Decks em ambientes externos proporcionam praticidade e resistência

Proposta de ambiente externo preza pela resistência dos materiais, decks de PVC são opção para tornar o ambiente descontraído, seguro e 100% sustentável
Espaço foi projetado para ser um lugar descontraído e de convivência para os momentos de descanso, lazer e contemplação da natureza (Divulgação/Rosângela e Julia Ciafrino Sabbag)
Espaço foi projetado para ser um lugar descontraído e de convivência para os momentos de descanso, lazer e contemplação da natureza

Para compor espaços externos com praticidade é necessário avaliar os materiais utilizados, bem como sua durabilidade e resistência às distintas condições climáticas que estão expostos. Pensando na sustentabilidade, arquitetas incorporam decks recicláveis em seus projetos, a fim de tornar o ambiente funcional e descontraído.

Em um ambiente externo criado pelas arquitetas Rosângela e Julia Ciafrino Sabbag, a proposta é compor um Espaço Beach & Country, capaz de proporcionar momentos de lazer e descanso, sem abrir mão da praticidade. O deck sustentável escolhido pelas arquitetas é produzido 100% em PVC, não incha, deforma ou apodrece, como no caso de alguns produtos em madeira. É ideal para espaços de alta umidade, sendo antiderrapante e inapto de propagar fogo.

 (Divulgação/Rosângela e Julia Ciafrino Sabbag)
(Divulgação/Rosângela e Julia Ciafrino Sabbag)

Montado em uma mostra de decoração em Curitiba, o espaço foi projetado nas cores amarelo, branco, laranja e tons terrosos. O destaque do ambiente vai além do desing, uma vez que sua funcionalidade garante segurança e sustentabilidade. Pensado com materiais capazes de proporcionar alta resistência e durabilidade, o projeto agrega elevado valor estético à praticidade que demanda um ambiente externo.

“O conceito do projeto tem como base requinte, sofisticação e funcionalidade. O espaço foi pensado para ser um lugar descontraído e de convivência para os momentos de descanso, lazer e contemplação da natureza”, afirma a arquiteta Rosangela Sabbag.

 (Divulgação/Rosângela e Julia Ciafrino Sabbag)
(Divulgação/Rosângela e Julia Ciafrino Sabbag)

Marcas de luxo aderem ao e-commerce

Louis Vuitton Loja Virtual

O e-commerce no segmento do luxo ganha cada vez mais relevância. Hoje, são evidentes e inúmeras as oportunidades para esse mercado na internet. Apesar de ter uma demanda bem maior nos Estados Unidos e Europa, o Brasil vem aumentando sua presença online com diversas marcas nacionais aderindo a esse formato.

Nos Estados Unidos e Europa, grifes como Ralph Lauren, Tiffany&Co., Louis Vuitton, Gucci, Prada, Armani e outras, há alguns anos, aderiram ao comércio eletrônico e vêm obtendo êxito. A Ralph Lauren, além do mercado americano, já possui loja online em nove países da Europa, Japão e, em breve, atenderá também a Coréia.

No Brasil, o e-commerce se amplia em segmentos como moda e acessórios, decoração e homeware. A Trousseau, especializada em homeware, por exemplo, tem mix de produtos oferecidos na internet que apresenta o mesmo requinte de suas lojas físicas. Pode-se comprar desde um sabonete à sua luxuosa linha de lençóis em algodão egípcio. A renomada boutiqueMares Guia, loja multimarcas que reúne moda feminina de grifes de luxo, também possui ambiente de compras online, onde pode-se encontrar peças como saias, casacos ou, até mesmo, vestidos para festas.

Boutique Daslu, um ícone no segmento do luxo no Brasil, desde os tempos áureos sob o comando de Eliana Tranchesi já apostava no comércio digital. Sua loja online disponibiliza itens da Daslu Casa, linha de homeware da grife, além de peças de roupa feminina, masculina, teen e bebê. De olho no público masculino, a grife Sergio K. também tem na internet peças-chave de suas coleções, como as cobiçadas pólos, camisas e sapatos da grife.

