Cozinha prática com móveis planejados

cozinha-planejada

Quem não gosta de colocar o papo em dia enquanto saboreia um cafezinho, ou então preparar aquele prato especial e ao mesmo tempo dar uma olhada na TV? Esta cozinha moderna projetada pelo arquiteto Anderson Scriboni abre possibilidades para várias tarefas, que anteriormente só poderiam ser realizadas na sala ou na área de serviço.

Foto: Divulgação Projeto: Anderson Scriboni - TODESCHINI Ilha do Governador Rio, Rio de Janeiro - RJ

Entre frutas e livros
Os objetos de decoração foram pensados de forma a harmonizar todo o conjunto, não deixando o ambiente carregado visualmente e trazendo integração entre objetos de decoração, armários e a própria arquitetura. A descontração fica por conta da fruteira com maçãs e os livros de capa amarela, propositalmente colocados sobre a bancada da península.

Foto: Divulgação Projeto: Anderson Scriboni - TODESCHINI Ilha do Governador Rio, Rio de Janeiro - RJ

Funcional
O conforto foi o ponto de partida para projetar o ambiente de 5,4 m². Na bancada, que divide o ambiente, foi colocado o cooktop, que permite integração do cozinheiro com seus convidados em um momento de degustação.

Fica a dica
Na hora de planejar os móveis da cozinha, uma boa ideia para otimizar espaço sem deixar o ambiente pesado é misturar nichos abertos e armários com portas. Nos nichos, é possível colocar potes de alimentos mais bonitos e decorar enquanto organiza!

Fonte: Alto astral

11 Coisas que sua casa não precisa ter

Você vai poupar espaço, dinheiro e estresse desnecessário. Confira:

11-coisas-nao-ter

Se está nos seus planos fazer uma limpeza na casa e dar uma repaginada na decoração, sabemos por onde você pode começar. Alguns mitos podem te fazer pensar que seu lar não estará completo sem alguns objetos. Mas há, sim, alguns itens que a sua casa não precisa ter – assim você pode poupar espaço, dinheiro e estresse desnecessário. Abra a mente e confira as nossas dicas:

Em L, os bancos de cimento ladeiam o sofá da Carbono e o tapete da Square Foot. A placa Stop é da Coqueluche Presentes. Desenho do Superlimão Studio, o mobiliário feito de Wallplac compõe a área, que ainda serve de escritório (Foto: Edu Castello/Editora Globo)

1. Cadeiras e poltronas
Já parou pra pensar no espaço que elas tomam na sua sala? Uma boa ideia é investir em bancos laterais – eles podem tornar o ambiente mais eclético de maneira simples e fazer com que a sua sala pareça muito maior.

Bárbara Paiva. 19.80m² A arquiteta se inspirou em elementos contemporâneos, dando um ar moderno ao ambiente. Buscou trazer masculinidade, aconchego e sobriedade com tons mais fortes, sem deixar o quarto com um aspecto pesado. O baú revestido com tecido je (Foto: Evelyn Müller/Divulgação)

2. Baú na beira da cama
Pode ser um banco ou um sofá também. O fato é que o objeto decorativo corre o risco de virar depósito de roupas e acessórios. Você sabe bem como essa pilha cresce rápido, não é mesmo?

tinta-parede (Foto: Thinkstock)

3. Pintar as paredes
É um dos primeiros itens na lista de uma reforma, certo? Mas não é tão importante assim ter paredes coloridas. Paredes brancas também têm seu valor, principalmente se você investir em itens coloridos no ambiente.

Mesa de jantar | A peça foi projetada para ter um banco, que fica encostado na parede e assim economiza espaço. Pendentes da Micasa. Cadeira Norma, de Jader Almeida, comprada na Firmato Móveis (Foto: Edu Castello/Editora Globo)

4. Conjunto de jantar uniforme
O conjunto de cadeiras combinando com a mesa de jantar é coisa do passado. Misturar estampas, modelos, combinar e trocar alguns objetos pode fazer toda a diferença para um ar mais moderno. Você pode optar por um banco em um dos lados da mesa também. O mais legal é quando cada cadeira conta uma história.

Terrários com suculentas enfeitam o aparador da sala, da Breton. Na foto, a arquiteta Silvana Lara Nogueira (Foto: Adriana Barbosa/Divulgação) 

5. Plantas grandes
Nada substitui um canto verde no ninho. Isso não significa, no entanto, que você precise de plantas em vasos grandes. Uma composição de suculentas, por exemplo, é uma ótima saída. A espécie se adapta ao clima do interior da sua casa e exige pouca manutenção.

 (Foto: Edu Castello)

6. Criado-mudo
Seja sincero: ele está lá para fazer pouco mais que para manter seu celular por perto durante à noite. Não faz muito sentido ter uma mobília ocupando um espaço só para isso, não é mesmo? Uma prateleira na parede ou um nicho parece suficiente para cumprir essa função, não acha?

