8 obras da arquitetura moderna para visitar durante a Rio 2016

rio 2016

A produção moderna é um marco na história da arquitetura no Brasil e o Rio de Janeiro abriga belos exemplos de edifícios modernistas. Faltando poucos dias para o início dos Jogos Olímpicos Rio 2016, o site Dezeen selecionou oito obras modernistas para visitar na cidade maravilhosa. A lista inclui um pouco de tudo: instituições culturais, igrejas, casas, edifícios residenciais e até o calçadão de Copacabana. Confira:

1. Museu de Arte Contemporânea de Niterói, de Oscar Niemeyer

01-museu-de-arte-contemporanea-de-niteroi

Com sua forma de tigela sobre um pedestal e uma passarela vermelha sinuosa, o museu projetado pelo mais famoso arquiteto brasileiro oferece vista para a Baía de Guanabara.

 

2. Catedral Metropolitana de São Sebastião do Rio de Janeiro, de Edgar Fonseca

02a-catedral-metropolitana-de-sao-sebastiao-do-rio-de-janeiro

A catedral ganhou a forma de um cone de concreto de 96 metros de altura e com padrão em grade. Quatro vitrais colorem o interior da igreja e deixam a luz natural entrar.

02b-catedral-metropolitana-de-sao-sebastiao-do-rio-de-janeiro

 

3. Palácio Gustavo Capanema, de Lucio Costa

03a-palacio-gustavo-capanema

Um dos primeiros exemplares da arquitetura moderna no Brasil, o edifício funcionou como sede do Ministério de Educação e Cultura. Apoiado em pilotis de dez metros de altura, o prédio abriga um jardim projetado por Roberto Burle Marx e painéis de azulejos de Cândido Portinari.

03b-palacio-gustavo-capanema

 

4. Conjunto Residencial Prefeito Mendes de Moraes, de Affonso Eduardo Reidy

04a-edificio-pedregulho

Mais conhecido como Pedregulho, o edifício de 1947 abriga 328 unidades habitacionais, destinadas a funcionários públicos quando o Rio era a capital federal. A estrutura de concreto ondulada é cortada ao meio por uma passarela.

04b-edificio-pedregulho

 

5. Instituto Moreira Salles, de Olavo Redig de Campos

05-instituto-moreira-salles

Hoje sede do instituto cultural, a construção foi projetada originalmente para ser a casa da família Moreira Salles. Com paredes de vidro em três lados, a residência se abre para o jardim com uma piscina de forma irregular desenhada por Roberto Burle Marx.

 

6. Casa das Canoas, de Oscar Niemeyer

06a-casa-das-canoas

A casa projetada por Niemeyer para ele mesmo e sua família tem um telhado branco cheio de curvas. Apoiado em pilares finos, ele cobre porções da área externa e as fachadas de vidro.

06b-casa-das-canoas

 

7. Museu de Arte Moderna, de Affonso Eduardo Reidy

07-museu-de-arte-moderna-do-rio-de-janeiro

O museu é marcado pela fileira de colunas de concreto, que se angulam para o exterior. Do terraço, os visitantes têm vistas da Baía de Guanabara e do Pão de Açúcar.

 

8. Calçadão de Copacabana, de Roberto Burle Marx

08-calcadao-de-copacabana

Quem vai assistir aos jogos de vôlei de praia em Copacabana vai ver também as ondas formadas pelos mosaicos que Burle Marx desenhou e que correm paralelos à areia.

Fonte: Casa Abril

Família gasta 56 mil reais e transforma sala de jantar em Hogwarts

Após 18 meses comprando itens necessários para a transformação, levou mais de um ano para a sala de jantar da família inglesa ficar pronta

Harry Potter

Foi depois de uma visita ao tour Making off Harry Potter, na Warner Brothers Studios em Londres, que a inglesa Charlotte Kyriakou teve, ao lado do marido e dos três filhos – Kiri, de seis anos, Max, de quatro, e Eleni, de três – a brilhante ideia de transformar a sala de jantar de sua casa em uma réplica de Hogwarts, a escola de magia e bruxaria onde Harry Potter estuda nos livros e filmes da franquia. Quem é fã da saga entende completamente os sentimentos da família (e fica invejando a reforma). Mas a tarefa não foi fácil: além de mudar a sala de estar de lugar para dar mais espaço à empreitada, eles abriram mão da possibilidade de se mudar para um lugar maior e gastaram aproximadamente 56 mil reais para realizar o projeto. Ao todo, foram 18 meses procurando e comprando todos os objetos que fariam parte da nova decoração, que levou mais de um ano para ficar pronta.