No site da dinamarquesa Bang&Olufsen, referência na produção de televisores, sistemas de som, caixas acústicas e produtos multimídia pode-se encontrar produtos como aparelhos de som, caixas acústicas e acessórios da marca. Admiradoras dos icônicos sapatos da grife Schutz também podem vivenciar experiências adquirindo seus produtos online. Sapatos, sandálias e bolsas estão entre os itens comercializados ali. Já o segmento de joias não ficou de fora. Grifes exclusivas comoSilvia FurmanovichJack Vartanian e Carla Amorim também proporcionam a seus clientes online algumas peças de suas coleções.

O segmento de beleza e cosméticos é fortemente presente na internet. A Sephora, maior rede de produtos de beleza do mundo e que desde 2010 adquiriu o portal brasileiro Sacks, aposta na venda de produtos de beleza das melhores e mais desejadas marcas do mundo, como Chanel, Dior, Salvatore Ferragamo e outras, além de uma marca própria, a Sephora Collection. Também forte no segmento, o website ShopLuxo, que pertence à rede de lojas Suil, composta por Calèche, Vent Vert e Suil Parfumerie, aposta na venda de cosméticos de grifes desejadas.

Com uma proposta mais exclusiva, o site Umimo tem foco no mercado do luxo e premium, e une elegância e beleza com produtos de marcas prestigiosas. A prestigiosa grife Chanel já está no e-commerce brasileiro, disponibilizando a seus clientes itens de sua linha de beleza, como maquiagens, perfumes masculinos e femininos, esmaltes e outros.

O e-commerce de luxo no Brasil recebeu, em agosto deste ano, uma grife tentadora: a francesaLouis Vuitton, uma das mais desejadas e copiadas do mundo. Disponível para todo o país, a loja online da grife oferece produtos das linhas feminina e masculina de desejados acessórios, como suas icônicas bolsas, malas de viagem, óculos, cintos, lenços, relógios e sapatos. A LV online é uma forma de atender a seus consumidores residentes de cidades que ainda não possuem loja física da marca, além de poderem comprar produtos, por exemplo, para presentear alguém, o que online certamente lhes proporcionará uma economia de tempo. Afinal, ter tempo tornou-se um dos principais objetos de luxo do mundo contemporâneo.

Muitas marcas de luxo temiam que a venda pela internet afetasse sua aura de exclusividade, além de certo receio em provocar uma possível banalização das mesmas. No entanto, existe uma demanda do próprio consumidor pelos endereços eletrônicos das marcas de luxo. Para as marcas o maior desafio é, no mundo digital, oferecer a seu consumidor todo o luxo e experiência de compra já oferecidas em suas lojas físicas. É imprescindível investir em tecnologia, logística e uma comunicação eficaz entre a loja online e seu cliente. Um layout simples e elegante aliado a um atendimento de qualidade e agilidade de entrega certamente colaborarão para o sucesso da marca na internet. Os produtos de luxo já trazem em si o alto valor agregado, porém a percepção deste também é fortalecida no momento de experiência da compra. Vale lembrar que muitos consumidores utilizam a loja digital para se atualizar das novidades e conhecer peças de coleções novas, podendo decidir efetuar a compra pela internet ou até mesmo ir a uma loja da grife.

Fonte: Por Ricardo Ojeda Marins | Artigo publicado no Blog do Milton Jung (Rádio CBN)

Momento é favorável para a compra da casa própria, afirmam especialistas

Taxas e preços menores são alguns dos atrativos para quem está procurando por um imóvel

É um bom momento para comprar a casa própria aproveitando os financiamentos com juros mais baixos. Além disso, segundo especialistas, os preços dos imóveis estão estáveis e, em alguns, bairros até menores. Para completar, construtoras e imobiliárias oferecem vantagens para fechamento de bom negócio.

Assim como a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil baixaram os juros do financiamento habitacional, o setor privado também mexeu nas taxas e reduziu os valores cobrados. No Santander, por exemplo, ela pode chegar a 8,8% ao ano mais TR (Taxa Referencial). O prazo de pagamento foi alterado, de 30 para 35 anos.

“A queda da taxa de juros é importante para o mercado imobiliário, pois oferece melhores condições para a compra da casa própria. Com o financiamento mais acessível e o crescimento da economia, a demanda do mercado imobiliário continuará aquecida. É uma redução significativa e que aponta tendência, já seguida por outros bancos”, diz Rubem Vasconcelos, presidente da Patrimóvel e vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ).