O cantinho favorito da casa de Jonathan é esse quarto que fica no andar debaixo da casa. O espaço foi decorado para ser um ambiente de relaxamento. A disposição de almofadas coloridas dá o toque de alegria que é prioridade para o blogueiro (Foto: Jonathan Lo/Divulgação) 

7. Almofadas (em exagero)
A gente sabe bem que as almofadas são ótimas aliadas na decoração e ainda tornam a casa aconhegante. É fácil cair na tentação e fazer uma composição com várias em cima do sofá ou cama. No entanto, dessa forma, o aconchego se perde e não sobra espaço para você, certo? Melhor segurar a onda!

A cama de cumaru, desenho de Thiago executado pela Marcenaria Lanzili, tem enxoval de Ari Beraldin, à venda na Empório Beraldin. Pendentes Beltrano, de Baba Vacaro para Dominici, na La Lampe – mesma loja da luminária Cricket, sobre a mesa lateral. Tapete  (Foto: Lufe Gomes/Editora Globo) 

8. Abajur de mesa
Neste caso, nossa proposta é fazer uma troca. Que tal substituir o abajur por uma luminária elegante suspensa ou fixa na parede? Você vai ter mais espaço e ainda vai poder direcionar a iluminação para onde quiser.

Para oferecer ao morador uma televisão nas salas de estar e de jantar, na varanda e na área de leitura, o escritório Suíte Arquitetos instalou a TV em uma caixa de MDF acoplada a uma haste de ferro articulada, que gira para os quatro ambientes. Execução d (Foto: Maíra Acayaba/Editora Globo)

9. Rack na sala de TV
Com as televisões fixas na parede e a diminuição de dispositivos – quem ainda usa videocassete, DVD ou qualquer outro aparelho nos tempos de Smart Tv? – o rack perdeu a função. Que tal desocupar uma parede inteira e optar por um painel, que é menor e ainda abriga a TV e os pequenos dispositivos?

Na cozinha foi usado piso Portobello New York Cement 4545 e cerâmica Metro White 10x20 Eliane Revestimentos. A pintura com Tinta Acrílica Acetinada Coral Dulux Doce Safira 50BG 18/350 foi escolhida pela facilidade de trocar caso os moradores enjoem. Os mó (Foto: Juliano Colodeti - MCA Estudio/Divulgação)

10. Armários de cozinha
Em vez de forrar uma das paredes da cozinha de armários, experimente reservar uma parte para prateleiras. Elas deixam os objetos mais usados no dia a dia sempre à mão e ainda tornam o ambiente mais iluminado e descontraído.

A sala da arquiteta Gabriela Marques conta também com home office. Além da mesa de trabalho, há uma grande estante que mistura elementos dos dois ambientes: livros, fotos de família, xícaras e objetos de decoração. Lá também fica a impressora (Foto: Luis Gomes) 

11. Impressoras
O aparelho era realmente útil há alguns anos, mas agora se tornou dispensável. Além de ocupar um bom espaço, com os smartphones em mãos hoje em dia, raramente precisamos imprimir alguma coisa.

Fonte: Revista Casa e Jardim

Um passeio pela Budapeste ultramoderna

5 edifícios e espaços com arquitetura contemporânea

budapeste-contemp

É fácil encontrar quase qualquer estilo arquitetônico europeu em Budapeste, uma cidade cuja ocupação remonta há 2100 anos. Descobrir prédios contemporâneos exige um pouco mais de esforço. Muitos húngaros olham com desconfiança os projetos pós-modernos criados para sua capital. Mesmo assim, arquitetos criam projetos futuristas, mas que ajudam a lembrar o dramático passado do país. Conheça alguns na galeria abaixo.

01-um-passeio-pela-budapeste-ultramoderna

Sede da seguradora ING, por Erick van Egeraat. O prédio tem uma fachada composta por materiais como vidro e madeira arranjados de forma caótica. Seus três volumes têm colunas diagonais e parecem prestes a tombar. Estão conectados por halls transparentes e cordões de aço, que atam simbolicamente o conjunto. Tanta ousadia contrasta fortemente com os vizinhos, prédios modernistas e Art Nouveau. Turistas e moradores aprovaram; van Egeraat ganhou reconhecimento internacional.

02-um-passeio-pela-budapeste-ultramoderna

Linha 4 do Metrô, por PALATIUM, Sporaarchitects, Tamás Komoróczky e Gelesz & Lenzsér. Talvez o melhor da nova arquitetura da cidade esteja nesse trajeto abaixo da terra, fruto de um concurso que procurou projetos contemporâneos. Na estação Fővám, pesadas vigas de concreto se cruzam em um mosaico; em Móricz Zsigmond, retângulos de cores fortes decoram as plataformas. Já Bikás Park (foto) tem um domo geodésico de vidro na entrada.

03-um-passeio-pela-budapeste-ultramoderna

Memorial 1956, por i-ypszilon group. O conjunto celebra a revolução húngara, quando o povo derrubou os líderes comunistas e expulsou o exército soviético do país. O movimento começou como uma revolta de estudantes e triunfou por 11 dias, mas terminou em um banho de sangue, com 2500 nacionais mortos e 200 mil refugiados. O memorial em formato triangular fica na praça Felvonulás, onde manifestantes derrubaram a estátua de Stalin. Inicialmente dispersos, os postes se tornam mais próximos e mais altos até formar um sólido de aço inox de 8 m de altura. Esse volume “quebra” o chão da praça.

