Adaptações na decoração podem evitar acidentes domésticos com crianças

Grande parte dos acidentes com crianças acontecem em casa e para evitá-los é necessário cuidado especial na hora de mobiliar a casa, desde a escolha dos móveis até a disposição no ambiente
 (Divulgação/Líder Interiores)
(Divulgação/Líder Interiores)

Segundo o Ministério da Saúde, grande parte dos acidentes com crianças acontece nas residências. Pequenas adaptações na decoração podem fazer toda diferença na segurança das crianças. O segredo é a escolha do mobiliário e a disposição no ambiente. Os espaços amplos para circulação das crianças são fundamentais, os móveis não podem interferir a passagem em locais estratégicos.

Móveis de vidros, com quinas acentuadas, pontiagudas ou arestas vivas trazem a possibilidade de acidentes graves e devem ser evitados. Já os de madeira e com pontas arredondadas são os mais indicados para compor espaços em que crianças transitam. Além disso, detalhes como evitar móveis embaixo de janelas ou em locais que facilitem o acesso a áreas perigosas é outra dica para quem tem crianças em casa.

Entre os principais acidentes estão os tapetes soltos, quinas de móveis e tropeços ocasionados pelos brinquedos espalhados pelo chão. Caixas organizadoras para guardar brinquedos podem solucionar esse problema e ainda, deixar o ambiente bonito e versátil. Além disso, os tapetes antiderrapantes funcionam como estabilizadores e são os mais adequados para atender residências com crianças.

Já no quarto, por exemplo, o uso de cadeiras fixas, sem rodinhas, traz mais segurança. O essencial é utilizar cadeiras com pés firmes que não possibilitem que as crianças girem. Além disso, a altura das estantes, camas, mesas e prateleiras de armário devem corresponder à estatura das crianças. “Mobiliário facilmente adaptável para a montagem em qualquer ambiente seguro para as crianças é a melhor alternativa para esses ambientes”, sugere Tiago Nogueira, gerente de marketing de uma empresa do segmento.

 (Divulgação/Líder Interiores)

Fonte: CorreioWeb – Lugar Certo

Bola da vez: mercado imobiliário investe no Vetor Norte da capital mineira

Falta pouco menos de nove meses para a realização de um dos eventos esportivos mais importantes do planeta, a Copa do Mundo de 2014. Com esse fato, deste o anúncio da realização dessa edição no Brasil, governo e organizações privadas se preparam para melhor atender e realizar o evento.

Em Belo Horizonte (MG), que será uma das sedes do mundial, não é diferente. Com o estádio Governador Magalhães Pinto, o famoso Mineirão, localizado no Vetor Norte da cidade, muitas obras de infraestrutura e ações de melhorias estão sendo desenvolvidas, o que já impulsiona o desenvolvimento dos bairros nas regiões Norte, Nordeste, Venda Nova e Pampulha.

Um dos mercados que aposta nessa área da capital é o imobiliário. De acordo com o empresário Luiz Antônio Rodrigues, presidente da LAR Imóveis, a facilidade de acesso proporcionada pela Linha Verde, as promessas de investimento do governo, a alta disponibilidade de áreas para construção e imóveis para alugar e vender, com valores para todos os orçamentos, são grandes incentivadores para a maior procura das pessoas por moradias na região e de empresários do setor.

“A proximidade com os aeroportos, a construção da Catedral Cristo Rei e de polos comerciais, além da instalação de diversas empresas, valorizam a região e atraem mais empresas e possíveis moradores. A Copa do Mundo é apenas um dos atrativos e impulsionadores desse grande progresso que vive o Vetor Norte. Hoje, os moradores da região não precisam sair de lá para trabalhar e se divertir, pois o local oferece excelente infraestrutura”, afirma Luiz Antônio.

Para se ter uma noção do potencial, de 2011 até 2013 o governo autorizou a abertura de mais 74 loteamentos nessa área da região metropolitana da cidade. Em contrapartida, no Vetor Sul foram 21 apenas.

Com foco no Vetor Norte 
Há 35 anos no mercado, a LAR Imóveis investe nessa região da cidade. Na filial Pampulha (Alameda das Palmeiras, 717), localizada próxima ao Mineirão e Mineirinho, toda a equipe está atenta e preparada para melhor atender os clientes que querem negociar imóveis no Vetor Norte.

Com o objetivo de estreitar o relacionamento com o público de interesse, com premiações para valorizar a decisão de investir em imóveis de sua carteira, tanto em aluguel quanto em vendas, e no clima da Copa do Mundo, a imobiliária criou a campanha “A LAR é show de bola”.