Segundo o diretor de Negócios Imobiliários do Santander, José Roberto Machado, quanto mais relacionamento com a instituição, melhores condições o correntista terá de conseguir taxa menor. O cliente conta com toda a assessoria especializada durante o financiamento.

“As condições são favoráveis. O déficit habitacional é grande. O alongamento de prazos, queda da taxa de juros e aumento da renda da população vão manter a procura”, acredita Machado.

Medidas são consideradas positivas por construtoras

Os construtores apoiam as medidas adotadas para reduzir ainda mais as taxas de juros dos financiamentos da compra da casa própria. “A iniciativa é positiva. Apesar de o nosso sistema financeiro ser bastante rígido quanto à liberação deste tipo de crédito, o aumento da escala de empréstimos é que será no futuro o grande resultado dos bancos”, diz Carlos Eduardo Penna, diretor da Efer.

Para o diretor do Grupo CPS Bruno Vaz, a competitividade entre os bancos é sempre vantajosa para todos os envolvidos no negócio. Hoje as empresas conseguem atingir um nicho de mercado maior em função das facilidades na concessão de credito.

“Havia clientes que com o prazo de 30 anos não conseguiam financiar um imóvel e, hoje, com a ampliação para 35 anos, este mesmo cliente já se adequa ao perfil deste imóvel”, lembra Vaz.

Bom relacionamento com o banco também define taxas

Os bancos passaram a levar em consideração ainda mais o relacionamento que o cliente mantém com a instituição financeira. A estratégia está presente no Itaú, Santander, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. Os clientes que optam por ter conta salário com o banco, por exemplo, também são beneficiados com melhores condições.

A parceria da Brasil Brokers com o HSBC garante ainda mais vantagens para quem vai comprar um imóvel ofertado pelas 26 imobiliárias do grupo espalhadas pelo País. Segundo o diretor da empresa Josué Madeira, os juros são ainda mais competitivos e os prazos para assinatura do contrato menores.

“Os nossos clientes contam com uma estrutura exclusiva para a concessão do financiamento imobiliário. O contrato poderá ser assinado no local que o cliente preferir evitando a ida em uma das agências do banco”, explica Josué Madeira.

Confira as condições de financiamento

A Caixa Econômica Federal oferece juros de 7,8% a 8,85% ao ano mais TR (Taxa Referencial). O percentual varia de acordo com o relacionamento que o correntista possui com a instituição. As taxas valem para imóveis de até R$ 500 mil. O prazo de pagamento chega a 35 anos.

o Banco do Brasil, os percentuais variam de 7,9% a 8,9% ao ano mais TR, além do relacionamento que o correntista tem com o banco. O prazo de pagamento máximo é de 30 anos, conforme o percentual de financiamento, que pode chegar a 80% do valor do imóvel.

O Bradesco trabalha com juros entre 8,9% e 10,5% ao ano mais TR, conforme o valor do imóvel no SFH, ou seja, avaliados em até R$500 mil.

Por Cristiane Campos

Fonte: O Dia

IAB divulga programação da X Bienal de Arquitetura de São Paulo

Evento será realizado de 12 de outubro a 1º de dezembro. Veja os locais de exposição e a programação completa
Foto: Marcelo Scandaroli

O Departamento de São Paulo do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-SP) divulgou a programação completa da X Bienal de Arquitetura de São Paulo, que será realizada em diversos locais da capital. O evento acontece entre os dias 12 de outubro e 1º de dezembro e terá como tema “Cidade: modos de fazer, modos de usar, modos de agir”.

Segundo a entidade, nesta 10ª edição, a bienal tem como objetivo a discussão urbana com ênfase em três pilares: mobilidade e densidade, espaço público e infraestrutura.

A escolha dos locais que compõem a rede de exposição ainda seguiu dois critérios básicos: a qualidade dos espaços, na relação entre arquitetura e uso, e a sua acessibilidade por meio da articulação ao sistema de transporte de massas da cidade. A rede principal de espaços expositivos é composta pelos seguintes pontos: Centro Cultural São Paulo, SESC Pompeia, Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP), Museu da Casa Brasileira, Centro Universitário Maria Antônia (CEUMA), Praça Victor Civita, Associação Parque Minhocão e Estação Metrô Paraíso (Projeto Encontros).

A rede expandida ainda inclui Casa de Francisca, Casa do Povo, Cemitério do Araçá, Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes, Teatro Oficina, Galeria Choque Cultural, Instituto P.M. e Lina Bardi e Teatro Oficina.

