Tão flutuante quanto o mercado de ações

O 1º andar do edifício fica a 36 m do chão
  (Foto: Philippe Ruault)
(Foto: Philippe Ruault)

O escritório OMA, de Rem Koolhaas, acaba de inaugurar mais um grande projeto. Trata-se do edifício que abriga a bolsa de valores de Shenzhen, na China. A obra, instalada num terreno de 39 mil m², tem 265 mil m² de área construída. Ao todo, são 46 andares e 254 m de altura. Mas o número que mais impressiona é menor que todos estes, citados até aqui. O prédio só começa 36 m acima do nível da rua. A escolha ousada é facilmente justificada por Koolhaas: ele se inspirou na flutuação das ações.

O arquiteto concluiu que a essência da bolsa de ações é a especulação. Tal interpretação norteou o projeto do Shenzhen Stock Exchange. O resultado é um alto e magro edifício, cuja base está destacada do terreno. Apenas a estrutura vence o vão livre de 36 m, ligando a construção ao solo. O térreo, assim, permaneceu liberado – livre para a ocupação pública espontânea.

Os três primeiros pavimentos do complexo são os maiores, com 15 mil m² cada – a bolsa de valores, em si, ocupa apenas esses níveis. Nos demais andares o programa abarca centros de convenções, um centro de operações técnicas, uma galeria de arte, áreas de alimentação e salas de escritório locáveis. O topo do bloco que reúne os três primeiros pavimentos recebeu tratamento paisagístico. Ali fica um agradável teto-jardim.

Em termos construtivos, cabe destacar que as estruturas da torre e da base não foram concebidas de modo independente. Trata-se de um sistema único, cujo esqueleto permanece à mostra – do lado de fora. A torre, deste modo, serve de ancoragem para a base suspensa, que fica em balanço. Além disso, dois vazios perfuram o edifício todo, garantindo boa ventilação em todos os andares.

O SZSE, como é apelidado, deverá receber três estrelas do Green Building Rating System. Trata-se de um ranking ecológico local semelhante ao LEED.

  (Foto: Philippe Ruault)
(Foto: Philippe Ruault)
  (Foto: Philippe Ruault)
(Foto: Philippe Ruault)
  (Foto: Philippe Ruault)
(Foto: Philippe Ruault)
  (Foto: Philippe Ruault)
(Foto: Philippe Ruault)
  (Foto: Philippe Ruault)
(Foto: Philippe Ruault)

Fonte: Casa Vogue – Por Redação; Fotos Philippe Ruault

Dicas de marketing pessoal para corretores de imóveis

A primeira impressão é a que fica e um profissional de sucesso tem que mostrar suas qualidades ao cliente logo no primeiro contato 

O corretor de imóveis tem que estar sempre atento a alguns detalhes para se destacar no mercado imobiliário, não só na parte de vestuário, mas deve cuidar de vários detalhes desde seu vocabulário até a sua postura durante a negociação, pois antes de tentar vender é fundamental criar uma relação de confiança com o cliente. 

Ninguém gosta de fazer negócios com qualquer um e todos procuram fazer o melhor negócio, por isso o cliente costuma fechar negócio com quem além de ter o melhor produto ou preço lhe traga total confiança. 

Separamos algumas dicas de marketing pessoal para ajuda-lo na sua carreira

Seja sempre verdadeiro – Construa uma imagem sólida seja coerente entre o que você é e a imagem que transmite. De nada adianta esforçar-se para passar uma imagem diferente para o cliente no começo da negociação e durante outras visitas ou reuniões suas atitudes sejam completamente opostas. 

Transmita confiança – É importante que as pessoas sintam confiança em você. Por isso, cumpra tudo aquilo que se propor a fazer, pois se o cliente perceber que sua oferta não será atendida toda a sua imagem será prejudicada e consequentemente perdera a vendas e o cliente. 

Mantenha-se atualizado – Quando não souber algo que o cliente queira saber peça um tempo para descobrir, pesquise, busque ajuda de outros profissionais, tornando-se um especialista. Isso evitará que fique obsoleto ou que os outros lhe enxerguem como um profissional comum. 

Colabore com outros profissionais  – Seja ético e esteja disposto a ensinar quem precisa. Além ajuda-lo a criar uma rede de relacionamento profissional isso auxiliará a construir relacionamentos de confiança e respeito com os colegas de trabalho. 