Segundo Luiz Antônio Rodrigues, a campanha terá duração de um ano e vai presentear os clientes fidelizados pela empresa. Serão diversas ações até julho de 2014. “Esse projeto teve início em maio, em nossa filial da Pampulha, contemplando os clientes que alugavam ou compravam imóveis nos bairros daquela região próxima ao Mineirão. A iniciativa deu tão certo que resolvemos expandir para toda a empresa”, destaca o empresário.

Com a promoção, a empresa já prevê um aumento importante no número de contratos de aluguel e também de venda. “Com o diferencial dessa ação de marketing e relacionamento com os clientes acreditamos num aumento de 20% no nosso faturamento. A equipe está muito motivada e trabalha incansável na direção desta meta”, reforça Luiz.

Fonte: Portal VGV

Chocolate vira peça de luxo em loja conceito da Kopenhagen

Kopenhagen Oscar Freire Flagship fachada
Kopenhagen Oscar Freire Flagship fachada

A marca Kopenhagen abriu a primeira loja conceito – flagship store – no Brasil há cerca de três semanas, comemorando seus 85 anos. O novo espaço fica na esquina das ruas Oscar Freire e Bela Cintra, nos Jardins, em São Paulo, onde funcionou durante anos a sorveteria Häagen-Dazs. A escolha da Oscar Freire foi estratégica para a marca, não apenas por ser um dos endereços mais badalados da cidade e vizinha de grifes como Antonio Bernardo, Schutz e Bang & Olufsen, mas, principalmente, porque sua primeira fábrica funcionou nesta rua.

Por ser uma loja conceito, ali os consumidores podem encontrar todos os produtos da marca, além de presentes e itens especiais. A Linha Gifts Luxo Kopenhagen, por exemplo, foi criada com exclusividade para esse novo espaço, e traz uma coleção de produtos como baleiros, vasos, porta-objetos, bomboniéres e porta jóia. A Kopenhagen fez ainda parcerias com marcas Premium para formar sua carta de bebidas, combinação perfeita para acompanhar a degustação de chocolates. Para os apaixonados pela confeitaria francesa, ali pode-se deliciar macarons de sabores como Nha Benta e Lajotinha. Esta é a única loja da marca onde seus clientes encontram frutinhas de marzipan, um dos primeiros doces comercializados por Anna e David Kopenhagen, fundadores da empresa que nasceu em 1928.

Com projeto da LLAD Arquitetura, a loja possui inovações tecnológicas como um painel de LED interno e com visualização externa para toda a esquina, exibindo imagens de produtos e campanhas da Kopenhagen. Além da preocupação com a arquitetura diferenciada, a marca escolheu a dedo inclusive a vestimenta da equipe, cujos uniformes foram assinados pelo estilista Lorenzo Merlino.

Apesar de não ser considerada marca de luxo, a Kopenhagen tem em seu DNA atributos como tradição, história e alta qualidade na fabricação dos produtos, além de política de distribuição, precificação e comunicação seletivas, podendo ser considerada uma marca Premium brasileira que atende ao consumidor de produtos de luxo, tanto quanto outros consumidores, também. A abertura de sua flagship dá mais ênfase à estratégia da marca, que não é somente comercializar chocolates, mas, sim, tratar chocolates como presentes e proporcionar aos clientes experiências e sensações no ponto de venda. A marca investiu também em estratégias de Marketing Sensorial, com aromatizador de ambiente com cheiro de chocolate e sistema de som que interage com os clientes instigando-os a provar suas criações tentadoras.

Difícil será resistir!

Kopenhagen presentes

Fonte: Infinite Luxury – Por Ricardo Ojeda Marins | Artigo publicado no Blog do Milton Jung (Rádio CBN)

5 ferramentas para melhorar suas vendas

As novas tecnologias estão cada vez mais constantes em nossa vida e essa é uma realidade que tende a ser ainda mais presente nas mais diferentes esferas do nosso convívio.

Uma prova disso é que, neste momento, muitos de vocês estão lendo este post em seus smartphones, em frente à tela do computador com várias janelas abertas ou vice-versa. Também é bem provável que vocês tenham chegado até aqui porque estavam procurando por dicas ou métodos que  possibilitem melhorar os seus resultados.

Pois é, bem-vindo ao mercado imobiliário da era digital, um ambiente onde quem não está atento e preparado para lidarcom a atualidade corre o risco de se tornar um corretor de imóveis ultrapassado.

Hoje, as ferramentas tecnológicas se tornaram tão básicas no atendimento ao cliente quanto os folhetos de vendas. Conhecê-las e utilizá-las de forma adequada em seu dia a dia de trabalho significa prestar uma assessoria ágil, efetiva e com informações requeridas em tempo real.