Para analisar a programação completa do evento, clique aqui.

Fonte: Por Rodrigo Louzas – Portal PINIweb

Dicas para locação temporária

O litoral é o destino mais procurado para famílias passarem as férias, portanto todo cuidado é pouco na hora de buscar uma casa para alugar, seja na praia ou no campo. Devemos tomar algumas medidas de prevenção, pois existem aqueles que anunciam imóveis para alugar que não os possuem, enganam as pessoas e somem com o dinheiro da locação, caso isso aconteça o trauma será enorme.

A dica é, vá até o imóvel que deseja alugar com certa antecedência para que depois você possa fechar o negocio pessoalmente. Pesquisar os preços de imóveis disponíveis com no mínimo dois meses antes de decidir em qual casa ficar também é uma dica inteligente. Assim que visitar o imóvel repare em qual estado esta o imóvel e sua localização, quanto mais distante do mar mais barato fica, observe as condições de equipamentos domésticos, caso você não consiga fazer nada disso, peça fotos da casa, as imobiliárias que fazem este tipo de negociação possuem fotos e documentos para apresentar para os inquilinos temporários portanto os exija. Não faça contatos apenas por celular, cuidado!

Leia atentamente seu contrato de locação temporária, nele deve constar a data de entrada, saída e também o turno, se será pela manhã, tarde ou noite, terá especificado o valor da diária o valor total e também custos como multas e afins, caso haja depredação do imóvel, fique ligado. Todo imóvel possui limite máximo de pessoas e o proprietário pode exigir que este número seja respeitado. Deve haver também um inventário de mobiliário ou seja todos os utensílios e móveis que estão na casa a disposição do inquilino temporário e o mesmo deve assinar o documento e ficar com uma cópia, para que não haja nenhuma contestação ao sair do imóvel.

Para pagar a locação temporária é muito simples, o locatário paga 50% do valor total no momento da contratação e o restante no dia em que for ocupar a casa, no momento em que pegar as chaves. Habitualmente nos contratos, há cláusulas que prevêem multas, caso haja desistência do locatário ou do proprietário em alugar seu imóvel, isso acontecendo o seu dinheiro de sinal será devolvido prontamente. Indico que o pagamento seja efetuado na rede bancaria para que os recibos de pagamento sejam apresentados como garantia. Depois e tudo organizado e seguro é só aproveitar.

Fonte: Blog Corretor Conectado

Arquitetura Brasileira marca presença em exposição no museu de Frankfurt

Trabalhos de jovens profissionais brasileiros estão em exposição no Museu de Arquitetura de Frankfurt até 2014
Fachada do Museu de Arquitetura de Frankfurt que vai abrigar até janeiro de 2014 a exposição
Fachada do Museu de Arquitetura de Frankfurt que vai abrigar até janeiro de 2014 a exposição “Nove Novos” com projetos de profissionais brasileiros

O Museu de Arquitetura de Frankfurt (Deutsche Architekturmuseum – DAM) abriu as portas desde o último 19 de setembro, para a exposição “Nove Novos” (Neun Neue). Projeto conjunto com o Instituto Tomie Ohtake e a revista Monolito, apresenta os trabalhos de jovens e promissores nomes da arquitetura brasileira: Arquitetos Associados, BCMF Arquitetos, Carla Juaçaba, Corsi Hirano Arquitetos, Jacobsen Arquitetura, Metro, Nitsche Arquitetos Associados, Rizoma Arquitetura e Studio Paralelo.

O evento tem a organização do Instituto Tomie Ohtake, em parceria com o editor da revista Monolito, Fernando Serapião. A curadoria é de Peter Cachola Schmal, Anna Scheuermann e Ricardo Ohtake. Ao todo, arquitetos da nova geração de nove escritórios de São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Porto Alegre – daí o nome da exposição “Nove Novos” – são unânimes em afirmar que esta é uma oportunidade única para levarem parte da arquitetura brasileira para fora do País.

Pedro Nitsche, um dos convidados, diz que participar da exposição é algo inestimável, pois haverá troca de experiências e enriquecimento do diálogo em torno da Arte e Arquitetura, para que as ideias e os pensamentos floresçam. O presidente do escritório paulista Nitsche Arquitetos Associados levará para a Alemanha dois projetos: a Residência, em Iporanga, e o Edifício Comercial João Moura. Ele ressalta que experiências como essa são extremamente positivas e, portanto, um grande estímulo para a arquitetura brasileira.

