É tendência: azul é a mais evidente aposta cromática na Mostra Casa&Cia

Tonalidade aparece do turquesa ao azul intenso, em detalhes ou em ambientes inteiros. Confira sugestões para se inspirar
É tendência: azul é a mais evidente aposta cromática na Mostra Casa&Cia Eduardo Liotti/Especial
Aplicado de forma monocromática e em um tom intenso, o azul inspira interatividade e dá forma de galeria temática para o ambiente Visto Azul (acima), reflexo de uma tendência conferida nas recentes cenografias mundiais de design
Foto: Eduardo Liotti / Especial

É a cor do céu, do oceano, da calma e da esperança. Por tudo isso, o azul invadiu a decoração de interiores e não demonstra sinais de cansaço. Na Mostra Casa&Cia não é diferente.

 A tendência cromática ganha fôlego colorindo por completo ou em detalhes paredes, mobiliário e objetos. Para os avessos aos tons frios, um alento: diferentes nuances de azuis – desde os suaves até os intensos – caem bem em projetos de personalidade e à prova de monotonia.

 É o caso do ambiente Visto Azul (foto no alto), das arquitetas Fernanda Dallarosa e Fernanda Roggia.

 – Desde a definição do tema do espaço, pensamos em um ambiente numa cor única. O azul venceu por ser uma cor alegre, que está em voga, além de estar ligado também ao Brasil, refletindo o seu bom momento atualmente no Exterior – conclui Fernanda Dallarosa.

 O azul intenso do ambiente sugere “conceitos de embarque e de acesso”, numa experiência inspirada no trabalho dos designers brasileiros Nicole Tomazi e Sergio Matos, que recentemente de destacaram no Salão Satélite de Milão, mostra em paralelo ao Salão Internacional do Móvel.

A impressão digital adesivada nos azulejos do ambiente Orquestrando as Panelas aos Quatro Cantos do Mundo (acima), de Cézar Etienne M. de Araújo e Jaqueline Zarpellon de Araújo trazem duas tendências: a cor e o visual dos ladrilhos antigos.

O azul-turquesa foi a escolha da arquiteta Lívia Bortoncello para a Sala de Estar (abaixo). Além do papel de parede da designer inglesa Tricia Guild em azul e branco, também são responsáveis pelo clima descontraído alguns móveis e elementos escolhidos, como os tecidos das almofadas sobre o sofá de couro cru.

– Minha influência veio da moda e do design, mas foi inevitável também não se inspirar no mar. É um espaço que poderia estar na praia, pois reproduz esta sensação de frescor e de relaxamento – explica.

No Estar com Arte, do escritório Rosane Hinnah Dulinski (abaixo), a cor usada pontualmente unifica o mobiliário solto em uma proposta despojada. Na estante de madeira, as caixas embutidas com iluminação de LED e com acabamento em laca foca no tom AZUL BIC destacam objetos.

– Usei azul porque queria uma influência de primavera e também porque não há janela e nem luz natural no espaço. É uma forma de trazer a natureza para dentro e fugir do óbvio verde – conclui Rosane.

* Colaborou Renata Maynart/ Especial

Fonte: Zero Hora – Ana Carolina Bolsson

 

60% do processo de compra de imóvel é feito na internet, diz executivo do Google

Gerente de Negócios Imobiliários do Google Brasil, Igor Lima, afirmou que a tendência é que esse percentual aumente ainda mais

O processo de compra de imóveis, que vai desde pesquisar até a compra efetiva, já é feito 60% pela internet e a tendência é que esse percentual aumente ainda mais, de acordo com a previsão do gerente de Negócios Imobiliários do Google Brasil, Igor Lima, apresentada durante sua palestra no V Encontro Brasileiro dos Corretores de Imóveis e no Congresso do Mercado Imobiliário realizado em Foz do Iguaçu, na semana passada.

Na Opinião do executivo, cada vez mais consumidores procuram e compram imóveis pela web, sem a intermediação de um corretor. Só no ano passado, entre 30% e 35% das vendas de imóveis foram efetuadas a partir da internet.