01-mae-transforma-sala-jantar-em-hogwarts-harry-potter

Entre as mudanças no ambiente, o piso ganhou limestone e as paredes foram revestidas com pedras falsas e painéis de madeira feitos pelo pai da família – tudo para aproximar-se ao máximo do estilo do castelo de Hogwarts. Na decoração, as peças principais são a mesa e as cadeiras de madeira, os candelabros, as flâmulas das quatro casas da escola e a armadura, comprada na Alemanha. “Nós estivemos colecionando itens de lojas de antiguidades. Nós temos muitas réplicas e duas peças originais dos filmes. Nós temos uma das cartas jogadas pela lareira que compramos de um negociante, que custou 200 libras (aproximadamente 263 dólares). Nós também temos uma bruxa em um vidro que era do escritório do professor Lupin no terceiro filme, que custou 350 libras (aproximadamente 460 dólares)”, Charlotte disse ao Daily Mail, que deu a notícia.

08-mae-transforma-sala-jantar-em-hogwarts-harry-potter

Para completar a decoração, réplicas do Mapa do Maroto e do Chapéu Seletor, varinhas, um boneco do elfo Dobby e uma pelúcia da coruja Edwiges completam o espaço ao lado de vidros de poções, livros, malas e pôsteres. “Nós amamos [a transformação]. Definitivamente valeu o dinheiro que gastamos”, a mãe completa. Os grandes fãs do espaço, no entando, são os filhos do casal, que podem realizar o sonho de muitas crianças (e adultos) mundo afora: o de crescer em Hogwarts. Confira mais fotos na galeria abaixo:

03-mae-transforma-sala-jantar-em-hogwarts-harry-potter

Fonte: Casa Abril

14 casas (lindas) em que o telhado é o destaque para você se inspirar

Nestas casas, quem rouba a cena é o telhado, que toma formas diferentes, leva materiais inusitados e recebe coberturas verdes

casa com telhado

Os telhados convencionais não têm espaço nestas 14 casas. Aqui, as linhas retas e onduladas, ao lado das formas geométricas e de diferentes materiais e cores, tomam conta do espaço e roubam a cena, inclusive abrigando piscinas e jardins verdes. Confira a nossa seleção abaixo:

01-casas-lindas-telhado-destaque

Com revestimentos diferentes, picos e ondas, a casa Beach Bay Point leva assinatura do escritório Meyer & Meyer Architecture and Interiors.

02-casas-lindas-telhado-destaque

Nesta casa, as telhas imitam o tom dourado, que contrasta com as peças mas escuras que emolduram as janelas, também em tom terroso.

03-casas-lindas-telhado-destaque

Do studio mk27, a Casa da Mata, no Guarujá, em São Paulo, instalou um telhado verde acima da área da piscina.

04-casas-lindas-telhado-destaque

Construída ao lado de uma pedra, esta casa de veraneio foi projetada pelo estúdio norueguês Lund Hagem e tem um telhado que imita uma escada.

05-casas-lindas-telhado-destaque

Moderna e toda branca, a Casa MM, do OHLAB em Mallorca, na Espanha, conta com um telhado geométrico vazado.

06-casas-lindas-telhado-destaque

Bem clássica e com aspecto de castelo, a casa para onde a família Obama vai se mudar no ano que vem foi construída em Washington em 1928.

07-casas-lindas-telhado-destaque

Esta casa, parcialmente subterrânea, foi construída nas colinas do Los Alamos Valley, na Califórnia, por Gary Tucker, pupilo do arquiteto Frank Lloyd Wright. Na foto, o telhado pode se passar por um jardim.

08-casas-lindas-telhado-destaque

Em Londres, este telhado foi construído com sete mil garrafas de plástico e deu charme à esta cabana.

09-casas-lindas-telhado-destaque

Esta casa nas montanhas de Berkshire, que segue a máxima da matemática da espiral de Fibonacci e conta com um telhado bem geométrico.

10-casas-lindas-telhado-destaque

Na Meera House, o gramado está na cobertura e na varanda – projeto do inglês Guz Wilkinson.

11-casas-lindas-telhado-destaque

O Studio NMinusOne posicionou os cinco andares desta casa em cascata, acompanhando o desenho da montanha em Whistler, no Canadá.