04-um-passeio-pela-budapeste-ultramoderna

Casa do Terror, por Attila F. Kovács, János Sándor e Kálmán Újszászy. Os governos nazista e comunista usaram esse prédio de apartamentos como escritório, prisão e centro de tortura. Em 2002, o edifício foi transformado em um museu que conta a conturbada história da Hungria no século 20 e lembra as vítimas da tortura. A pintura cinza na fachada faz menção aos uniformes dos soldados. E uma fita metálica na cobertura projeta a palavra “terror” no exterior – mas também permite entrever o céu.

Sede da seguradora ING, por Erick van Egeraat. O prédio tem uma fachada composta por materiais como vidro e madeira arranjados de forma caótica. Seus três volumes têm colunas diagonais e parecem prestes a tombar. Estão conectados por halls transparentes e cordões de aço, que atam simbolicamente o conjunto. Tanta ousadia contrasta fortemente com os vizinhos, prédios modernistas e Art Nouveau. Turistas e moradores aprovaram; van Egeraat ganhou reconhecimento internacional.
Sede da seguradora ING, por Erick van Egeraat. O prédio tem uma fachada composta por materiais como vidro e madeira arranjados de forma caótica. Seus três volumes têm colunas diagonais e parecem prestes a tombar. Estão conectados por halls transparentes e cordões de aço, que atam simbolicamente o conjunto. Tanta ousadia contrasta fortemente com os vizinhos, prédios modernistas e Art Nouveau. Turistas e moradores aprovaram; van Egeraat ganhou reconhecimento internacional.

Palácio de Artes, por Zoboki-Demeter e Arquitetos Associados. Localizado próximo à margem do Danúbio, esse prédio abriga uma sala de concertos, um teatro de dança e um museu. Os usos foram distribuídos em salas com formatos diferentes, mas os públicos compartilham os mesmos corredores e escadas. A cortina de vidro e a colunata na fachada unificam o edifício e lhe dão um ar solene.

Fonte: Casa Abril

Luxo, drama e texturas de tirar o fôlego

Casa desenhada pelo designer Marcel Wanders surpreende pela riqueza de detalhes em Amsterdã

 luxo-e-textura
O designer holandês Marcel Wanders sabe tirar o fôlego, seja por seus móveis icônicos ou pelos espaços que se situam entre o luxo e o drama, em mais de 1.700 criações. Sob sua assinatura, o design adquire status de arte naturalmente.
Private residence AmsterdamInterior design: marcel Wanders, 2009 (Foto:  )
Com as casas que desenha, no entanto, há um cuidado ainda mais especial que transcende sua formação. “Não sou arquiteto, por isso, a habilidade de transformar uma casa em um lar é uma extraordinária oportunidade”, já disse sobre seu trabalho com interiores.
Private residence AmsterdamInterior design: marcel Wanders, 2009 (Foto: Marcel Wanders studio)
As texturas magníficas, uma marca registrada do holandês, se insinuam em todos os espaços. Seduzem pelo toque, ou pela visão de arabescos, pelos tons sóbrios ou puramente o branco. Para esta casa em Amsterdã, em especial, ele se inspirou em uma parede semi-circular, que parecia um problema.
Private residence AmsterdamInterior design: marcel Wanders, 2009 (Foto: Marcel Wanders studio)
Ela exigia que o lugar fosse racionalmente organizado. “Mas o racional não impede que a arquitetura fale”, explica Wanders. Instigado, ele acentuou o volume no living e fez o concreto ganhar o aspecto de “maciez” visual, depois de abaulado.
Private residence AmsterdamInterior design: marcel Wanders, 2009 (Foto: Marcel Wanders studio)
Os revestimentos convidam ao toque do teto ao piso. Pequenas gavetas surgem das paredes para tornar o lugar uma aventura, uma experiência luxuosa e elegante. Os detalhes podem ser majestosos. No entanto, não são a única atração do apartamento de um quarto, de 102 m².
Private residence AmsterdamInterior design: marcel Wanders, 2009 (Foto:  )
Lá fora, há um jardim com a mesma metragem, pensado para oferecer sensações parecidas. Nos limites entre interior e exterior, arquitetura e natureza estão desfocados, para Wanders: jardim e casa devem conviver de forma harmoniosa, com soberania apenas da arte.
Private residence AmsterdamInterior design: marcel Wanders, 2009 (Foto:  )
Private residence AmsterdamInterior design: marcel Wanders, 2009 (Foto: Marcel Wanders studio)
Private residence AmsterdamInterior design: marcel Wanders, 2009 (Foto: Marcel Wanders studio)
Private residence AmsterdamInterior design: marcel Wanders, 2009 (Foto:  )
Private residence AmsterdamInterior design: marcel Wanders, 2009 (Foto:  )
Private residence AmsterdamInterior design: marcel Wanders, 2009 (Foto:  )
Private residence AmsterdamInterior design: marcel Wanders, 2009 (Foto: Marcel Wanders studio)
Fonte: Casa Vogue

22 plantas para você cultivar em seu apartamento

plantas-no-ape

Morar em um apartamento não precisa ser sinônimo de abrir mão de jardinagem. O espaço pode ser um limitador para algumas espécies de plantas, mas nem por isso seu apartamento deve ficar sem a vida que elas trazem ao ambiente. Separamos para você 22 espécies que não ocupam muito espaço e nem dão muito trabalho em seu cultivo.