Ele conta que esta mudança no comportamento de compra do cliente já foi percebida pelos empresários, mas o setor ainda não se adaptou completamente. Construtoras e incorporadoras ainda não utilizam a internet como ferramenta de atração de clientes, preferindo os meios tradicionais como televisão e impressos. Neste sentido, o gerente do Google Brasil acredita que os corretores de imóveis estão mais antenados com a transformação do mercado, usando mais as redes sociais e ferramentas da internet para auxiliar seu trabalho

Na opinião do executivo, cada vez mais consumidores procuram e compram imóveis pela web, sem a intermediação de um corretor (Divulgação)
Na opinião do executivo, cada vez mais consumidores procuram e compram imóveis pela web, sem a intermediação de um corretor (Divulgação)

“Os empresários já perceberam que isso mudou. Mas o mercado é muito tradicional. Eles vão ter que perceber isso na prática quando afetar os resultados” disse Lima

“Os corretores aprenderam muito mais rápido porque estão na ponta do processo lidando diretamente com o cliente. Eles estão vendo que o cliente chega no stand sabendo de tudo”

O executivo ressalta que, entre cinco ou seis buscas realizadas por brasileiros na internet, apenas cinco são em sites do mercado imobiliário, quatro imóveis são visitados e em somente dois os consumidores ficam interessados, o que significa que “as pessoas buscam muito mais imóveis, mas limitam as visitas.”

Fonte: Info Money – Por Luiza Belloni Veronesi

Descobrir os limites entre gastronomia e arte é desafio do chef nº1 do mundo

No Brasil para promover a culinária espanhola, Joan Roca, do restaurante El Celler de Can Roca, fala sobre novos projetos, emoções e inspirações

Em abril, ele foi eleito pela revista inglesa Restaurant como o melhor chef do mundo. Mas os olhos de Joan Roca se enchem de lágrimas não para falar do prêmio dado ao restaurante El Celler de Can Roca, tocado ao lado dos irmãos Juan (confeiteiro) e Joseph (sommelier), em um bairro simples de Girona, região da Catalunha, no Norte da Espanha. A emoção vem realmente forte frente à lembrança do anúncio da segunda estrela Michelin, quando a família estava toda reunida na casa da matriarca, Montserrat Fontané, sete anos antes de receber a terceira estrela máxima, em 2009. “Sei que essas classificações são efêmeras. Não existe o melhor restaurante do mundo, cada um tem o seu preferido. O que vale é estar sempre conectado com valores que realmente importam, como a família”, afirma o mais velho dos três irmãos Roca.

Untitled-1
Uma das criações do restaurante El Celler de Can Roca. Foto: Divulgação
Untitled-2
Especialidade do chef Joan Roca. Foto: Divulgação
Untitled-3
Especialidade do chef Joan Roca. Foto: Divulgação
Untitled-4
Especialidade do chef Joan Roca. Foto: Divulgação
Untitled-5
Especialidade do chef Joan Roca. Foto: Divulgação
Untitled-6
Especialidade do chef Joan Roca. Foto: Divulgação
Untitled-7
O chef Joan Roca. Foto: Divulgação

E não se trata de demagogia. No restaurante, reverência e memória são bases fortes para desenvolver uma cozinha criativa e emocional, que vale-se de modernas técnicas de gastronomia sem abrir mão dos conhecimentos clássicos. “Para ter liberdade criativa é preciso, antes, conhecer as bases, as regras, para depois subvertê-las”, diz o chef, que está no Brasil para a primeira edição do SpainfusionSP, evento que envolve aulas, palestras e jantares voltados à promoção da culinária espanhola. “Não faria nada usando apenas técnicas modernas. É muito importante para nós combinarmos o novo com as bases antigas para trazer mais sabor, calor e textura aos pratos”, completa.

E foi juntamente pensando na combinação de passado e futuro, reverência e memória que Joan Roca se lançou a um novo projeto, batizado “El Somni” (O Sonho), com o qual pretende buscar os limites da fusão entre todos os tipos de arte e gastronomia, provocando os sentidos ao máximo para emocionar. Mas apressa-se em dizer: “Não somos artistas, somos artesãos. Mas gostamos de dialogar, trabalhar e aprender com a arte”.