Edifício Comercial João Moura na Zona Oeste de São Paulo possui varandas de diferentes dimensões e um painel com aberturas e anteparos coloridos (Nitsche Arquitetos Associados/Divulgação)
Edifício Comercial João Moura na Zona Oeste de São Paulo possui varandas de diferentes dimensões e um painel com aberturas e anteparos coloridos

O escritório paulista Corsi Hirano expõe os projetos do TRT Law Courts Complex e a AV Houses. Em seus projetos, Daniel Corsi aposta na responsabilidade social e no desenvolvimento sustentável. “O reconhecimento e a oportunidade de representar a arquitetura brasileira são fatos muito importantes”, afirma.

Os projetos Casa ML (Porto Feliz), Museu de Arte do Rio (MAR) e Casa JN habilitaram a participação do escritório carioca Jacobsen Arquitetura a participar da mostra.

Os jovens profissionais do escritório mineiro Arquitetos Associados são responsáveis pelos projetos do Centro Educativo Burle Marx, Estúdios Terra e Pavilhão Miguel Rio Branco.

Outro representante das Minas Gerais é o escritório BCMF Arquitetos, responsável pelo projeto de remodelação do Mineirão, pelo Centro Nacional de Tiro Esportivo – PAN 2007 e pelo Projeto Bar Casa Cor.

Museu de Arte do Rio (MAR) possui um complexo cultural que inclui dois prédios com 15 mil metros quadrados, sendo 2,4 mil de área expositiva (Jacobsen Arquitetura/Arquitetura)
Museu de Arte do Rio (MAR) possui um complexo cultural que inclui dois prédios com 15 mil metros quadrados, sendo 2,4 mil de área expositiva

O mineiro Rizoma Arquitetura é responsável pelos projetos Galeria Lygia Pape, Loja Botânica e restaurante Oiticica, o objetivo do escritório na exposição é mostrar que o Brasil está produzindo uma arquitetura jovem e com características próprias.

Luciano Andrades, arquiteto do Studio Paralelo, de Porto Alegre, é idealizador do prédio CREA, da residência Xangrilá no litoral gaúcho e do Minimod, um protótipo de módulo mínimo habitável de 24m², Andrades e seus sócios Rochelle Castro e Silvio Machado estão ansiosos.

A participação brasileira em Frankfurt tem a organização dos ministérios da Cultura e das Relações Exteriores, Fundação Biblioteca Nacional (FBN), Fundação Nacional de Artes (Funarte) e Câmara Brasileira do Livro (CBL). A exposição fica no Museu de Arquitetura de Frankfurt (DAM) até 12 de janeiro de 2014.

A esplanada do novo Mineirão possui 80 mil m2 e se transformou no novo cartão-postal da capital mineira (Sylvio Coutinho/Divulgação)
A esplanada do novo Mineirão possui 80 mil m2 e se transformou no novo cartão-postal da capital mineira

Fonte: Correio Web – Blog Lugar Certo

Ranking dos preços por metro quadrado nas cidades brasileiras

O portal imobiliário Agente Imóvel que monitora o preço médio do metro quadrado de imóveis à venda em 12 cidades brasileiras, divulgou a lista dos preços por metro quadrado das principais cidades.

Segundo levantamento, Brasília foi a cidade com o maior preço por metro quadrado, com R$ 9.098/m², seguida por Rio de Janeiro com R$ 8.158/m². Já as cidades com o metro quadrado mais barato foram Florianópolis com R$ 4.022/m² e Salvador com R$ 4.277/m².

Segundo portal imobiliário, Brasília tem o metro quadrado mais entre as 12 cidades pesquisadas. Foto: Traveler

Dentre as 12 cidades monitoradas pelo índice, Fortaleza e Porto Alegre registraram as maiores valorizações nos preços em agosto, de 2,32% e 2,24%, respectivamente. Recife bateu recorde de desvalorização no mês, de -2,49%, seguida por Vitória com -1,41%. São Paulo apresentou queda de -0,04% e o Rio de Janeiro aumento de 0,26%.