Confira nossa seleção, com os preços médios de cada uma:

Lança de São Jorge

Com sua folhas verticais e em formato cilíndrico, a Lança de São Jorge é ideal para cômodos internos e para decorar os cantos dos ambientes. Pode ser plantada em vasos ou mesmo em jardins de pedra, devido à resistência. Sua irrigação deve acontecer uma vez a cada duas semanas, sem jogar água diretamente sobre as folhas. | R$ 25,00, a muda.

Rosa de Pedra

Também conhecida como Echeveria, de seu nome científico, essa planta se assemelha muito ao formato de uma flor. Assim como a Lança de São Jorge, regue a cada duas semanas, sem direcionar a água para as folhas. Essa espécie não necessita muito de sol. | R$ 20,00, a planta.

Mini Cacto

Diferente de outras plantas de sua família, o mini cacto não precisa de muito sol ou água. Lembre-se sempre de checar a terra. Se ela estiver seca, deve ser regada para umedecê-la, o que geralmente pode acontecer uma vez por semana. Cuidado também com os espinhos da planta, eles podem machucar e são chatos de retirar da pele. | R$ 8,00, a planta.

Palmeira-rápis

Originária da china, essa planta possui caules finos e longos, lembrando um pouco o bambu. De crescimento lento, a palmeira-rápis leva uma inspiração tropical e oriental para a decoração do local e fica ótima em salas de estar. Ela deve ser cultivada à meia-sombra e regada semanalmente. | R$ 170,00, a planta.

Violeta

Comumente plantada em pequenos vasos, a violeta precisa de água três ou duas vezes por semana. Deve ser exposta indiretamente ao sol e sua variedade de cores enfeita diversos ambientes, desde mesas a parapeitos de janelas. | R$ 7,00, pacote com 0,10 g de sementes.

Begônia

Ideal para ser plantada em vasos, a begônia é uma planta muito colorida que leva vida à decoração. Exige pouca luminosidade e, como a violeta, deve ser regada duas ou três vezes por semana, depende do estado de umidade que a terra apresentar. | R$ 8,00, envelope com 100 sementes.

Pau d’água

Sem precisar ficar exposta diretamente ao sol, a Pau D’Água carrega rusticidade para o ambiente em que está inserida. Ela também pede uma irrigação mais regular, de duas/três vezes por semana. Pulverizar as folhas com água garante um crescimento mais saudável. | R$ 150,00, a planta.

Zamioculca

Essa planta é resistente e continua bonita mesmo quando você esquece de cuidar dela. O ideal é que você regue uma vez por semana e fique atento ao sol, que não faz bem para o seu crescimento. O sol direto não faz bem para seu crescimento, então recomenda-se colocá-la à meio-sombra ou em ambientes sem luz. Importante: todas as partes da planta são venenosas se ingeridas, uma opção pouco amigável se você mora com crianças ou animais de estimação. | R$ 25,00, a muda.

Camedórea-elegante

Essa espécie de palmeira não passa de dois metros de altura e fica ótima com plantio em vasos. Como gosta de umidade, é preciso regar frequentemente, até 4 vezes por semana. Deve ser mantida longe da luz direta do sol. Ambientes à meia-sombra ou sem luz são preferíveis. | R$ 20,00, a muda.

Palmeira-leque

Com um tronco único, o destaque da palmeira-leque é sua folhagem, bastante chamativa. O ambiente escolhido para a planta deve receber luz indireta e a umidade da terra deve ser constante, por isso recomenda-se a irrigação três/quatro vezes por semana, além de borrifar água nas folhas. | R$ 15,00, pacote com 10 sementes.

Pleomele

Com suas folhas de bordas brancas ou verde-limão, a Pleomele é uma planta tropical e vistosa. Aprecia a umidade e deve ser regada regularmente. Ela deve ser mantida em ambientes com pouca luminosidade, mas se a adaptação não acontecer, pode ser o caso de colocá-la em lugares mais claros, mas que não recebem luz direta do sol. | R$ 30,00, a muda.

Lírio da paz

As folhas brancas dessa planta não podem receber luz direta do sol ou são queimadas. Dessa forma, ambientes com sombra são seus melhores amigos. O solo deve ficar úmido – média de 3 irrigações semanais. Com o passar do tempo, sua folhagem se esverdeia. Cuidado: essa é uma planta tóxica, então mantenha crianças e animais longe dela. | R$ 8,00, a muda.