12-casas-lindas-telhado-destaque

O telhado curvo é a primeira coisa que se nota na casa Sunset Cliff, em Vermont, nos Estados Unidos. Projeto de Birdseye Design.

13-casas-lindas-telhado-destaque

Em diversos níveis, as telhas da Upstate Manor, projeto de Meyer & Meyer Architecture and Interiors, segue as linhas do telhado, que ganha um movimento ondulado na parte frontal.

14-casas-lindas-telhado-destaque

Ângulos que se desencontram são o destaque da casa Zumbro Zen, que leva assinatura do escritório SALA Architects.

Fonte: Casa Abril

7 ideias de armazenamento para banheiros

decoração banheiro

O banheiro é um dos cômodos da casa que mais precisam de espaço para armazenamento, o que nem sempre cabe em ambientes pequenos. Selecionamos algumas opções para guardar toalhas e itens de higiene pessoal para você escolher de acordo com o tamanho do seu banheiro.

1. Armários

00-inspiracao-do-dia-banheiro-com-subway-tile-cinza-azulado

Quem tem espaço no banheiro, pode investir em armários. Neste ambiente, assinado pelos escritórios MADE Architecture e Elizabeth Roberts Design, o móvel é feito de uma madeira escura.

2. Cestos

22-banheiros-com-cimento-queimado

Para complementar o estilo minimalista deste banheiro, um cesto de vime embaixo da pia guarda as toalhas.

3. Escada

10-banheiros-box-nichos-parede

A pequena escada ao lado da banheira serve de apoio para as toalhas no ambiente do arquiteto Dado Castello Branco na mostra CASA COR São Paulo 2015. Escadas de obra apoiadas na parede também são uma boa opção para pendurar toalhas.

4. Espelheira

04-banheiros-com-cimento-queimado

No projeto de Amadeo Romero, a espelheira de madeira também tem pequenos nichos.

5. Lockers

5-20-boas-ideias-de-armarios-estilo-colegial-na-decoracao

Neste banheiro de estilo urbano, o armário estilo colegial armazena os produtos de banho e completa o décor.

6. Nichos

01-banheiros-box-nichos-parede

Nos nichos iluminados na parede da banheira, os frascos até parecem parte da decoração. O projeto é da arquiteta Cristiana Castro.

7. Prateleiras

02-banheiros-pequenos-que-fogem-do-convencional

Além de perfumes, cremes e outros produtos de uso pessoal, as prateleiras amarelas ainda servem de apoio para os quadros que decoram o banheiro, projetado pela arquiteta Paula Bittar.

Fonte: Casa Abril

10 quartos que provam que a cama não precisa ficar encostada na parede

Tomando uma posição central, livre de paredes, as camas ‘flutuantes’ permitem novas disposições e fluxos na decoração destes dez quartos

cama parede

 

Quando pensamos no layout do quarto, é automático colocarmos a cama encostada em uma das quatro paredes, quando não em duas. Mas essa nem sempre é a melhor opção para o espaço disponível: nestes dez quartos, as camas tomaram uma posição central, livre de paredes e quase ‘flutuante’, que permite novas disposições e fluxos. Confira abaixo a nossa seleção e se inspire nestes ambientes para sair do tradicional e ousar na decoração.
Neste quarto de estilo escandinavo, a cômoda branca fica no centro do quarto, atrás do qual foi colocada a cama, virada para uma das paredes.
02-camas-fora-da-parede-flutuantes
Repleto de painéis de vidro, este ambiente desencostou a cama da parede, mas manteve a privacidade por meio de uma cabeceira independente que, alta, cobre também parte das laterais.
02-camas-fora-da-parede-flutuantes
No centro do quarto, o painel de madeira serve de cabeceira para a cama que, de frente para a área externa, complementa o estilo industrial e rústico do espaço.
03-camas-fora-da-parede-flutuantes
Mais descontraído, este quarto também optou por encostar a cama em uma cômoda, assim como manter a vista da varanda, que também pode ser apreciada da cadeira suspensa.
04-camas-fora-da-parede-flutuantes
Rústico e vintage, o armário sem portas faz vez de cabeceira, apoio para a cama e criado-mudo, abrigando flores, luminárias e outros objetos.
05-camas-fora-da-parede-flutuantes
Com a base neutra em tons que variam do branco ao bege, este ambiente priorizou os detalhes da decoração e a vista privilegiada. Assim, a cama ficou virada para as janelas.
06-camas-fora-da-parede-flutuantes
Bem clean e moderno, mas muito aconchegante, este quarto apostou na mistura entre branco e as tonalidades de azul. No centro, a cabeceira foi integrada à mesa de trabalho e também abriga luminárias.
07-camas-fora-da-parede-flutuantes
Valorizada pela decoração neutra, a vista é o destaque deste ambiente, que conta com uma cama flutuante apoiada no armário e virada para a parede de vidro.
08-camas-fora-da-parede-flutuantes
Quase monocromático, este quarto também optou por deixar a cama encostada em uma cômoda e virada para a janela, que permite que a luz natural seja abundante no espaço.
09-camas-fora-da-parede-flutuantes
No hotel Katamama Suites, na Indonésia, este quarto uniu mesa com cama, economizando espaço e deixando ambas com vista para a varanda.
10-camas-fora-da-parede-flutuantes
Fonte: Casa Abril