E foi pensando nisso que resolvi continuar uma reflexão sobre as ferramentas digitais que podem facilitar e melhorar as vendas do corretor de imóveis. Clique aqui e conheça 8 ferramentas que já abordamos no blog.

É inegável que estes recursos impactam de forma expressiva na decisão de compra dos clientes, pois possibilitam prestar um atendimento diferenciado, especialmente, em função de estarmos em um mercado com produtos que apresentam tantas similaridades.

Por isso, separei mais 5 ferramentas que podem melhorar significativamente a experiência de compra do seu cliente.

#1. Trello:

Organiza tarefas em colunas, onde é possível hierarquizá-las por projetos ou de qualquer outra forma. Em cada tarefa você pode agregar imagens, anotações, categorias e outros detalhes. Esta é uma ferramenta que ajuda muito no dia a dia, evita o esquecimento das atividades que precisam ser desempenhadas, sendo que essas atividades também podem ser compartilhadas com os membros de sua equipe de forma colaborativa.

#2. Flipboard:

Aplicativo que reúne, em só lugar, várias fontes de informações. Possui uma interface similar à de uma revista na qual é possível navegar por um vasto conteúdo de forma fácil e atrativa.

O seu grande diferencial, sem dúvidas, é o visual. Por meio do Flipboard é possível categorizar os assuntos de seu interesse e montar uma espécie de biblioteca virtual com temas que são relevantes para o seu trabalho.

Além disso, possui compatibilidade com várias redes sociais e permite visualizar o conteúdo publicado por seus amigos nos feeds e também enviar fotos e publicações para o próprio perfil.

#3. Google Drive:

Por meio desta ferramenta é possível acessar todos os arquivos do antigo Google Docs diretamente do seu celular. Dá para inserir uma infinidade de descrições de imóveis do seu banco de dados, documentos necessários para um atendimento mais assertivo, além de informações diversas que podem ser acessadas e editadas de qualquer lugar e, imediatamente, compartilhadas com todos que tiverem acesso aos documentos. É bem parecido com outros aplicativos de arquivamento como Dropbox, só que com o diferencial de ser totalmente integrado às ferramentas do Google.

5-ferramentas-mobile-corretor-imoveis

#4. Waze:

É um aplicativo de trânsito colaborativo. Nele, os usuários dão informações em tempo real sobre o tráfego em diversos locais próximo a você. Dá para identificar os pontos de alto fluxo ou congestionamento, as ocorrências de acidentes, a existência de radares e ainda é possível inserir o preço da gasolina nos postos existentes no seu caminho. Possui também GPS gratuito.

O foco do Waze é informar à comunidade, portanto ele é um aplicativo muito útil para o dia a dia corrido do corretor de imóveis. Os profissionais de sucesso não podem e nem devem chegar atrasados em seus compromissos.

#5. WhatsApp

Ferramenta digital que se tornou popular nos últimos tempos pela sua simplicidade de manuseio. A troca de mensagens instantâneas que o WhatsApp possibilita é sensacional. Recentemente, uma nova atualização possibilitou a troca de mensagem de voz.  Nós aqui do QG temos um grupo para facilitar nossa comunicação e dessa forma, agilizamos nossas tarefas. Recomendo muito esse aplicativo.

Começando a revolução…

Um teste rápido agora para você. Enquanto  lia nossos artigos, quantas vezes você foi ao Google pesquisar mais sobre as ferramentas que íamos apresentando: uma, duas, nenhuma?

Quem de vocês baixou algum destes aplicativos?

Cuidado com a sua resposta, você pode estar perdendo venda. E mais, o corretor ao seu lado já pode estar usando estas ferramentas e potencializando seus resultados. Você quer ficar ultrapassado no mercado? Acredito que não!

A diferença entre o corretor de sucesso e o corretor mediano é o que o corretor mediano sabe o que tem que ser feito e não faz. Já o corretor de sucesso, além de saber o que tem que ser feito, vai lá, faz, e se empenha para fazer bem feito e superar-se a cada dia. Logo, sua atitude é a principal ferramenta para o seu sucesso!

Tome uma atitude que transformará as suas práticas. Baixe estes aplicativos, explore-os e comece agora a sua revolução. Ah! Não deixe de compartilhar conosco os seus resultados.

Fonte: Guilherme Machado – blog imobiliário

Bienal de Arquitetura se espalha pela cidade

São Paulo aprende como aproveitar seus espaços.
  (Foto: Marco Antonio)
O Sesc Pompeia, segundo Guilherme Wisnik, não recebe apenas interessados nos shows e oficinas da programação, pois moradores do bairro vão até lá jogar damas, ler jornal e bater papo com os amigos (Foto: Marco Antonio)

Durante o dia, de segunda a sábado, a via elevada Presidente Artur da Costa e Silva, nome oficial do Minhocão, dá preferência aos carros. Mas, entre 21h30 e 6h30, e aos domingos e feriados, o território é dominado por ciclistas e pedestres, que aproveitam o bloqueio do viaduto aos automóveis para circular livre e tranquilamente por seus 3,4 km de extensão.