Palmeira-areca

Para que sua folhagem fique vistosa, elegante e anelada, recomenda-se cultivar a palmeira-areca à meia sombra. De qualquer maneira, ela também cresce muito bem se exposta diretamente ao sol. A irrigação deve ser regular e é bom manter a espécie longe de lugares frios. | R$ 30,00, a planta.

Antúrio

Conhecida como um curinga para lugares pouco iluminados, o antúrio é mais usado em vasos. Sua cor destaca o local em que é posto, mas não deve ficar em ambientes escuros ou seu crescimento é prejudicado A irrigação pede muita umidade, então deve ser feita 3 ou 4 vezes por semana. | R$ 30,00, a muda.

Jiboia

Com folhas brilhantes e que se alternam com a maturidade da planta, a jiboia precisa de uma irrigação constante e pode ser cultivado com luz direta do sol. A melhor forma de cultivo é deixá-la em meia sombra, para que sua folhagem possa ser vigorosa. Atenção: essa planta é tóxica e deve ser mantida fora do alcance de crianças. | R$ 20,00, a planta.

Singônio

Também venenosa, o singônio é uma planta que possui uma folhagem bastante vistosa e decorativa. Se adapta à meia-sombra e exige que seja regada com frequência para que a terra fique úmida e seu crescimento não seja prejudicado. | R$ 8,00, a muda.

Pacová

Tipicamente tropical, a babosa-de-pau possui folhas brilhantes e textura que lembra o couro. Deve ser cultivada em solo sempre úmido e em ambiente à meia-sombra. Também conhecida como babosa-de-pau, ela não deve ser confundida com a babosa (Aloe vera), essa planta é diferente e exige outros cuidados. | R$ 25,00, a muda.

Filodendro

Sua folha em formato de coração é reconhecida facilmente. O filodendro é uma planta originária do Brasil e deve ser mantida afastada de luz direta do sol, mas em um ambiente claro. Sua irrigação acontece sempre que a terra estiver seca. | R$ 35,00, a muda.

Bromélia

A planta traz tons de cores complementares: vermelho que entra em contraste com verde escuro. A luminosidade deve ser indireta, já que a incidência contínua da luz do sol queima a folhagem. Precisa de irrigação frequente, a cada dois dias. | R$ 10,00, a muda.

Jade

A semelhança da Jade com uma mini-árvore diverte o ambiente. Com crescimento lento, a planta tem folhas de um tom verde azulado. Faça com que a espécie recebe a luz direta do sol ao menos em algum parte do dia. Sua irrigação não deve deixar o solo úmido e pode acontecer uma vez por semana. | R$ 25,00, a muda.

Bambu da sorte

Essa espécie não gosta muito de luz e adora umidadeótima para ser colocada até mesmo em banheiros. Ainda assim, você precisa ter o cuidado de regar constantemente. Segundo a filosofia do Feng-Shui, é uma planta que traz boas energias. | R$ 10,00, a muda.

Azaleia

Essa planta exige incidência direta do sol, o que é bom para mantê-la em lugares como varandas. Suas flores podem ter diversas cores, como rosa, vermelho e branco. A irrigação deve ser regular, uma média de dois em dois dias. | R$ 25,00 a muda.

Para que a decoração das plantas em seu apartamento fique mais especial, é importante dar um cuidado na maneira como elas estarão dispostas. Confira abaixo mais algumas opções de vasos para deixar o ambiente mais bonito, único e delicado.

Fonte: Hometeka

7 dicas baratinhas para decorar o primeiro apartamento

Se o espaço é pequeno – e a grana também – , as nossas dicas vão cair muito bem. Aproveite!

decorar-ap

O primeiro apartamento a gente nunca esquece! Apesar do êxtase da conquista, as despesas são tantas que a decoração sempre fica em segundo plano. Tem que reformar, pintar, trocar alguns materiais, pagar IPTU, parcela, aquecedor e muito mais. Calma! Antes de apoiar a TV na caixa e abrir a cadeira de praia como sofá, nós vamos ajudá-lo. Preparamos algumas dicas legais e baratinhas para ajudar na decoração do seu primeiro apê. Olha só:

Objetos de diferentes épocas e procedências, arrematados em feirinhas de antiguidades e brechós, ficam à vista no living | Uma antiga arandela trazida de Londres pontua a parede do lavabo, onde o gabinete da pia é um móvel um móvel chinês adaptado (Foto: Edu Castello/ Editora Globo)
(Foto: Edu Castello/ Editora Globo)

Frequente brechós
Durante um passeio aos principais brechós da cidade, você vai descobrir itens de decoração incríveis, cheios de histórias, sem gastar muita grana. Objetos e móveis usados, revitalizados e bem conservados custam bem menos. Vale a pena passear pelas prateleiras com o olhar atento. Certamente, a visita vai render ótimos achados.

tutorial casa e jardim; lustre (Foto: Thais Del Gaudio)
(Foto: Thais Del Gaudio)

Faça você mesmo
Aceite o desafio e coloque a mão na massa. Você conhece a nossa websérie Tutorial? Nela, a equipe de Casa e Jardim entra em ação e te ensina a criar objetos para decorar a sua casa. O pendente de barbante que você vê na foto acima foi feito pelo editor de arte Fabiano Spadari, mas tem muito mais. Você pode aprender a customizar uma cabeceira, fazer uma cesto para colocar em cima da mesa, um quadro de boas-vindas. Ideias não faltam!