Cozinhas americanas: confira vantagens, dicas e fotos

cozinha americana

As cozinhas americanas partem do conceito da integração entre os ambientes da casa.

É uma solução adotada para unir a cozinha com a sala de jantar, com a sala de estar ou até mesmo utilizada em casas e apartamentos de plantas sem paredes.

Hoje, este estilo de cozinha é preferível por 85% dos consumidores, enquanto em 2007 a busca era de apenas 30%, afirmou ao iG Felipe Garcia, gerente de desenvolvimento de produto da construtora Living.

A cozinha americana é caracterizada ao se utilizar uma meia parede ou uma bancada para separar-se do próximo ambiente. A partir dessa ideia central, arquitetos e designers desenvolvem novas técnicas e tendências para enriquecer o ambiente e suas características.

Vantagens

Por se integrar aos demais ambientes, a cozinha americana traz sensação de amplititude do espaço e cria ambientes comuns. Além disso, a dinâmica da casa se torna mais simples, prática e interativa, uma vez que um ou mais cômodos estão agora unidos.

Como consequência da meia parede (ou da sua não presença) surge o balcão, o qual vai permitir a integração e a interação, e este balcão adquire novas funções.

Por outro lado, surgem algumas questões que podem ser encaradas como desvantagens. Já que a cozinha estará integrada a outros ambientes de finalidades diferentes, a preparação de comidas e refeições pode gerar cheiros fortes e que saiam do seu ambiente próprio – mas é claro que já há solução para isso. Continue lendo para saber.

Outro problema é que a cozinha irá gerar mais sujeira em função do uso do fogão, como emissão de gordura. E aqui ocorre o mesmo do anterior: a sujeira não se restringe mais a ficar apenas na cozinha.

Bancada

bancada na cozinha americana

Como já dito, a bancada surge como elemento que integra e traz interação para a cozinha e o ambiente seguinte.

Ela pode e deve ser profundamente explorada. É um elemento que se torna totalmente funcional e estético, já que também faz parte da decoração e dita o estilo desta, como a partir do material escolhido para ser utilizado na superfície, que geralmente deve combinar com os armários e outros objetos do cômodo.

Além de escolher o estilo da bancada, é essencial que o modelo funcione também com a extensão do espaço da cozinha, com o planejamento de quantas pessoas devem ser ali acomodadas e pensar ainda na sua decoração.

Assim, a bancada surge como um elemento multiuso, seja para refeições e coquetéis, um espaço para cooktops e preparação das refeições, um local para que pessoas possam se sentar e interagir com uma comida preparada ali do lado, entre outras funções.

Dicas para montar uma cozinha americana

O funcionamento da cozinha americana deve ser totalmente planejado e isso se reflete na dinâmica do ambiente e na seleção dos elementos ali presentes. Confira algumas dicas.

Organização

Planeje a cozinha para que os itens utilizados no dia-a-dia e no momento de preparação de refeições estejam às mãos de forma prática e simples.

Coifa

Para evitar que o cheiro da preparação de refeições vaze para outros ambientes, uma coifa potente torna-se necessária.

Divisão

Apesar da cozinha americana ser um ambiente integrado, alguns clientes escolhem inserir detalhes que possam conferir uma certa divisão, mas não total, é claro. Isso pode vir de uma porta de correr, que permite momentos de privacidade, ou divisórias de diversos materiais.

