Restaurant Week. Os menus de luxo a 20 euros estão de volta (e trazem novidades)

8_luxo

Eis que chegaram as semanas mais aguardadas pelos amantes do bem-comer. A nova edição da Restaurant Week volta a trazer menus especiais em mais de cem restaurantes que participam no evento, que decorre até dia 12 de março.

“Esta é uma forma de democratizar o acesso a restaurantes ditos de luxo”, explica Sérgio Sequeira, responsável pelo The Fork em Portugal, empresa responsável pela organização do evento. Assim, durante duas semanas, pelo valor fixo de 20 euros, os clientes têm direito a um menu elaborado pelos restaurantes e que engloba sempre uma entrada, um prato principal e uma sobremesa (exceção feita às bebidas, que são pagas à parte).

A edição de 2016 já tinha deixado de ser exclusiva de Lisboa e Porto, mas este ano conta com a participação de restaurantes de 20 cidades distribuídas pelos distritos de Lisboa, Porto, Aveiro, Coimbra, Leiria, Évora, Beja, Faro e Funchal. Ao contemplar mais cidades, o evento conta também com uma lista de restaurantes alargada que conta com 20 novas entradas. É o caso do Delfina e do Café Portugal, em Lisboa, o LSD no Porto ou o Vila Tamariz no Estoril.

A lista de espaços aderentes pode ser consultada através do site ou aplicação do The Fork, plataformas que também devem ser usadas para fazer reservas.

Existem dois períodos para fazer a reserva: o primeiro decorreu até dia 1 de março e foi reservado a clientes Millennium, que para usufruir desta prioridade apenas tiveram de fazer o pagamento com o cartão do banco. Para os restantes, as marcações podem ser feitas para a semana entre 2 e 12 de março.

O evento tem tido um crescimento constante e, segundo dados da organização, no ano passado chegou perto dos 30 mil clientes. “A componente solidária chama muita gente”, acredita Sérgio Sequeira. Isto porque, por cada menu de 20 euros, um euro é doado a instituições de solidariedade. A Acreditar, que ajuda as famílias de crianças com cancro, e a Casa Mimar, um centro temporário de acolhimento de crianças em perigo, foram as escolhidas deste ano.

Fonte: Sol.sapo

Millenials são os que mais procuram Turismo de Luxo, aponta pesquisa

1__luxo

A América Latina é uma das regiões com maior porcentagem de pessoas consideradas ultra-ricas no mundo (indivíduos com mais de US$ 30 milhões em investimentos ou patrimônio). Segundo o relatório do Banco do Brasil, Colômbia e Peru ocupam o top 5 mundial na taxa de crescimento de riqueza, enquanto o Brasil soma 56.3% dos ultra high net-worth (UHNW) latino-americanos. De acordo com o relatório World Travel Market Latin America 2016, os brasileiros registraram um crescimento de 42% no aumento de gastos no exterior. O perfil de consumidor que desponta nesse cenário é dos millenials, um terço da população latino-americana, o que torna o continente um dos melhores mercados para o turismo de luxo.

“Enquanto é seguro dizer que os ultra-ricos nunca deixaram de viajar, agora que a situação política e econômica está se acalmando no Brasil, os brasileiros realmente estão retomando suas viagens. Além disso, eles estão explorando novos destinos mais do que antes. Os millenials ao redor do mundo devem gastar 8% mais em itens de luxo, incluindo viagens de alto padrão em 2017”, comenta Simon Mayle, gerente da Travelweek Sao Paulo by ILTM, evento que reunirá mais de 400 marcas, hoteis, companhias e agências de luxo.

Ainda segundo Mayle, os jovens latino-americanos em particular estão procurando maneiras de terem novas experiências e abrirem a mente – trazendo uma aproximação mais pessoal ao turismo. Eles preferem vivências no lugar de coisas e a indústria de viagens de alto padrão está se ajustando para atender essa demanda. Os latino-americanos também têm hospedagens mais longas e cerca de 89% viajam acompanhados de suas famílias. Eles gostam de tomar decisões de última hora e os agentes de viagem desempenham um papel importante nessas escolhas.

“Os viajantes da América Latina ficam por mais tempo, reservam quartos premium e gastam nos lugares que visitam, com comida, compras, spas, entre outras opções. É importante também frisar que eles adoram celebrações – essa é a segunda razão pela qual viajam: 94% dos agentes que estiveram na Travelweek Sao Paulo by ILTM em 2016 disseram que seus clientes planejaram viagens para comemorações com seus amigos ou família”, pontua o executivo.

Refletindo a tendência global, a América Latina também é uma das regiões mais procuradas pelos viajantes de outras partes do mundo – Cartagena na Colômbia, Lima no Peru, Foz do Iguaçu no Brasil e Tulum no México apareceram no top 10 de destinos em ascensão do Tripadvisor.