A opção pela cabeceira no quarto do casal veio para atender ao pedido da moradora por matérias sustentáveis, as ripas são de madeira cumaru com selo de reflorestamento. Cabeceira Fernando Jaeger e criado-mudo Tok&Stok (Foto: Maira Acayaba)
(Foto: Maira Acayaba)

Faça planos a longo prazo
Não adianta gastar muito dinheiro em uma peça da moda. Daqui há alguns anos, você vai querer trocá-la. Nesse primeiro apê, invista em móveis, acessórios e itens de decoração que você possa levar com você na mudança para a sua próxima casa –  e certifique-se que vai continuar a amá-los nos próximos anos.

O antigo móvel de farmácia foi transformado com pintura spray, seguida pela colagem de adesivos de vinil, com motivos florais e de círculos. A peça organiza brinquedos e livros no quarto do bebê. (Foto: Casa e Jardim)
O antigo móvel foi transformado com pintura spray, seguida pela colagem de adesivos de vinil, com motivos florais e de círculos.  (Foto: Casa e Jardim)

Tinta spray, sua nova melhor amiga
Lembra dos itens antigos que você comprou no brechó? E daquela peça que você amava há 2 anos, mas agora não mais? A tinta spray pode ser a solução. Ela é capaz de recuperar uma peça antiga ou dar um up naquele objeto que está encostado. Tudo sem gastar muito.

cama-com-nichos (Foto: Lufe Gomes)
(Foto: Lufe Gomes)

Invista em peças multiúso
Se, além de dinheiro curto, o espaço é pequeno, invista em móveis e peças multiúso. A estrutura de madeira dessa cama, por exemplo, permite que você aproveite o espaço embaixo para guardar edredons e cobertores.

A chaleira antiga vira porta-talher: maneira original de organizar a mesa e remeter a um aconchego de fazenda. Colheres Tania Bulhões (Foto: Rogério Voltan/Editora Globo)
A chaleira antiga vira porta-talher: maneira original de organizar a mesa. (Foto: Rogério Voltan/Editora Globo)

Investigue a casa dos familiares
Sabe aquele ambiente que se guarda tudo o que não é usado com frequência? Que tal dar uma olhadinha nesses espaços na casa dos parentes? Você pode descobrir muita coisa antiga e bem conservada para o seu apê, e o melhor, de graça!

Se falta espaço nas paredes, use o teto para instalar prateleiras, como neste projeto do arquiteto Maurício Arruda. É ótimo para colocar itens necessários, mas pouco usados no dia a dia. (Foto: Lufe Gomes/Life by Lufe)
Se falta espaço nas paredes, use o teto para instalar prateleiras, como neste projeto do arquiteto Maurício Arruda. É ótimo para colocar itens necessários, mas pouco usados no dia a dia. (Foto: Lufe Gomes/Life by Lufe)

Criatividade para guardar mais coisas
Provavelmente o seu primeiro apartamento também será o seu menor imóvel. E com o espaço reduzido, fica muito mais difícil manter a organização? Tente aproveitar os espaços em cima dos armários ou embaixo da cama e crie prateleiras. Você pode acomodar os objetos em cestos ou paletes.

Fonte: Revista Casa e Jardim

Home office: 12 ideias de décor publicadas no Instagram

Flores, plantas, prateleiras, fotos e até closet foram utilizados para fazer do home office um cantinho cheio de organização, aconchego e estilo

home-office-chic

Deixar o home office organizado, aconchegante e cheio de estilo pode parecer uma tarefa impossível, mas estes 12 ambientes provam que é mais fácil do que você imagina. Para todos os gostos, eles usam e abusam de flores, plantas, fotos e detalhes marcantes – todas dicas fáceis que você pode fazer em casa. Confira:

1. Flores na mesa

Reprodução | Instagram @neueblvd
01-home-office-instagram

 

2. Rosa + turquesa

Reprodução | Instagram @tobiassikstrom
02-home-office-instagram

 

3. Inspiração escandinava

Reprodução | Instagram @julie_eye_see
03-home-office-instagram

 

4. Galeria de fotos

Reprodução | Instagram @cyliaherbertson
04-home-office-instagram

 

5. Home office + closet

Reprodução | Instagram @_harlowejames
05-home-office-instagram

 

6. Pontos de cor

Reprodução | Instagram @mariannetaylor
06-home-office-instagram

 

7. Tons neutros e muito conforto

Reprodução | Instagram @taylorsterling
07-home-office-instagram

 

8. Metais e mármore nos detalhes

Reprodução | Instagram @gingerhearts
08-home-office-instagram

 

9. Com plantas

Reprodução | Instagram @fridayafternoon_sundaymorning
09-home-office-instagram

 

10. Espaço dividido

Reprodução | Instagram @ericaaulds
10-home-office-instagram

 

11. Multiúso: home office e quarto de hóspedes

Reprodução | Instagram @braunadams
11-home-office-instagram

 

12. Bem descolado

Reprodução | Instagram @arloandco
12-home-office-instagram

 

Fonte: Casa Abril

Apartamento de 66 m² traz dicas para ganhar espaço na reforma

Iluminação esperta e paredes a menos criam aconchego em lar de solteiro

ap 66

Logo após o divórcio, o dono desse apartamento, em Vila Ipojuca, São Paulo, desejava viver em um ambiente descontraído. O apartamento de 66 m² tinha espaço mais do que suficiente para suas necessidades, mas precisava de algumas adequações − uma sensação maior de aconchego estava entre pedidos do morador.