Mesa

A mesa pode existir na sala de jantar integrada à cozinha, mas pode ser também o próprio balcão ou existir a partir dele, isto é, o balcão se transformando em uma mesa de jantar. Nesse caso, a mesa deve possuir uma altura menor que o balcão comum. Tal opção é viável principalmente para cozinhas pequenas e apartamentos.

Cadeiras

Uma bancada ou uma mesa integrada pedem ótimas cadeiras. O primeiro caso, pela maior altura, pede por banquetas, que são altas e proporcionais ao tamanho do balcão.

Piso e parede

Já que o estilo americano surge para integrar a cozinha a outros ambientes, um fator que ajuda nessa missão é a escolha dos pisos. Recomenda-se que o material seja o mesmo nos ambientes integrados, dando uma sensação de continuidade, que aquele cômodo não acabou ali.

Mas, ao contrário, a parede não possui essa obrigação. Alguns materiais não são próprios e recomendados como revestimento para cozinha e dificultam a praticidade por ter sua limpeza mais complexa, enquanto outros já são preferíveis, como pastilhas e azulejos.

Iluminação

Geralmente o balcão necessita de uma luz própria para que as ações, como preparação de alimentos, possam ocorrer lá. Assim, não conte apenas com a fonte de luz proveniente da cozinha. Luminárias pendentes são uma ótima opção nesse caso.

Decoração

Eletrodomésticos, revestimentos, armários, bancadas e outros elementos devem ser bem planejados ao serem escolhidos. Pense nas opções que tragam praticidade para a cozinha e que possuam um bom custo-benefício, principalmente a longo prazo.

Fonte: Hometeka

Apartamento de 35 m² aposta na cor branca para ampliar espaço

Marcenaria planejada e outras ideias práticas trouxeram conforto ao projeto

ap branco

 

Quando os filhos começam a estudar longe e mudam de casa, viver em espaços grandes não faz mais sentido para muita gente. É o caso de uma mãe paulistana, que decidiu trocar a antiga unidade por um apartamento pequeno, de apenas 35 m², localizado no bairro Brooklin. Com a metragem reduzida, acomodar todos os pertencentes da moradora foi o principal desafio para os profissionais Marcos Mendes e Júlio Beraldo, do escritório Iná Arquitetura, que apostaram na cor branca e alguns truques de marcenaria para dar a sensação de amplitude necessária.

Apartamento de 35 m² aposta na cor branca para ampliar espaço (Foto: Mayra Acayaba/Divulgação)

Os arquitetos começaram a reforma eliminando a parede que dividia cozinha e sala. Depois, transformaram o antigo banheiro de empregada, que não seria utilizado, em um lavabo para as visitas.

Apartamento de 35 m² aposta na cor branca para ampliar espaço (Foto: Mayra Acayaba/Divulgação)

Apartamento de 35 m² aposta na cor branca para ampliar espaço (Foto: Mayra Acayaba/Divulgação)

A cor branca foi aplicada por todos os cantos, da pintura das paredes aos revestimentos e louças. A opção pelo tom neutro favoreceu os ambientes pequenos e destacou peças coloridas da proprietária, como quadros, vasos e outros acessórios minimalistas.

Apartamento de 35 m² aposta na cor branca para ampliar espaço (Foto: Mayra Acayaba/Divulgação)

Apartamento de 35 m² aposta na cor branca para ampliar espaço (Foto: Mayra Acayaba/Divulgação)

A marcenaria também teve papel fundamental no projeto e esconde alguns truques. Na sala de estar, por exemplo, o painel de MDF que acomoda a TV possui nichos abertos e fechados, exibindo poucas peças para não pesar no visual.

Apartamento de 35 m² aposta na cor branca para ampliar espaço (Foto: Mayra Acayaba/Divulgação)

No caminho para a cozinha, coube no corredor um armário estreito, que não ocupa tanto espaço e permite guardar mais objetos. Um dos armários da cozinha abriga também uma mesa, aberta somente na hora das refeições.

Apartamento de 35 m² aposta na cor branca para ampliar espaço (Foto: Mayra Acayaba/Divulgação)

Apartamento de 35 m² aposta na cor branca para ampliar espaço (Foto: Mayra Acayaba/Divulgação)

Já o único quarto existente traz algumas soluções versáteis: uma bicama e um beliche feitos sob medida permitem que a moradora receba os filhos. Prova de que espaços pequenos podem, sim, ter o máximo de conforto!