3
Click aqui para assistir ao video

Traduzido como “uma ópera em 12 pratos ou um banquete em 12 atos”, o projeto, que envolveu mais de 50 artistas, de maestros e cantores, a poetas, designers e vídeomakers, conta uma fábula através de projeções sobre a mesa, as paredes e os pratos, interações dos 12 comensais com as imagens virtuais, aromas, músicas, cores e, claro, pratos especialmente elaborados para transmitir a emoção do momento. “Na arte temos todas as reflexões, sobre vida, morte, erotismo, ela não é apenas hedonista, também há incertezas, e queremos mostrar que isso também é possível na gastronomia”, conta o chef, que criou até mesmo um prato para representar a morte e o renascimento. “É uma homenagem a François Vatel (cozinheiro e responsável pelos suntuosos banquetes da corte de Louis 14) e ao compositor Richard Wagner, que em seus tempos não tinham tecnologia suficiente disponível para tornar seus sonhos realidade”,completa.

Disposto a replicar a experiência de “El Somni” em outros momentos, sempre em pequenos grupos, Joan Roca ainda deverá desdobrar o projeto em exposições e livro a ser lançado em edições limitadas de diferentes formatos.

Veja abaixo outros momentos da primeira palestra de Joan Roca em São Paulo, apresentada para mais de 400 pessoas na Universidade Anhembi Morumbi, na manhã da segunda-feira (14). Nela o chef fala sobre suas referências, emoções e a importância da formação do cozinheiro.

4
Click aqui para assistir ao video

Fonte: IG Luxo – Por Juliana Bianchi , iG São Paulo

Não promova o corretor de imóveis que mais vende (nem o mais amigo)

Foi-se o tempo em que as imobiliárias faziam suas promoções baseadas na performance e atingimento de metas de seus corretores, que promoviam pelo simples fato de simpatizarem mais com este ou aquele por causa dos elogios, defesas e informações fornecidas sobre o resto da equipe. Ou, o mais clássico, promover por ter mais tempo de casa.

Observe que, para promover alguém, o primeiro pensamento que se deve ter não é “ele merece ser gerente porque ____________ (mais tempo de casa, vou com a cara dele, puxa-saco, vende muito, etc.)“. Tenha o pensamento de “ele é um bom líder, capaz de gerir a equipe e desenvolveremos habilidades que sejam necessárias”.

Para promover um corretor de imóveis a cargo gerencial e colocar nas mãos dele uma equipe (e parte do futuro da sua imobiliária), analise estes pontos abaixo.

Competência

Observe o nível de conhecimento dos seus corretores. Mas não é conhecimento em vendas tão somente, falo do conhecimento em gestão. Este tipo de conhecimento, ele pode ter obtido através de formação acadêmica ou experiência anterior. Você pode promover em sua empresa um programa interno de desenvolvimento de talentos, um programa de trainee.

O corretor que mais vende, pode ser até o que mais vende, mas tem conhecimento para gerir uma equipe, colaborar com o desenvolvimento dela e entregar resultados sólidos?

Liderança

Um bom líder lidera pelo exemplo. “Oba, então vou promover o que mais vende!” Não, calma lá!

Um bom líder lidera pelo exemplo, toma frente, tem a atenção dos demais quando fala, sabe gerir crises, sabe fazer críticas que deixem o colega com força de melhorar e não com receio de errar novamente ou com vergonha, é persuasivo e faz os outros abraçarem a causa, vestirem a camisa junto.

Liderança é indispensável para o corretor que for promovido e será responsável pelo desempenho, resultados e desenvolvimento de uma equipe. Sem esta habilidade, as chances de ele não conseguir entregar os resultados esperados é grande e, além disto, pode dar chances para que seu trabalho atrapalhe o desenvolvimento de outros profissionais, causando afastamentos da equipe ou até mesmo prejudicando toda a vida profissional da pessoa. E isto, pensando friamente, é problema para a imobiliária.

Postura

Sabe quando falei sobre o líder ser o exemplo? É através da sua postura, em gestos e hábitos, que ele vai cativar e inspirar aos seus liderados (mesmo que não seja um gerente).

Agregador

O profissional que pega junto e vai atrás de soluções, que inova, que se compromete em contribuir para o desenvolvimento da imobiliária é o corretor certo – ao menos ele precisa ter esta qualidade.