Apartamento Bianchi Lima (Foto: Divulgação)

O primeiro passo foi ampliar o estar. Como em todas as reformas, escolhas precisam ser feitas para otimizar ambientes, e esse processo não foi diferente para as arquitetas Juliana Bianchi e Amanda Lima, do Bianchi e Lima Arquitetura e Interiores.

A planta original do apartamento tinha dois quartos. Para angariar mais espaço para a área social, uma das paredes foi destruída, entregando metragem extra para a área social. Entre a cozinha e a sala, uma meia parede também foi demolida. Uma estante entrou em cena, separando, mas sem isolar, os dois ambientes.

Apartamento Bianchi Lima (Foto: Divulgação)

Uma escolha sábia na iluminação também colabora para aumentar os ambientes: “usamos iluminação embutida, que gera um resultado menos visualmente poluído”, explicam Juliana Bianchi e Amanda Lima.

Apartamento Bianchi Lima (Foto: Divulgação)

Apesar da aparente dificuldade em tornar um ambiente mais amplo, o principal desafio da reforma foi o uso de cores escuras e chamativas, sem que o ambiente ficasse cansativo ou pesado. “Pelo contrário, o espaço ficou moderno, com tons neutros e toques de preto, azul e amarelo”, comenta o escritório.

Apartamento Bianchi Lima (Foto: Divulgação)

Outro desejo do morador era um canto de leitura – tanto para os momentos de relax quanto para organizar todas as suas obras da literatura. Uma estante com nichos aleatórios ganha função múltipla ao contar com três portas de correr, além de gavetas internas para armazenar objetos pessoais.

Apartamento Bianchi Lima (Foto: Divulgação)

O móvel é de freijó, assim como o painel da sala de jantar − o material é queridinho das arquitetas, e foi aplicado com rigor nos espaços. “Por mais que o aparador amarelo seja mais ousado, para nós a estante é o elemento mais especial no living, com os tons de madeira freijó e toques de cinza claro em alguns nichos”, confessam Bianchi e Lima. Metragem enxuta, mas estilo de sobra para o apartamento!

Apartamento Bianchi Lima (Foto: Divulgação)

Apartamento Bianchi Lima (Foto: Divulgação)

Apartamento Bianchi Lima (Foto: Divulgação)

Apartamento Bianchi Lima (Foto: Divulgação)

Apartamento Bianchi Lima (Foto: Divulgação)

Apartamento Bianchi Lima (Foto: Divulgação)

Apartamento Bianchi Lima (Foto: Divulgação)

Apartamento Bianchi Lima (Foto: Divulgação)

 

Apartamento Bianchi Lima (Foto: Divulgação)

Fonte: Casa Vogue

Casa na Serra integra natureza e estilo provençal

O lar é a realização de um sonho da família: ter um recanto aconchegante para receber familiares e amigos

Casa na serra

Ao entrar nessa casa de campo em Nogueira, na região serrana do Rio de Janeiro, a sensação é de ser transportado para o interior da Europa. O estilo provençal inspirado nas pequenas vilas francesas dão um charme único à residência e garantem muita integração com a natureza.

A escolha pelo imóvel foi ao encontro do desejo da família de ter um lugar aconchegante para receber amigos e familiares nas férias e feriados. E espaço para atividades é o que não falta: o terreno tem 4.000 m² divididos em casa principal de 400 m², casa de hóspedes de 300 m² e estábulo de 80 m².

A decoração da casa assinada pela designer de interiores Lu Kremer foi toda garimpada em uma só loja de móveis e objetos de estilo francês do século XVIII, a Secrets de Famille. Por esse motivo, a sensação é que tudo na casa conta uma história. Os vasos, por exemplo, são da cidade de Anduze, na França, e antigamente serviam para carregar laranja. Até hoje a fábrica é mantida, e os objetos são confeccionados manualmente com o mesmo tipo de material, um barro especial da cidade.

A área externa também ficou aos cuidados de Lu, que finalizou o décor com um projeto de paisagismo de encher os olhos.