Apartamento de 35 m² aposta na cor branca para ampliar espaço (Foto: Mayra Acayaba/Divulgação)

Apartamento de 35 m² aposta na cor branca para ampliar espaço (Foto: Mayra Acayaba/Divulgação)

Apartamento de 35 m² aposta na cor branca para ampliar espaço (Foto: Mayra Acayaba/Divulgação)

Fonte: Casa Vogue

15 ideias para decorar o quarto do bebê

quarto de bebe

Está se preparando para a chegada de uma nova criança ou quer dar um toque especial ao quarto do pequeno? Possibilidades não faltam para deixar o ambiente lindo e acolhedor! Para te ajudar nessa etapa deliciosa, separamos 15 ideias para decorar quartos de bebê para você se inspirar.

15 ideias para quartos de bebê

Nesse ambiente, optaram pelo uso de cores claras e acentos em cinza – tendência super em alta para quartos infantis. Usada com sabedoria, a cor dá um toque elegante e suave ao quarto do bebê.

15 ideias para quartos de bebê

Nesse projeto, o cinza também foi utilizado de forma sóbria, dando elegância ao ambiente sem deixá-lo carrancudo.

15 ideias para quartos de bebê

No projeto da arquiteta Cristiane Passos, o quarto do bebê foi pensado no ideal montessoriano – que diz que o quarto infantil tem de ser pensado para a criança, de modo que ela consiga se movimentar e explorar sozinha. Nesses moldes, o berço é abolido e dá lugar a um colchão no chão, permitindo que o pequeno se deite e levante como desejar, sem precisar de auxílio dos pais. Para recém-nascidos, a ideia também pode ser utilizada, no entanto é recomendado o uso de cercadinhos ou almofadas (como na foto) para maior segurança.

15 ideias para quartos de bebê

Aqui neste outro quarto montessoriano, pode-se ver que não é só pela cama ser no chão que ela não pode ser atrativa! O tema de super-heróis deu um charme especial a esse cantinho.

15 ideias para quartos de bebê

Além do cinza, outra tendência é o uso de padrões geométricos. Que tal investir em papéis de parede, jogos de cama ou tapetes com esse estilo?

15 ideias para quartos de bebê

Outro exemplo de como os padrões geométricos podem dar um toque especial ao quarto do bebê! Neste projeto, foram utilizadas cores mais sóbrias e minimalistas, conferindo elegância ao ambiente.

15 ideias para quartos de bebê

Nesse quarto, o chevron – esse padrão de listras em V, foi usado nas cortinas. E esse móbile de nuvens não é uma graça?

15 ideias para quartos de bebê

Um jeito simples de deixar o ambiente mais estiloso é apostar em cortinas coloridas! Esse quarto, apesar de ter as paredes brancas, não ficou nada monótono com ajuda das cortinas turquesa e do papel de parede colorido no teto.

15 ideias para quartos de bebê

Pequenos quadros também são itens simples que podem dar um charme especial ao cantinho do bebê.

15 ideias para quartos de bebê

Outra solução para encher o quarto de vida é apostar num bercinho colorido, como neste ambiente.

15 ideias para quartos de bebê

Os tons claros são os favoritos na hora de decorar os quartos dos recém-nascidos, e nesse ambiente não foi diferente! Os detalhes em tons pastéis claros e uma boa iluminação tornaram este quarto ainda mais atrativo.

15 ideias para quartos de bebê

No entanto, se tudo branco não é para você, que tal apostar em uma única parede colorida? Neste projeto, os pais escolheram o azul escuro para alegrar o ambiente.

15 ideias para quartos de bebê

Mas o uso de cores pouco convencionais também dá um toque encantador ao cômodo! Que tal, como nesse projeto, apostar no laranja?

15 ideias para quartos de bebê

Se quer fugir ainda mais do convencional, outra opção são as paredes em tons escuros. Veja neste projeto do blog 100 Layer Cakelet, em que mesmo com as paredes escuras, o ambiente ainda ficou leve, com o uso de móveis e itens de decoração claros.

15 ideias para quartos de bebê

Outro quarto de bebê com paredes escuras! Neste foi utilizado um papel de parede colorido no teto, para quebrar a sobriedade.

