUA) e as italianas Azimut, Benetti e Atlantis informa que, a empresa comercializa 60 iates novos por ano, entre 30 e 60 pés. A demanda Brasileira é estimada em 150 unidades novas por ano. Somente a marca Intermarine é responsável por atender 70% do mercado brasileiro de iates de luxo. A Schaefer produz no Brasil iates de  50 pés que são vendidos por R$ 2,8 milhões. Apesar da crise financeira, a empresa investiu em 2009 cerca de R$ 6 milhões na construção de um centro de usinagem para fabricar novos produtos. O investimento total, a ser concluído em 2010, deve chegar a R$ 15 milhões. Investimentos que demonstram a importância do mercado brasileiro de iates de luxo.

Os principais compradores dos iates de luxo no País são pessoas que têm aumentado seu poder aquisitivo através de investimentos na bolsa de valores. Mas há também celebridades comoLuma de Oliveira, proprietária de um iate de 52 pés (16 metros), Nelson Piquet, que possui um iate de 98 pés (30 metros), Ana Maria Braga, com seu barco de 82 pés (25 metros), e o empresário Eike Batista, que possui uma embarcação de 177 pés (54 metros), onde promove eventos badalados, com direito à vista da cidade do Rio de Janeiro a partir da baía de Guanabara e festa privada com a cantora Madonna. Apesar de o Brasil representar apenas 1,5% no mercado mundial de vendas de iates de luxo, o segmento vem crescendo no País.

Fonte: Portal do luxo

Cozinhas com ilha: uma nova tendência

Quente, acolhedora e receptiva, para muitos, a cozinha pode ser considerada o coração da casa. Para os adeptos a culinária, se torna um refugio, o centro das criações, e nada melhor que um ambiente bem planejado para este cenário.

O conceito de cozinhas com ilha vem sendo cada vez mais aplicados em casas brasileiras, uma tendência com muito charme e elegância. Receber seus amigos e cozinhar ao mesmo tempo fica ainda mais prazeroso.

Inspire-se para seu novo projeto!

Fonte: www.artezanalnet.com.br

Dicas para o Corretor de Imóveis usar o Linkedin e vender mais

Linkedi, uma das redes sócias que mais tem crescido no Brasil, principalmente entre pessoas que buscam relacionamento profissional, é deixada de lado por muitos corretores. Desenvolver um planejamento de vendas e não ser invasivo são características que um corretor necessita para ter sucesso no linkedin. Com o grande crescimento da rede selecionamos algumas dicas para ajuda-lo a se posicionar

1. Participe de grupos – O mundo cria novos relacionamentos comerciais que podem gerar excelentes resultados, mas é preciso estar sempre presente, participando, interagindo, fornecendo informações e tirando dúvidas sobre os assuntos que estão em evidência. Aceitar convites para participar de grupos de interesse, é uma oportunidades mais valiosas que ligações frias para prospects desconhecidos. Otimize o seu tempo e use a essa ferramenta para aumentar as suas vendas;

Sugestão de grupos para corretores de imóveis
Notícias do Mercado Imobiliário
Inteligência Imobiliária
Investimentos Imobiliários

2.Recomende as outras pessoas – Avalie o trabalho das outras pessoas e recomende-os para todos do seu grupo, essa atitude vai gerar interatividade entre você e os seus contatos, e não esqueça: relacionamento online se constrói quando você ajuda primeiro as outras pessoas.

3. Atualize o seu perfil regularmente – O dinamismo nas informações mostra aos seus futuros clientes que você é um vendedor dedicado e que está crescendo na sua carreira, sempre que houver alguma alteração interessante, poste no seu perfil, as pessoas da sua rede recebem atualizações freqüentes;

4. Proporcione valor antes de vender – Semanalmente, envie dicas, artigos, mensagens e informações relevantes para o seu público-alvo, o segredo não é vender, primeiro ajude as pessoas a resolverem os seus problemas, seja um gerador de informação constante para a sua rede de contatos, você precisa ser visto como um especialista, isso passa autoridade e conhecimento;

5. Adicione diariamente novos prospects – Convide mais pessoas diariamente para fazer parte do seu grupo, a prospecção precisa ser constante para que o seu banco de dados não pare de crescer, mantenha o foco nessa atividade, determine na sua agenda um tempo do dia para fazer essa ação e mantenha a concentração nesse propósito;

6. E-mail de agradecimento – Quando uma pessoa formalizar um convite para você fazer parte da sua rede de relacionamento, aceite e mande um e-mail agradecendo a lembrança e o tempo que ela disponibilizou por ter lembrado de você, essa atitude serve também para quem aceitar os seus convites, o segredo é valorizar as pessoas, isso faz toda a diferença;

Fonte: www.publicidadeimobiliária.com

Casa de um ambiente só

Lar sem divisórias facilita vida de pais e filhos

  (Foto: Ken’ichi Suzuki)

Se um bom projeto leva em conta os desejos dos proprietários, e atende-os com estilo e sensibilidade às particularidades do entorno, esta casa em Nagoya, no Japão, preenche todos os pré-requisitos. Desenhado pelo escritório Tetsuo Kondo Architects, o projeto teve como norte a vontade de um casal trabalhador de passar as horas de lazer próximo aos dois filhos pequenos. A orientação de haver o maior espaço possível para convivência foi seguida à risca pelos arquitetos, que criaram um lar de um ambiente só.

Os espaços individuais configuram-se como caixas e plataformas desniveladas. Algumas são completamente abertas ao resto da casa, enquanto outras se integram a ela através de janelas. Tal escolha é responsável por uma rica diversidade visual interna, pois atribui variedade à composição de cada cômodo e um diálogo interessante entre os formatos e desníveis. Isso se reflete no exterior do projeto, que tem aparência de um grupo de cubos desalinhados empilhados.

Segundo os arquitetos, a região na qual a casa se encontra, que está em rápido desenvolvimento urbano, influenciou a estrutura escolhida. “Tratando-se de uma casa para uma jovem família em uma área em constante mudança, há sentido em criar uma arquitetura aberta e equilibrada, capaz de absorver mudanças”.

O principal desafio foi estabelecer certa ordem entre os diferentes ambientes, sem tolher uma relação fluida e intuitiva entre eles. Apesar da inconstância da área interna, há uniformidade na decoração, que prima pela simplicidade. As paredes são brancas e os móveis singelos e de madeira, material que também reveste o piso. Mesmo despretensiosa, a composição ganha vida com a luz abundante que penetra os vidros generosos e a colocação estratégica de vasos de plantas. O resultado é charmoso de maneira clean e funcional, no bom estilo japonês.

  (Foto: Ken’ichi Suzuki)
  (Foto: Ken’ichi Suzuki)
  (Foto: Ken’ichi Suzuki)
  (Foto: Iwan Baan)
  (Foto: Iwan Baan)
  (Foto: Iwan Baan)
  (Foto: Iwan Baan)
  (Foto: Iwan Baan)
  (Foto: Ken'ichi Suzuki)
  (Foto: Iwan Baan)
  (Foto: Iwan Baan)
  (Foto: Iwan Baan)

Fonte: Casa Vogue