O hall de entrada ganhou quadros laterais à porta chamados de Les Herbiers. Adquiridos em leilão, as peças são originais de famílias que antigamente tinham o costume de catalogar em livros as plantas existentes em seus jardins (Foto: Divulgação)
O hall de entrada ganhou quadros laterais à porta chamados de Les Herbiers. Adquiridas em leilão, as peças são originais de famílias que antigamente tinham o costume de catalogar em livros as plantas existentes em seus jardins.
O móvel azul é um drapier, muito comum no século XVII. A cor foi escolhida pela proprietária no catálogo Flamant, uma loja francesa com paletas especiais de cores inspiradas em Provence, região da França (Foto: Divulgação)
O móvel azul é um drapier, muito comum no século XVII. A cor foi escolhida pela proprietária no catálogo Flamant, uma loja francesa com paletas especiais de cores inspiradas em Provence, região da França. Na parede, tinta cinza em tom claro (C154), da Suvinil.
A sala ganhou um sofá feito sob medida para complementar os móveis da Secrets de Famille. Na parede foi aplicada tinta Suvinil, cor R109 (Foto: Divulgação)
A sala ganhou um sofá feito sob medida para complementar os móveis da Secrets de Famille. Na parede, cor R109, da Suvinil.
Antes da reforma, a casa de hóspedes era um estribo. Depois da transformação, os dois andares foram divididos em sala de estar, salão de jogos com lareira, biblioteca, varanda, copa, cozinha e cinco suítes (Foto: Divulgação)
Depois da reforma, a estrebaria foi transformada em um espaçoso quarto de hóspedes.
O quarto principal tem espelho e cabeceira da Secrets de Famille. E o tapete é o clássico Klim Bessarabian  (Foto: Divulgação)
O quarto principal tem espelho e cabeceira da Secrets de Famille. E o tapete é o clássico Kilim Bessarabian.
Nas paredes do lavabo a tinha escolhida foi Suvinil, cor C167. Tapete Kilim Afghan (Foto: Divulgação)
Nas paredes do lavabo a tinta escolhida foi a cor C167, da Suvinil. Tapete Kilim Afghan.
Paisagismo executado também pela Lu Kreimer com espécies já existentes na propriedade. Em alguns casos, foi preciso replantar árvores para que o espaço ganhasse um ar selvagem  (Foto: Divulgação)
Paisagismo executado pela designer de interiores Lu Kreimer com espécies já existentes na propriedade. Em alguns casos foi preciso replantar árvores para que o espaço ganhasse um ar selvagem.
Os vasos de Anduze completam o ar provençal e cheio de história do lar (Foto: Divulgação)
Os vasos de Anduze completam o ar provençal da casa cheia de histórias para contar.

Vidro na decoração de interiores: inspire-se e saiba como utilizar

vidros na casa

Seja para deixar um ambiente mais leve e transparente, ou até para dar aquela sensação de espaço maior, o vidro é um dos materiais mais escolhidos por profissionais e clientes em projetos de design de interiores.

Muito além do espelho e box para banheiros, é possível aplicá-lo de diversas maneiras dentro e fora de casa, desde a fachada até em objetos decorativos para sua sala de estar.

Confira agora as dicas que reunimos para quem deseja ter o vidro na decoração, além de inspirações para apostar no material:

Apartamento de 45m² com divisória de vidro
Apartamento de 45m² com divisória de vidro

Sem dúvida, uma das principais vantagens em utilizar vidros e espelhos na decoração é criar a sensação de amplitude nos ambientes – o que é excelente para quem mora em apartamentos ou casas pequenas.

Além de combinarem com praticamente todos os cômodos da casa, os espelhos são uma opção super prática para aplicar o vidro na decoração. Nas paredes do banheiro, no quarto ou nas portas de armários, é só escolher o modelo e tamanho que mais combina com o estilo da sua casa.

E o que pode ser melhor do que unir praticidade e elegância em um ambiente? Por ser um material resistente e sofisticado, o vidro é uma ótima alternativa para dar aquele up no seu cômodo, seja nas paredes ou em outros itens de decoração.

Para dividir ambientes, você pode investir em painéis de fechamento, divisórias e paredes de vidro, utilizando vidros refletivos ou serigrafados – que permitem que o material seja aplicado em diferentes cores e estampas – para garantir a privacidade. Além da amplitude, essa opção é interessante para melhorar a luminosidade do seu espaço.

Box de banheiro | Projeto executado pela Divinal Vidros
Box de banheiro | Projeto executado com os produtos da Divinal Vidros

Dependendo do local onde você mora, além de investir nas divisórias de vidro, é interessante utilizar paredes de vidro também na fachada e paredes externas de casa para aproveitar a iluminação natural, o que permite que você poupe energia elétrica e ainda valorize sua vista. Como inspiração, temos a capa deste post: a Casa de Vidro, projeto de Cristina Menezes premiado na Casa Cor Minas 2015 e executado com os produtos da Divinal Vidros.

Dentro dos cômodos, existem diversas formas de inserir o material. Quer modernizar sua mesa? Que tal apostar em um tampo de vidro? Para receber os amigos, você também pode optar por uma mesinha de centro, uma mesa lateral para transformar a sala em um bar ou até esculturas de vidro, que dão um toque a mais de sofisticação.

Mesinha lateral ao sofá com tampo de vidro
Mesinha lateral ao sofá com tampo de vidro

Com tantas vantagens e resultados incríveis, dá até vontade de ter vidro por toda a casa, né?

Fonte: Hometeka