Fonte: Casa linda

Ideias para decorar a sala de TV

sala de tv

Se você está em busca de inspiração para renovar a decoração da sua sala de TV, chegou ao lugar certo. Reunimos ambientes com diferentes cores, tamanhos, acabamentos e materiais para ajudar você na missão de transformar a sua casa. Dessa forma, a sua sala vai se tornar o ambiente perfeito para reunir a família e aproveitar momentos de lazer. Conforto é a palavra de ordem. Inspire-se com alguns espaços assim:

Para otimizar o espaço, a saída dos arquitetos Carla Mattioli e Maurício Pinheiro foi unir sala de TV e escritório no andar de cima da casa de três pavimentos. Predomina a sobriedade, mas os detalhes levam cores marcantes (Foto: Lufe Gomes/Editora Globo)

Para otimizar o espaço, a saída dos arquitetos Carla Mattioli e Maurício Pinheiro foi unir sala de TV e escritório no andar de cima da casa de três pavimentos. Predomina a sobriedade, mas os detalhes levam cores marcantes.

Ideal para reunir a família, a sala de TV da arquiteta Renata Cáfaro é colorida, ampla e luminosa. É, oficialmente, a sala da bagunça, criada para os filhos (Foto: Luis Gomes/Editora Globo)

Ideal para reunir a família, a sala de TV da arquiteta Renata Cáfaro é colorida, ampla e luminosa. É, oficialmente, a sala da bagunça, criada para os filhos.

Diante da parede com tijolos, um aparador alongado apresenta diferentes madeiras e volumes, projetado pela arquiteta Fabiana Avanzi. Ela assina a decoração da sala ampla, iluminada e moderna (Foto: Victor Affaro/Editora Globo)

Diante da parede com tijolos, um aparador alongado apresenta diferentes madeiras e volumes, projetado pela arquiteta Fabiana Avanzi. Ela assina a decoração da sala ampla, iluminada e moderna.

Poltronas confortáveis e aparador de peroba do campo acomodam o espaço para a TV, que tem também um inusitado balanço com flores. Assinado pelos arquitetos Cyntia Issa, Rogério Cruz, Silvia Cavalcanti e Flavia Torres (Foto: Denilson Machado/Editora Globo)

Poltronas confortáveis e aparador de peroba do campo acomodam o espaço para a TV, que tem também um inusitado balanço com flores. Assinado pelos arquitetos Cyntia Issa, Rogério Cruz, Silvia Cavalcanti e Flavia Torres.

Os tons de roxo são uma das características do estilo bohemian. No projeto do arquiteto Thiago Passos, foram usado no sofá, nas almofadas desparceiradas e nos pufes (Foto: Lufe Gomes/Editora Globo)

Sofá confortável, muitas almofadas, pufes gigantes feitos de crochê e tapete macio. Ambiente ideal para se largar por algum tempo em frente à TV. As peças de cores fortes quebram a neutralidade. Projeto do arquiteto Thiago Passos.

As almofadas que enfeitam o grande e confortável sofá são feitas de lenços da grife Pucci. A porta de correr verde separa o ambiente do living. Ideia da arquiteta Andrea Murao (Foto: Cacá Bratke/Editora Globo)

As almofadas que enfeitam o grande e confortável sofá são feitas de lenços da grife Pucci. A porta de correr verde separa o ambiente do living. Ideia da arquiteta Andrea Murao.

O fechamento com vidro fixo acima da viga permite farta entrada de luz natural no ambiente. O painel com móvel baixo abriga a TV e equipamentos. A sala ampla, para toda a família, é proposta da arquiteta Cristina Cukier (Foto: Edu Castello/Editora Globo)

O fechamento com vidro fixo acima da viga permite farta entrada de luz natural no ambiente. O painel com móvel baixo abriga a TV e equipamentos. A sala ampla, para toda a família, é proposta da arquiteta Cristina Cukier.

Os objetos parecem flutuar sobre as prateleiras da sala de TV projetada pelo arquiteto Gustavo Calazans. O segredo são as finíssimas chapas de aço de 4 mm de espessura, que suportam bastante peso (Foto: Marcelo Magnani/Editora Globo)

Os objetos parecem flutuar sobre as prateleiras da sala de TV projetada pelo arquiteto Gustavo Calazans. O segredo são as finíssimas chapas de aço de 4 mm de espessura, que suportam bastante peso.