Utilize as Redes Sociais – Muitos corretores de imóveis já estão usando as redes sociais para encontrar clientes entre seus amigos, porem muitos profissionais não estão tomando o devido cuidado com sua imagem e se esquecem de que os clientes também usam a redes sociais e muitos vão pesquisar o perfil do corretor antes de fechar negócio. Procure manter seus perfis bem agradáveis e com o máximo de informações pessoais, pois isso ajuda ao cliente na hora de descobrir se você realmente é quem diz ser. 

Uma dica importante para quem quer utilizar o Facebook para divulgar seus imóveis é o novo aplicativo do Corretor da Vez, que além de gratuito possibilita o compartilhamento profissional dos seus imóveis.

Networking  – Corretor de imóveis construir uma rede de relacionamentos certamente ajudará a promover a carreira e a imagem no mercado imobiliário. Conversar, trocar conhecimentos e informações é muito importante. Mantenha boas relações com colegas de empresas que você já trabalhou e com pessoas da área. Pois você pode vir a trabalhar com elas quando menos esperar.

Fonte: Blog Publicidade Imobiliária – Por Rony de lima meneses

Jato que voa próximo à barreira do som é o avião privado mais rápido do mundo

Conheça esta e os outras quatro aeronaves particulares que impressionam pela potência

Romper a barreira do som e cruzar o globo em algumas poucas horas é desejo cada vez mais forte entre executivos e viajantes frequentes . Não só porque tempo é dinheiro, mas, principalmente, porque tempo livre é artigo cada vez mais raro . Mas enquanto o Concorde não retorna aos ares com sua velocidade de cruzeiro entre 2.346 e 2.652 km/h (Mach 2.04) e poucos assentos, é possível pensar em investir em um jato executivo superpotente para garantir agilidade, conforto e privacidade. Confira algumas opções.

1
O Saker S-1 é a prova de que com alguns milhões de dólares qualquer um pode bancar de piloto da aeronáutica. Foto: Divulgação
2
Inspirado nos jatos militares, o Saker S-1 leva duas pessoas e fica a apenas 22 km/h de romper a barreira do som (1.234 km/h). Foto: Divulgação
3
Foto: Divulgação
4
Foto: Divulgação
5
Foto: Divulgação
6
Foto: Divulgação
7
Foto: Divulgação
8
Foto: Divulgação
9
Foto: Divulgação
10
Foto: Divulgação
11
Foto: Divulgação
12
Foto: Divulgação
13
Foto: Divulgação
14
Foto: Divulgação
15
Foto: Divulgação
16
Foto: Divulgação
17
Foto: Divulgação
18
Foto: Divulgação
19
Foto: Divulgação
20
Foto: Divulgação

1- Saker S-1
Quem disse que é impossível comprar um avião caça? O Saker S-1 é a prova de que com alguns milhões de dólares qualquer um pode bancar de piloto da aeronáutica. Inspirado nos jatos militares, ele leva duas pessoas e fica a apenas 22 km/h de romper a barreira do som (1.234 km/h).

Modelo:   Saker S-1
Fabricante:   Saker Aircraft
Ano de lançamento:   foi apresentado em 2013, mas só deve chegar ao mercado em 2019
Velocidade máxima:   1.212 km/h
Capacidade de passageiros:   dois passageiros
Autonomia de voo:   3.540 km
Preço:   estimado em US$ 7 milhões

2- Citation Ten
O Citation Ten é a evolução do modelo Citation X. O avião é equipado com duas turbinas Rolls Royce, o que possibilita a subida para 45 mil pés em apenas 23 minutos. Os oito assentos da aeronave são equipados com painel de controle e tela sensível ao toque, com sistema que permite que cada passageiro regule a iluminação e a temperatura, além de disponibilizar acesso à internet, visualização do mapa de voo e envio de mensagens de texto.

Modelo:   Citation Ten
Fabricante:   Cessna Aircraft
Ano de lançamento:   2012
Velocidade máxima:   1.145 km/h
Capacidade de passageiros:   oito passageiros
Autonomia de voo:   6.004 km
Preço:   US$ 22 milhões

3- Citation X
No desenvolvimento do Citation X, o objetivo não era apenas criar um dos aviões civis mais velozes do mundo, mas aliar essa potência ao baixo consumo de combustível. Assim nasceu a aeronave, com consumo de apenas 386 litros por hora. Outro atrativo do avião são os mimos aos passageiros. Entre eles, telas de LCD, Blu-Ray, telefone, refrigerador, forno de micro-ondas e toalete.