Na média nacional, o preço do metro quadrado da casa própria registrou R$ 5.450/m² em agosto, valorização de 0,19% informa o Agente Imóvel.

Veja abaixo o preço médio do metro quadrado em agosto nas 12 cidades acompanhadas pelo Agente Imóvel:

Lista de classificação dos preços médio por metro quadrado nas 12 principais cidades brasileiras no mês de agosto. Fonte: Agente Imóvel.

O levantamento elaborado pelo portal imobiliário Agente Imóvel acompanha os preços do metro quadrado dos imóveis usados à venda, que totalizam mais de 180.000 unidades todos os meses.

Para o CEO do portal Agente Imóvel, Johan Jonsson, o preço anunciado é a mais eficaz medida comparativa do mercado imobiliário brasileiro. “Os preços anunciados refletem o valor do imóvel em tempo real. Na verdade, esse indicador já é usado há muito tempo nos EUA e Reino Unido, e agora estamos trazendo para o Brasil. Hoje somos os únicos por aqui a utilizar essa referência”; comenta.

O diretor de Ti do portal, Anders Flodmark ainda conclui “O nosso processo de análise de dados é muito cuidadoso e criterioso. No momento do processamento das estatísticas aplicamos um processo de filtragem de pontos de dados extremos. Imóveis com preço ou preço por metro quadrado extremo são excluídos do cálculo. Antes do processamento também há um controle de qualidade manual da amostra para verificar alguns parâmetros e números principais dos dados. Tudo isso gera confiabilidade aos nossos dados”, afirma.

Veja os preços por metro quadrado no site do Agente Imóvel.

Fonte: Agente Imóvel

Aprenda a fotografar seu imóvel para anúncios de locação e venda

A compra de um imóvel começa pelos olhos. Belas imagens feitas de um apartamento motivam a ligação do cliente e a visita ao local, depois desse passo, o resto é negociação.

Apesar de o conselho parecer óbvio, basta fazer uma busca de unidades para locação ou para venda e encontrar pérolas da fotografia: imagens que mostram desde roupa suja espalhada pela casa a detalhes do vaso sanitário.

A Folha pediu a imobiliárias que listassem os maiores problemas das imagens que recebem de seus anunciantes e dessem dicas de como preparar as fotos para uma propaganda.

Bagunça, falta de luz e ângulos que não mostram o cômodo são os erros mais comuns.

Se o imóvel não estiver vazio, a primeira coisa a fazer é tirar objetos pessoais das vistas da câmera e dar uma geral na organização. Com poucos objetos, o destaque fica para o espaço.

Abrir todas as janelas é o segundo passo. “As pessoas gostam de viver em lugares iluminados, uma foto com a janela fechada e pouca luz torna o lugar pouco atraente”, afirma Fernando Sita, diretor-geral de vendas da Coelho da Fonseca.

A foto a ser feita de cada cômodo é aquela que melhor mostra o espaço dele como um todo. Tentar focalizar um detalhe pode criar a sensação de que o ambiente é menor do que é.

Espaço é um ponto fundamental. Fotos tiradas a partir de cima melhoram a visão da área. Nessa missão, pode ser necessário reduzir obstáculos e tirar alguns móveis da sala, por exemplo.

QUESTÃO DE GOSTO

Apostar na decoração para as fotos pode ser um ponto a favor ou contra, dependendo do gosto do cliente. Lembre-se que, a não ser que o imóvel seja entregue mobiliado, as peças que ali estão pouco importam.

O número de fotos a serem feitas vai depender dos pontos fortes da unidade, mas é interessante que não ultrapassem dez imagens.

“Tem que fazer foto da sala, da cozinha, do quarto principal. Depois disso, vai depender do que há de interessante no imóvel”, indica Marco Villela, fotógrafo especializado no mercado imobiliário há 11 anos.

Se o apartamento tiver uma vista privilegiada, esta será uma cena a destacar.

No caso de apartamentos, também é conveniente produzir fotos nas áreas de lazer: piscina, salão de festa e churrasqueira, por exemplo.

Na hora de montar a galeria, a dica de Elaine Fouto, gerente de marketing da Lello Imóveis é colocar as imagens na sequência de visita. Isto é, primeiro o hall, depois a sala de jantar e assim vai.