Fonte: Mercado&Eventos

Primeiro hotel de luxo de Havana abrirá as portas este ano

21_luxo

RIO ­- O embargo econômico dos Estados Unidos ainda está de pé, mas o mercado de luxo parece estar se consolidando em Cuba. O primeiro hotel de luxo da capital Havana deve abrir as portas ainda em 2017, administrado pelo grupo suíço Kiempinski.

Batizado de Gran Hotel Manzana Kempinski La Habana, o cinco estrelas terá 246 quartos e funcionará em um prédio histórico, no centro antigo da capital cubana. O edifício La Manzana de Gómez começou a ser construído em 1890 e só foi concluído na década de 1910, quando se tornou o primeiro centro comercial do país, com mais de 500 lojas e escritórios espalhados por cinco pavimentos.

A fachada original e diversos aspectos arquetetônicos do prédio foram mantidos, como o pé-direito alto nos quartos e suítes. A decoração das habitações segue uma pleta com tons de branco e cinza, mas também toques com cores mais vibrantes, já que se trata de um hotel no Caribe. A suíte presidencial terá 1.600 metros quadrados.

Na cobertura, um terraço e uma piscina terão vista para La Habana Vieja, o centro histórico e colonial da cidade. Entre os marcos nos arredores estão o Edifício Bacardi, o Museu Nacional de Belas Artes e o bar La Floridita ­ um dos preferidos de Ernest Hemingway nos tempos pré­ revolução e dos turistas na atualidade. O Capitólio, O Grande Teatro de Havana e o Paseo del Prado também ficam por perto.

O novo hotel também terá um spa, três restaurantes, um bar no lobby, um lounge para fumar charutos e ­ talvez o maior luxo que se pode encontrar em Cuba ­ internet gratuita em todos os quartos.

Fonte: O Globo

Três pilares das casas de luxo podem desaparecer em 20 anos

15_luxo

(Bloomberg) — Algumas amenidades imobiliárias são eternas — uma vista panorâmica para o Central Park, por exemplo, ou um porteiro que sabe quem é seu motorista preferido. Outras, no entanto, podem ser surpreendentemente fugazes: o que hoje parece um must poderia desaparecer dos empreendimentos de amanhã. A seguir, três itens básicos e inesperados do mercado de imóveis de luxo que, segundo projeções de especialistas, poderiam se tornar obsoletos em breve.

O home theater

O mercado de home theater dos EUA chegou a US$ 1,4 bilhão em 2015, um aumento de mais de 50 por cento desde o mesmo período em 2010, segundo a Cedia, associação comercial para empresas de tecnologia doméstica. Claro que já não basta instalar uma tela gigantesca e um projetor digital: os verdadeiros cinéfilos podem construir sua própria sala Imax por US$ 1 milhão e assinar o Prima Cinema, um serviço estilo Netflix para a fatia de 1 por cento que aluga lançamentos por US$ 500.

Mas esse investimento poderia estar com os dias contados, pelo menos de acordo com o arquiteto Duan Tran, da KAA Design. “Nossos clientes estão pedindo ambientes de realidade virtual completamente envolventes porque eles estão muito ocupados e querem uma dose mais elevada de escapismo”, disse Tran em uma entrevista por telefone, de seu escritório em Los Angeles.

A suíte principal

Suítes enormes já foram o maior troféu de uma casa luxuosa, mas incorporações recentes vêm substituindo esses quartos sem paredes, estilo loft, por um complexo de câmaras privadas, montadas ao redor de um espaço menor e mais aconchegante que abriga apenas a cama. Roy Kim, da Douglas Elliman, usa como exemplo o Park Grove de Miami, projetado por Rem Koolhas. “Você verá uma antessala, como um estúdio ou uma biblioteca, além de um grande closed e um banheiro que parece um spa”, disse Kim em entrevista por telefone, da Califórnia. “As pessoas já não querem entrar sem cerimônia em uma suíte principal e ver a cama — criar privacidade nunca foi tão importante.”

Cozinhas de revista

De acordo com Jonah Disend, fundador da empresa de inovação Redscout, cozinhas complexas que ocupam um lugar central, assim como as suítes principais, são outra das amenidades que estão na lista das espécies em extinção nas casas de alto nível. Em parte, isso se deve a que os serviços de entrega como Blue Apron ou Amazon Prime Now vão minimizar a necessidade de armazenar qualquer coisa além do indispensável, junto com novas amenidades como cozinha centralizada e catering dentro de um empreendimento imobiliário. Um exemplo é o 432 Park Avenue, de Rafael Viñoly, onde Shaun Hergatt, chef premiado com estrelas Michelin, vai comandar um restaurante exclusivo para os moradores, oferecendo o suprassumo das comidas de luxo para levar.