Modelo:   Citation X
Fabricante:   Cessna Aircraft
Ano de lançamento:   2010
Velocidade máxima:   1.127 km/h
Capacidade de passageiros:   oito passageiros
Autonomia de voo:   5.700 km
Preço:   US$ 22 milhões


4- Gulfstream G650

O Gulfstream G650 é um dos jatos executivos mais luxuosos e modernos disponíveis no mercado. Com projeto de iluminação personalizado, modo de descida de emergência automática e radar meteorológico em 3D, o modelo é impulsionado por duas turbinas Rolls-Royce BR725.

Modelo:   Gulfstream G650
Fabricante:   Gulfstream Aerospace
Ano de lançamento:   2008
Velocidade máxima:   1.127 km/h
Capacidade de passageiros:   oito passageiros e tripulação de até quatro pessoas
Autonomia de voo:   12.964 km
Preço:   US$ 58 milhões

5- Falcon 7X
Para criar um ícone em luxo e conforto, a Dassault se uniu ao estúdio de design Designworks USA, do grupo BMW, para desenvolver o interior do Falcon 7X. A cabine possui dois toaletes, telefone via satélite, internet, DVD e Blu-Ray.

Modelo:   Falcon 7X
Fabricante:   Dassault Aviation
Ano de lançamento:   2010
Velocidade máxima: 1.100 km/h
Capacidade de passageiros:   13 passageiros e três tripulantes
Autonomia de voo:   11.000 km
Preço:   US$ 50 milhões

Fonte: IG Luxo – Por Rafael Freire

10 ambientes com piso de pedra

O mais rústico e antigo dos materiais

A pedra faz parte da morada do homem desde o início dos tempos. Trata-se do elemento mais rústico de todos. Ainda mais cru e honesto que a madeira. Com o desenvolvimento tecnológico foram desenvolvidos novos modos de incorporar a pedra à arquitetura e à decoração. Além disso, a própria pedra foi sendo modificada – polida, recortada e lapidada. Atualmente tê-la em casa não é sinal de simplicidade necessariamente. Os mármores e granitos carregam consigo um status luxuoso. Embora existam outros usos, o mais comum é empregarem-se as pedras no piso. Por isso, selecionamos 10 ambientes onde o material foi utilizado com maestria. Inspire-se!

  (Foto: divulgação)
(Foto: divulgação)

1. Ruínas revigoradas

Este ambiente é parte de um lar de arquitetura tradicionalíssima localizada em Civita di Bagnoregio, um vilarejo com mais de 600 anos que se equilibra a 440 m de altura entre dois rios ao norte da região do Lácio, na Itália. A construção do século 14 foi reformada, mas o arquiteto Patrizio Fradiani manteve alguns itens originais, como o piso de terracota. A decoração, no entanto, é contemporânea e repleta de peças de designers, como a cadeira de Ray e Charles Eames.

  (Foto: divulgação)
(Foto: divulgação)

2. Contraste ressaltado

Localizada à beira do Stony Lake, em Ontário, Canadá, esta morada é a releitura da típica casa de vidro. Os espaços abertos criam um constante diálogo entre os ambientes e a paisagem. Mas há unidade, afinal o vidro separa a pedra da pedra. Do lado de fora o rochedo, e dentro o piso negro, de pedra polida. O contraste entre o material em seu estado rústico e produzido é de um charme intenso. Talvez por isso a decoração da morada seja minimalista e majoritariamente branca. Para não diminuir o efeito.

  (Foto: reprodução)
(Foto: reprodução)

3. Provençal e industrial

Piso de pedra, vigas de madeira aparentes, tecidos e estampas em tons delicados – tudonesta morada remete à alma floral do sul da França. Alguns elementos, porém, fogem desse padrão. O armário vertical metálico, o pendente e as luminárias de piso, com seu espírito industrial, equilibram a atmosfera relaxante.

  (Foto: João Ribeiro)
(Foto: João Ribeiro)

4. Beleza sem brilho

casa situada no Morumbi, em São Paulo, desenhada pela arquiteta Monica Drucker, tem ao fundo uma vegetação exuberante. Tal fato justifica a presença de imensas portas de vidro em toda a fachada. Além disso, influenciou na escolha a paleta de cores. Foram eleitos para a casa acabamentos claros – as paredes são brancas e o piso é de mármore fosco – que não competem com o verde do jardim. Na decoração destaca-se a lareira, que aquece tanto o jantar quanto o living, onde o sofá alongado convida ao relaxamento.

  (Foto: reprodução)
(Foto: reprodução)

5. Borda de seixos

A faixa revestida com seixos, que circunda todos os ambientes desta casa espanhola, é a protagonista do décor, inclusive no living. Muitas são as qualidades do material: além de aproximar os interiores à natureza árida do entorno, as pequenas pedras trazem cor e graça e ainda servem para massagear pés cansados. No centro da sala, as placas cerâmicas acrescentam certa rusticidade que é quebrada pela geometria da mesa de centro e pelo caráter atual da decoração.