Fonte: Folha de São Paulo

Dez soluções de baixo custo da Morar Mais

Mostra de decoração econômica traz ideias criativas para driblar o orçamento curto

Caixas de ovos viram sofá, revistas velhas decoram a parede e rodas de carro compõem uma escrivaninha. Estas são algumas das sacadas da Morar Mais – o chique que cabe no bolso, que começa no dia 27 de setembro, no Rio de Janeiro. A décima edição da mostra tem 82 ambientes repletos de soluções criativas e econômicas, seja com o reaproveitamento de materiais ou com escolha de produtos acessíveis. Selecionamos dez ideias fáceis para aplicar na sua casa. Os preços variam de 4 a 528 reais e há ainda projetos de custo zero. Confira:

Caixas de ovos
Sem grana para comprar sofá e mesa? Faça você mesmo seus móveis. As arquitetas Marcella Bacellar e Renata Lemos criaram os seus com 1.400 caixas de ovos empilhadas, no ambiente Sala Bar. Sobre elas, apenas vidro e almofadas. Ficou colorido e muito econômico. O revestimento da parede também custou pouco. Parece cimento, mas são placas de plástico com alto relevo facetado, a 15 reais o m². Foram as próprias profissionais que aplicaram, com cola de sapateiro.

(Foto: Divulgação)

Funil de plástico
Quem vê pode pensar que as luminárias de cobre custaram uma fortuna. Mas, na verdade, são simples funis de plástico. Pintados com spray, eles viraram lindas cúpulas para o Estúdio da Chef de cozinha. O fio elétrico coberto com fita isolante amarela deixou a peça colorida e descolada. Ideia das decoradoras e blogueiras Vivianne Pontes e Viviane Visentin.

(Foto: Divulgação)

Tijolo de concreto
Junto com uma criança, vêm sempre muitos gastos. Por isso, vale economizar na decoração do ambiente dos pequenos – mas sem perder a funcionalidade e a alegria, claro. O Quarto da Bebê das designers de interiores Márcia Martinez e Ândrea Fricks tem uma solução fácil de reproduzir. O sofá-cama foi feito com 22 blocos de concreto empilhados, ao custo de 4,20 reais cada. Sobre eles, colchão e almofadas coloridas. Os nichos ainda ser usados para guardar sapatinhos.

(Foto: Divulgação)

Revistas velhas
Você coleciona publicações antigas e não tem coragem de se livrar delas? Uma boa ideia é transformar os papéis em decoração. A Sala de Leitura e Entretenimento, da designer de interiores Laura Faria, tem uma parede coberta por 4 mil páginas de revistas. Elas foram enroladas em canudinhos pelo artesão João Pereira Junior, ao custo de 80 reais o m², em um total de 528 reais. O efeito é incrível e o preço não é dos maiores, sem falar na vantagem ecológica do reaproveitamento do material.

 (Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Sobras de papel de parede
A madeira de demolição do piso de um apartamento em reforma virou estante no Estar do Café, dos arquitetos Bianca Gatto e Marcelo Possidônio. Para decorar os nichos, retalhos de diferentes papeis de parede, doados por lojas do ramo. O resultado é que o móvel teve custo zero de material e ficou bonito e descontraído.

 (Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Bastidor de bordado
Mais uma ideia fácil do Estar do Café: bastidores envoltos por linhas de tricô compõem a decoração do teto. As luminárias, simples, ganharam muito mais graça com os aros. A ideia também é boa para disfarçar um teto manchado ou irregular.

 (Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Tela de galinheiro
Dos materiais mais simples podem se tirar grandes efeitos de decoração. É o que provou a designer Raquel Salgado na Sala da Designer, com uma tela de galinheiro pintada de branco sobre uma parede laranja. A superfície ganhou textura, a custo bem baixo, de 120 reais.

 (Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Pallets
Se depois de toda a decoração faltar dinheiro para a cama, não se preocupe. Com oito pallets de madeira adaptados por um marceneiro e pintados de branco, a designer de interiores Regina Prior e a arquiteta Bianca Prior criaram uma base para o colchão, no Quarto da Moça. O vão das estruturas pode ser usado para guardar livros, revistas e DVDs. O custo total foi de 450 reais, com material e mão de obra.

 (Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Rodas de carro
Elas já estavam a caminho do lixo de uma oficina. Mas a arquiteta Carolina Barbieri e a designer de interiores Marcelle Vieira resgataram oito rodas de carros, que viraram a base para a escrivaninha do Estúdio do Casal Moderno. Elas foram pintadas com tinta spray preta, ao custo de 60 reais. O tampo de vidro saiu por mais 180 reais.