A capacidade de inovação e de encontrar soluções ao invés de procurar culpados para problemas, é fator essencial para um grande líder.

Reconhecimento

Não, não vou falar para você promover o “amigão” da imobiliária. Longe disto.

É importante que o profissional a ser promovido seja aquele que poderá facilmente ser identificado como merecedor daquilo. No caso, por sua postura, por seu conhecimento, por sua contribuição diária, competência, etc.

Faça reconhecerem que o corretor foi promovido por ter habilidades para tal e não por ser o amigão do dono ou por ser, mesmo que não reconheça, o puxa-saco da turma.

Se ele tiver uma boa liderança o reconhecimento virá naturalmente e talvez nem seja preciso “justificar” a escolha.

Mas…

…se seu “melhor corretor”, o top em vendas, é este o líder competente agregador reconhecido por sua postura e exemplo: promova ele agora! E desenvolva as habilidades que ele necessite para levar sua equipe e imobiliária a um novo patamar de atendimento, vendas e relacionamento interno.

Para completar esta leitura, recomento que seja lido também o post “20 atributos de um bom líder“, do Portal Administradores. Boa leitura!

Aos que vão promover alguém da equipe o recado: pense bem antes de promover alguém por performance individual ou por próprio ego. O resultado disto pode ser desastroso para a sua carreira e para sua imobiliária.

Fonte: Guru do Corretor – Por 

Arquitetura inovadora divide ambientes da casa ao redor do pátio central

Projeto arrojado esbanja técnica em arquitetura que alia janelas de vidro e fachada com cobertura de concreto aparente em casa construída dentro de um bosque
Os espaços livres são compostos por portas de correr e dobraduras que abrem e fecham conforme o período do dia (Divulgação/Unoencinco Arquitetos)
Os espaços livres são compostos por portas de correr e dobraduras que abrem e fecham conforme o período do dia (Divulgação/Unoencinco Arquitetos)

Na região costeira Argentina, nos arredores do bosque de Mar de las Pampas, um projeto de arquitetura se destaca em meio a paisagem bucólica do local. Uma estrutura térrea de 125 metros quadrados conta com uma área externa envolta por portas, também envidraçadas, corrediças e dobráveis, que permitem a integração entre os moradores e o entorno verde presente no terreno.

Veja a galeria de fotos

A casa foi construída a partir de um prisma retangular, onde as áreas sociais e privativas se dividem ao redor de um pátio central. Nas laterais, amplas janelas de vidro dão destaque à fachada que se contrasta com a cobertura de concreto aparente. O proprietário destaca que a proposta principal era que os profissionais projetassem uma casa que pudesse ser usada aos fins de semana, durante grande parte do ano, além de valorizar a vegetação local e aproveitar os espaços livres da floresta.

 (Divulgação/Unoencinco Arquitetos)
(Divulgação/Unoencinco Arquitetos)

“Ela deveria ter dois quartos e dois banheiros, além de uma suíte, com a particularidade de que a área social tivesse dimensões generosas. Por outro lado, a casa tinha que cumprir normas de segurança, aliada ao verde da paisagem”, lembrou o proprietário Rodolfo Porfírio, que propôs o projeto que tornou a casa singular, pois preservou a vegetação, a vista privilegiada e o local livre de construções próximas.

Projetada pelos arquitetos de um escritório local, a casa foi concebida dentro de um prisma retangular onde o espaço foi distribuído entre lacunas dentro da própria floresta. “Este espaço externo ajudou criar o projeto e, ao mesmo tempo, oferece vista ampla do local. As áreas sociais e privativas ficam separadas do público por um pátio central. Estes espaços livres são compostos por portas de correr e dobraduras que abrem e fecham conforme o período do dia, ou conforme for necessário, alterando, assim, a espacialidade sem perder conexão com o ambiente e especialmente com o verde do terreno”, explica um dos arquitetos do projeto, Miguel Urruty.

 (Divulgação/Unoencinco Arquitetos)
(Divulgação/Unoencinco Arquitetos)

Fonte: Lugar Certo – Por Diane Lourenço – Correioweb