  (Foto: divulgação)
(Foto: divulgação)

6. Restaurante do hotel

Localizado na cidade austríaca de Salzburgo o hotel Blaue Gans é uma obra de arte à parte. Andando pelos corredores de paredes espessas, os hóspedes se deparam com escadas espaçosas, abóbodas, vigas de madeira, tetos de estuque e piso de pedra. Ângulos retos são difíceis de serem encontrados ali, já que todos os quartos têm recortes diferentes. Um ótimo exemplo disso é o restaurante do hotel, que também funciona como bar e adega. A rusticidade é uma regra incontornável ali.

  (Foto: Karin Bjorkqvist)
(Foto: Karin Bjorkqvist)

7. Para garantir o frescor

Gotland, é a maior ilha sueca no mar Báltico. Lá há uma linda residência projetada por Torbjörn Hoeg. Um de seus grandes trunfos é a ausência de barreiras visuais. Living, cozinha e sala de jantar são integrados pelo piso de pedra calcária, material que atenua o calor forte de abril a outubro. Para acentuar o pé-direito de 5,5 m e resfriar ainda mais os ambientes, o arquiteto dispensou o forro falso e as vigas no teto. No lugar alocou ripas de madeira, pintadas de branco.

  (Foto: divulgação)
(Foto: divulgação)

8. A escuridão do mármore

A ambientação elaborada pela arquiteta Karina Afonso neste apartamento em São Paulo tem como ponto focal uma lareira a gás. A peça fica embutida num bloco de mármore. O mesmo material foi aplicado no piso, gerando uma elegante continuidade. O ambiente repleto de cores escuras mescla o preto com os tons terrosos, presentes nas poltronas de couro e na parede de Vidrotil, próxima à lareira. O toque final de requinte são as obras de arte espalhadas pelo ambiente.

  (Foto: reprodução)
(Foto: reprodução)

9. Tudo pela luz natural

Uma casa clara, com paredes alvas, piso de pedra calcária e muitos móveis brancos, combina com muitos endereços, até com o colorido da Espanha. Foi isso que pensaram os profissionais do escritório de arquitetura Ábaton, situado em Madri. Eles apostaram todas as suas fichas no excesso de branco para poder multiplicar a luz nos ambientes internos da morada. Construída em um terreno não muito largo, a residência tem como destaque os ambientes integrados, sem barreiras para a perpetuação da luminosidade.

  (Foto: divulgação)
(Foto: divulgação)

10. Textura sob pés descalços

No Kirini, localizado na ilha grega de Santorini, quase todos os espaços estão ocupados por piscinas. No interior do hotel, há aquelas que são aquecidas, e nas varandas dos quartos, as piscinas de fundo infinito. A arquitetura por ali segue a tradição local, com suas curvas e fachadas de um branco ofuscante. Internamente, as pedras vulcânicas da ilha revestem o piso dos quartos (e das piscinas), as madeiras das árvores foram transformadas em móveis, e as flores locais colorem todos os espaços.

Imóveis à venda sobem 6,6% acima da inflação

Imóveis à venda sobem 6,6% acima da inflação

O mercado segue aquecido para quem está de olho em investimentos em imóveis. O Índice FipeZap Ampliado – que é um indicador que aponta a variação de preços dos imóveis à venda em 16 cidades brasileiras – teve um aumento no preço médio do metro quadrado de 11,3% no ano, 6,6% acima da inflação nacional. Os dados fazem parte de matéria assinada por Julia Wiltgen, da revista Exame.

No mês de outubro o preço médio do metro quadrado subiu 1,3%, um pouco acima da alta de 1,2% registrada em setembro, destaca ainda o texto. A capital paulista acompanhou o patamar nacional, com alta de 1,2% em outubro. índice superior às altas do Rio de Janeiro, Salvador e Vitória. No ano, São Paulo também acumula alta de 11% no valor médio do metro quadrado.

Atualmente, a tabela do FipeZap indica que o metro quadrado na capital paulista tem sido anunciado a um preço médio de R$ 7.631, valor que supera a média nacional que é de R$ 7.143.

O levantamento considera os anúncios vinculados na internet, que somam cerca de 290 mil unidades a cada mês. Quer saber mais sobre o mercado imobiliário no país? Confira aqui a matéria na íntegra:

Fonte: Esser Invest