Com repatriação de recursos, brasileiros optam por investimento em imóveis de luxo

brasileiros-mercado-de-luxo

Executivo do mercado imobiliário de luxo estima que somente em São Paulo R$ 1,2 bi serão investidos em imóveis

Com a anistia concedida através da repatriação, uma parte considerável dos recursos no exterior com destino ao Brasil será aplicada na compra de imóveis de luxo. Alexandre Villas, diretor-presidente da Imóvel A (www.imovela.com.br), butique de imóveis de luxo, prevê que cerca de R$ 1,2 bilhão seja investido no mercado imobiliário somente na cidade de São Paulo.

Outros R$ 25 bilhões devem chegar ao mercado imobiliário de São Paulo, no médio prazo, em aquisição de terrenos, incorporações, fundos imobiliários, imóveis corporativos e outras operações imobiliárias de grande porte. “Já estamos atendendo vários clientes que se preparam para aplicar esse recurso adicional. Esse movimento vai se intensificar nos próximos meses”, afirma Alexandre Villas.

O objetivo principal da repatriação de recursos, é oficializar todos os bens não declarados, pois não será mais possível usar recursos sem origem comprovada em diversos países. “O acordo entre os países, está cada vez mais eficiente quanto ao compartilhamento das movimentações financeiras entre os governos. Isso faz com que mais pessoas busquem seus recursos de fora, injetando no Brasil”, reitera a Drª Ivana Marcon, advogada especialista em Direito Tributário.

Devido ao câmbio favorável para repatriação, a expectativa é de ganhos altos no mercado imobiliário e preços depreciados dos imóveis. Por isso, a concorrência com o mercado financeiro pelos recursos novos não será forte, avalia a advogada. Por conta da esperada queda dos juros, a tendência é a diminuição no rendimento das aplicações financeiras a longo prazo. “O ganho dos imóveis de luxo promete mais do que compensar os tributos e multas da repatriação”, conclui Villas.

Mais informações: Segs