Fonte: UOL

Os 10 hotéis para pets mais luxuosos dos EUA

7_luxo

As acomodações para cães e gatos chegam a oferecer luxos como transporte em Ferrari, máscaras de lama e camas queen-size.

São Paulo – A vida de alguns animais de estimação são motivos de verdadeira inveja para nós. Nesta seleção, confira os dez hotéis mais luxuosos dos EUA voltados para cachorros e gatos.

1. Dpet hotels

Dpet hotels, de Los Angeles, tem suítes com TV de 65 polegadas, Netflix, menu a la carte e lençóis de luxo. Os pets podem ser buscados na residencia e levados para o hotel em carros luxuosos como Ferrari, Lamborghini, Bentley, Porsche ou Rolls Royce.

2. Fitdog Sports Club

Os cachorros que ficarem no Fitdog Sports Club em Santa Monica, são levados para praias e trilhas do sul da Califórnia. As acomodações garantem camas refrescantes para pets peludos, cabelereiro e mini bar.

3. Olde Towne Pet Resort

O Olde Towne Pet Resort, localizado em Washington, inclui um spa com tratamentos em banho de lama e máscaras de blueberry e uma piscina aquecida. O resort ainda oferece suites de 50m², com opção de seleção de imagens e sons familiares ao seu bichinho de estimação.

4. Best Friends Pet Care

Localizado no Walt Disney World, o Best Friends Pet Care oferece acesso ilimitado aos cachorros no parquet e suites luxuosas. Histórias não vão faltar, já que os funcionários irão ler antes de seu pet dormir.

5. The Barkley

Cada suíte no The Barkley, na California, oferece serviço de camareira, além de música suave e televisões. O prédio ocupa uma área de 4.600m².

6. Chateau Poochie

Na Flórida, o Chateau Poochie, disponibiliza agrados como música clássica, acompanhamento por webcam, aromaterapia e pratos gourmets preparados por um chef.

7. Wag Hotels

Os pets que se hospedarem no Wag Hotels, na Califórnia, são mimados com luxos como música e filmes customizados, encontros por vídeo com os donos, acesso à praia Wag Kiki e histórias antes de dormir.

8. Paradise Ranch Pet Resort

Para um cachorro verdadeiramente aventureiro, a escolha certa é o Paradise Ranch Pet Resort, em Los Angeles. Eles são separados pelo seu tamanho e temperament, e alternados em parques luxuosos e divertidos (inclusive um com cachoeira!)

9. Posh Pet Hotel

Com 103 quartos, o Posh Pet Hotel, na Florida, aceita cães e gatos. Os mimos oferecidos são televisões de 42 polegadas, cama queen-size de espuma, vistas panorâmicas e acesso 24 horas à webcam.

10. Pooch Hotel

Com mais de 10 unidades nos EUA, o Pooch Hotel oferece corridas em esteiras, piscinas e cochilos confortáveis. Os quartos possuem luz natural e portas de vidro.

Fonte: Exame

 

Saiba tudo sobre o novo momento do Turismo de luxo

30_turismo

O conceito de luxo mudou no Turismo. Tendências vêm e vão, e agora o momento é totalmente das experiências, do sentido, da lealdade e até do amor. A última edição da ILTM Cannes mostrou que a riqueza dos tempos antigos não faz mais parte do universo das viagens de alto padrão. Expositores e compradores brasileiros estiveram presentes na feira mais importante do segmento, na França, e o Jornal PANROTAS dessa semana aponta que experiências são essas que os players do luxo tanto têm procurado para seus clientes.

Por falar em experiências e em luxo, o JP 1.251 também traz um lindíssimo roteiro de vinho no Vale do Colchagua. O enoturismo nunca sai de moda, e o Chile, tão perto e com boa conexão aérea, é um destino perfeito para apreciar belas paisagens e curtir, no sentido completo, um bom vinho. Desde a história da bebida à sua fabricação, veja o que o Vale do Colchagua oferece de melhor em termos de vinhos, paisagens e cultura.

Também nesta edição:

– CVC de R$ 9 bilhões: como foi 2016 para o grupo, que comprou a Experimento nos últimos dias de 2016;

– MSC Cruzeiros já de olho na temporada 2017/2018; Armadora promete novidades;

– Verão na Argentina: confira as principais dicas para curtir o calor do destino;

– Entrevista com o ministro do Turismo, Marx Beltrão;

– A movimentação de mercado no Surface, PANROTAS Corporativo e muito mais.
O JP 1.251 começa a circular nessa semana nas principais operadoras e agências de viagens de todo o Brasil, mas você pode acompanhar a versão digital completa abaixo. Boa leitura.