A TV está embutida na parede de pedras moledo na criação da arquiteta Carolina Rocco. O aparador baixo acomoda livros e objetos de decoração (Foto: Victor Affaro/Editora Globo)

A TV está embutida na parede de pedras moledo na criação da arquiteta Carolina Rocco. O aparador baixo acomoda livros e objetos de decoração.

Da sala de TV enxerga-se a composição de vasos na varanda. O rack é de freijó com pintura laqueada e é desenho da arquiteta Bruna Riscali, que também assina o projeto. Almofadas, futons e tapete imprimem conforto ao ambiente (Foto: Victor Affaro/Editora Globo)

Da sala de TV enxerga-se a composição de vasos na varanda. O rack é de freijó com pintura laqueada e é desenho da arquiteta Bruna Riscali, que também assina o projeto. Almofadas, futons e tapete imprimem conforto ao ambiente.

O caixilho dos painéis de vidro é recuado um metro para dentro, junto à bancada, dando origem ao jardim interno protegido pelo brise soleil de placas de cimento. Proposta da arquiteta Flavia Petrossi (Foto: Luis Gomes/Editora Globo)

O caixilho dos painéis de vidro é recuado um metro para dentro, junto à bancada, dando origem ao jardim interno protegido pelo brise soleil de placas de cimento. Proposta da arquiteta Flavia Petrossi.

A estante, criada pelo arquiteto Maicon Antoniolli, ganhou caixas cor-de-laranja para a sala/escritório desse apartamento de 96 m² na Vila Olímpia (Foto: Marco Antonio/Editora Globo)

O arquiteto Maicon Antoniolli desenhou tanto o sofá, que serve de cama, quanto a estante com nichos, além da mesa de trabalho. O espaço une sala de TV, escritório e pode receber hóspedes eventualmente.

Discreta e clean, ao lado do hall de entrada, a sala de TV pode ser isolada com o fechamento da porta de correr, que tem acabamento de laca. Projeto do arquiteto Renato Salles (Foto: Luis Gomes/Editora Globo)

Discreta e clean, ao lado do hall de entrada, a sala de TV pode ser isolada com o fechamento da porta de correr, que tem acabamento de laca. Projeto do arquiteto Renato Salles.

Fonte: Casa e Jardim

Estes são os móveis mais loucos que você vai ver

O escultor Michael Beitz, que transforma móveis em obras esculturais para falar sobre relações humanas, está com novas obras

moveis loucos

O escultor Michael Beitz continua experimentando com mobiliário, criando obras esculturais ao repensar itens comuns do cotidiano. A Dining Table, de 2010, é um de seus maiores sucessos, com as cabeceiras ligadas por uma grande curva vertical que cria uma barreira entre quem está sentado. Not Now, de 2014, é tão impressionante quanto a primeira criação. Repare que a mesa está perfeitamente reta, mas acaba emaranhada em si mesma com um nó central.

A complexidade das relações humanas também é pauta de seu novo trabalho. A mesa Table dá uma volta no ar, quase se encontrando para formar um círculo perfeito. Michael diz que a mesa foi feita para refletir sobre a falta da privacidade na comunicação e considerar a armadilha cíclica em que nós, humanos, nos colocamos quando nosso foco é pouco. E você gostou da obra?


              	Dining Table, 2010, madeira

Dining Table, 2010, madeira

 


                              	Dining Table, 2010, madeira

Dining Table, 2010, madeira


          	Not Now, 2014, madeira. A peça é uma extensão da conexão entre comportamentos emocionais e físicos, focando em tensão, distância e falta de comunicação.

Not Now, 2014, madeira. A peça é uma extensão da conexão entre comportamentos emocionais e físicos, focando em tensão, distância e falta de comunicação.


              	Not Now, 2014, madeira

Not Now, 2014, madeira

 


                              	Picnic, 2013, madeira

Picnic, 2013, madeira


              	Roll, 2015, madeira. A peça foi peita para o parque Banksy's Dismaland, no Reino Unido. Ela combina a mesa de pcnic com um rolo de papel higiênico. A ideia é que a peça ofereça um local divertido para sentar e descansar, ao mesmo tempo em que critica a devastação causada no mar pela nossa poluição.Roll, 2015, madeira. A peça foi peita para o parque Banksy’s Dismaland, no Reino Unido. Ela combina a mesa de pcnic com um rolo de papel higiênico. A ideia é que a peça ofereça um local divertido para sentar e descansar, ao mesmo tempo em que critica a devastação causada no mar pela nossa poluição.

Fonte: Casa Abril