“Essa iniciativa demonstra a tendência de flexibilização do uso das cidades”, aponta o arquiteto Renato Cymbalista, professor de urbanismo da FAU-USP. A origem desse novo cenário, diz ele, está na internet. “Redes sociais e outras plataformas interativas vêm estimulando a população a pensar sobre os espaços públicos e a maneira de utilizá-los. As pessoas agora se sentem mais ‘donas’ dos ambientes urbanos e manifestam isso ocupando-os, muitas vezes, de formas que não estavam previstas originalmente”, completa.

  (Foto: Priscilla Vilariño)
Elevado Costa e Silva, o popular Minhocão, em um domingo, quando fecha para os carros (Foto: Priscilla Vilariño)

Atentos a essa percepção, Guilherme Wisnik, Ana Luiza Nobre e Ligia Nobre, curadores da X Bienal de Arquitetura de São Paulo, levaram o assunto para o evento, aberto ao público entre o dia 12 deste mês e 1º de dezembro. Como tema Cidade: modos de fazer, modos de usar – modos de agir, a mostra abordará a apropriação que os moradores fazem do ambiente urbano em dezenas de exposições – que, pela primeira vez, não ocuparão um único local,mas ficarão espalhadas em pontos diversos, como o Masp e o Centro Cultural São Paulo, todos próximos a estações de metrô. “Queremos discutir também a acessibilidade por meio do transporte de massas. Para isso, é importante que o público vivencie a experiência de circular por São Paulo usando esse sistema”, diz Wisnik.

  (Foto: José Cordeiro)
O vão livre do Masp, na avenida Paulista, ganhou vida própria – além de uma feira de antiguidades , o espaço recebe manifestações de diferentes naturezas (Foto: José Cordeiro)

Segundo o curador, não faltam exemplos de novas e melhores maneiras de utilização dos espaços públicos. “Na capital paulista, há a praça Roosevelt, que aos poucos tornou-se um reduto de skatistas. E o Centro Cultural São Paulo, que virou um ponto de encontro fervilhante, independentemente da programação em cartaz. Muita gente vai até lá para estudar, ver os amigos e praticar street dance”, afirma ele.

Boas ideias podem inclusive ser transportadas de um local para outro. “Em São Francisco, nos Estados Unidos, nasceu o conceito dos parklets, que transforma vagas de estacionamento em áreas de convivência. Já estão ocorrendo tentativas de implantar miniparques assim em São Paulo”, conta Cymbalista. Iniciativas desse gênero, no Brasil e no exterior, permeiam as diferentes exposições da Bienal. Em todas, um ponto em comum: como compor a cidade onde queremos viver.

No Centro Cultural São Paulo, pessoas costumam se reunir para atividades diversas, que vão muito além das peças de teatro ou exposições em cartaz (Foto: João Mussolin)

DESTAQUES DO EVENTO

• Detroit: ponto morto? Fotos e vídeos retratam o declínio da cidade americana que foi símbolo da indústria automobilística mundial. No Centro Cultural São Paulo.

• RioNow Trata das mudanças urbanas vividas pela capital fluminense por conta da Olimpíada. Também no Centro Cultural São Paulo.

• O asfalto e a areia Relaciona arte e arquitetura, com trabalhos de nomes como Lina Bo Bardi, Paulo Mendes da Rocha, Hélio Oiticica e Cildo Meireles. No Masp.

• Arquivo Brasília Rico acervo de fotos que mostram a construção da capital federal, exibido pela primeira vez em São Paulo. No Centro Universitário Maria Antonia.

• High Line Um apartamento localizado em frente ao Minhocão, e na mesma altura do viaduto, receberá a exposição que aborda propostas ligadas a vias elevadas. Na Associação Parque Minhocão.

• Estudio MCA Palestra do arquiteto Mario Cucinella sobre o projeto de regeneração e renovação do bairro Catania San Berillo, da cidade de Catania na Sicilia. Dia 15 outubro de 2013, às 15:00, na Praça Victor Civita.

* Matéria publicada em Casa Vogue #338 (assinantes têm acesso à edição digital da revista)

  (Foto: Marco Antonio)
As múltiplas passarelas do Sesc Pompeia, idelaizadas por Lina Bo Bardi (Foto: Marco Antonio)

Fonte: Casa Vogue – Por Rosele Martins; Fotos Divulgação