 (Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Caixote de feira
A pouca metragem embaixo da escada não foi empecilho para a arquiteta Kátia Jendiroba criar uma pequena biblioteca no Canto da Leitura. Para manter o orçamento baixo, a profissional reaproveitou caixotes de feira, usados como nichos. O tapete também é uma solução de economia, pois foi feito com retalhos de tecido.

 (Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Serviço
Morar Mais – o chique que cabe no bolso
Local:
 Av. Epitácio Pessoa, 4.866, Lagoa, Rio de Janeiro, RJ
Data: de 27 de setembro a 10 de novembro
Horário: domingos e de terça a sexta-feira, das 12h às 21h; sábados e feriados, das 12h às 22h. Segunda-feira não abre
Ingressos: de terça a sexta-feira, 25 reais; sábados, domingos e feriados, 30 reais

Fonte: Casa e Jardim

Coisa de cinema: Conheça o novo barco da Porche

Sobre águas profundas, um desfile dos mais belos e luxuosos barcos. São supermáquinas que esbanjam sofisticação em nome do conforto.
Royal Falcon Fleet RFF135 – uma Porsche sobre as ondas

Famosa por seus automóveis pra lá de velozes, a Porsche não hesitou em atender ao pedido da Royal Falcon Fleet, empresa com base em Cingapura e uma das gigantes no mercado de iates de luxo, para criar um novo e revolucionário conceito de embarcação. O resultado desse ambicioso projeto – executado pelo estaleiro australiano Incat Crowther – é o RFF135, um iate de 40 metros de extensão em estrutura de alumínio. Seu motor MTU 16V tem 4,6 mil cavalos e atinge a velocidade de 65 km/h. Concebido para ser uma “nave espacial na água”, tanto o exterior como o interior refletem o estilo sóbrio da Porsche, com sofisticação evidente, sem ostentação. Capaz de acomodar 20 pessoas, o barco tem deck interior com 472 m2, enquanto a área externa soma 208 m2. Para os que gostam de exclusividade, as plantas interna e externa pode ser totalmente personalizada.

Benetti Nataly – um superiate de 65 metros

A arquitetura naval do iate Nataly, da marca italiana Benetti, impressiona: âncoras dobráveis, janelas que vão do chão ao teto e um posto de comando integrado. Seu interior foi criado para superar os mais altos padrões de luxo contemporâneo – pode acomodar dez convidados em suas cinco cabines com muito conforto e estabilidade. Tem motor de 2 x 1685 KW, que permite atingir a velocidade de 15 nós. www.benettiyachts.it

Azimut 100 – inspirado no renascentismo

O modelo é o top de linha do estaleiro italiano Azimut, com 30 metros de comprimento e três andares. No inferior, há quatro quartos e uma cozinha. No segundo andar está a sala de estar integrada com o deck. Já no último nível, um generoso terraço com banheira de hidromassagem e uma segunda sala de estar para até 25 pessoas de uma só vez. Um dos proprietários do modelo é o empresário goiano Joesley Batista, dono do grupo JBS, o maior processador de carne bovina do mundo. Batista pagou cerca de R$ 20 milhões por esse brinquedo gigante, que tem como maior inspiração o renascentista italiano Leonardo Da Vinci. www.br.azimutyachts.com

Ferretti 960 – a maior embarcação da marca

A Ferretti Yachts apresenta a Ferretti 960, o maior barco de lazer da história da marca, com 96 pés. Uma embarcação de 24 metros de comprimento, inteiramente construído no estaleiro de Cattolica, do Grupo Ferretti. Seu comprimento total é de 29,20 metros e ele é o primeiro iate aplainado com a cabine principal voltada para frente, sobre o convés principal, e até quatro cabines de hóspedes, todos igualmente dimensionados. O perfil externo define uma nova tendência no design de grandes cascos planos: o vidro corre ao longo de todo o convés principal, “cortando-o” de popa a proa, contribuindo para um perfil muito mais leve e garantindo luz natural interior. Essa escolha tem um impacto considerável no conceito do iate, que resulta num visual muito mais esportivo. www.ferrettibrasil.com.br

Fonte: Revista Go` Were Luxo