 

Fonte: PANROTAS

Um raio-X do turismo de luxo no Brasil

24_luxo

Virtuoso, rede líder de agências de luxo, acaba de anunciar dados do Virtuoso Luxe Report 2017 (virtuoso.com), reconhecido como antecipador de tendências para o mercado de viagens de luxo e experiências. O relatório apresenta informações a preferência dos viajantes de luxo, através de pesquisas anuais com os consultores de viagem ao redor do mundo. Para 2017 consumidores de viagens de luxo, independente do pais de residência, buscam aventuras em regiões menos exploradas e experiências locais personalizadas. O Virtuoso Luxe Report 2017 também revelou que o setor de viagens de luxo está prosperando, com alta de venda nos últimos anos. Virtuoso analisou ainda que há uma maior procura para voos de primeira classe e sem escalas.

No Brasil, a pesquisa foi feita com consultores das 29 agências localizadas em diversas regiões do país. O Luxe Report da Virtuoso mostra, entre outros dados para o mercado brasileiro, a África do Sul como destino forte em várias das listas, até mesmo para viagens de lua-de-mel, e Japão e Portugal surgindo como principais destinos emergentes. Os Estados Unidos e Itália continuam entre os preferidos, e os roteiros internacionais com duração de uma semana aparecem como os principais tipos de viagens dos brasileiros.

Neste ano Virtuoso buscou insights em destinos em rápida transformação, alguns com o risco de desaparecerem. Cuba está no topo da lista, já que há preocupação se o país irá manter o rico patrimônio cultural em face do aumento do turismo. Os consultores também citaram as regiões polares da Antártida e do Ártico, devido à ameaça de aquecimento global. Também integram a lista a Grande Barreira de Corais australiana, que vem sendo afetada pela poluição, e Veneza, cujos canais estão se deteriorando. A ONU elegeu 2017 como o ano do Desenvolvimento do Turismo Sustentável, o que torna este tópico atual e relevante.

Recomendações para 2017

1. Vá em busca de viagens com atividades, já que as viagens de aventura são uma tendência ainda mais forte para o próximo ano. Os conselheiros da Virtuoso recomendam uma lista ampla, incluindo safári africano, nadar com tubarões no México ou Austrália, ou trilha nos Alpes suíços.

2. Surpreenda-se com uma experiência exclusiva: contrate um guia particular ou embarque em um private jet para uma inesquecível viagem de volta ao mundo. Viagens exclusivas são a principal tendência para 2017, seja alugando uma private villa em Anguilla ou uma ilha privativa ou velejando em um iate pela costa croata.

3. Descubra os sabores e coma como um local onde quer que você esteja. Aqui vale fazer aulas de culinária, desbravar os mercados, caçar trufas, jantar em restaurantes renomados ou optar por um jantar “em casa”.

4. Embarque em um cruzeiro que atenda seus interesses e personalidade. Os consultores Virtuoso recomendam os cruzeiros pela comodidade, custo-beneficio e variedade de opções. Cruzeiros fluviais proporcionam imersão cultural e a oportunidade de explorar o coração de um destino. Cruzeiros de expedição continuam ganhando popularidade, voltados mais para o contato com a natureza e itinerários para destinos remotos.

Veja os principais resultados que apontam destinos e tendências para o mercado de viagens de luxo no Brasil em 2017 dentro do Virtuoso Luxe Report:

Principais Destinos Emergentes
1. Portugal
2. Japão
3. África do Sul e Cuba
4. Índia e Myanmar
5. Antártida, Galápagos, Brasil e Islândia

Principais Destinos Internacionais
1. Estados Unidos
2. Itália
3. Austrália, Japão, França e Portugal
4. Emirados Árabes Unidos
5. África do Sul, Tailândia e Peru

Principais destinos nos EUA
1. Nova York
2. Miami
3. Los Angeles
4. Las Vegas
5. San Francisco

Principais destinos para viagem em família
1. África do Sul e Estados Unidos (NY e Orlando)
2. Itália
3. Austrália, Portugal e Brasil
4. Bahamas e México
5. Turks & Caicos, Grã-Bretanha, França e Chile

Principais destinos de aventura
1. África do Sul
2. Nova Zelândia
3. Austrália e Galápagos
4. Costa Rica, Chile, Antártida e Canadá
5. Botswana, Quênia, Tanzânia, Tailândia, Islândia

Principais destinos de lua de mel
1. Maldivas
2. Itália
3. Polinésia Francesa
4. África do Sul e St. Barth
5. Tailândia e Grécia

Principais destinos para cruzeiros
1. Cuba
2. Antártica e Ártico
3. Grande Barreira de Corais
4. Alasca
5. Machu Picchu, Maldivas e Veneza

Principais destinos em risco
1. Mediterrâneo
2. Caribe
3. Alasca
4. Europa (rios)
5. Báltico e charters

Principais motivações de viagem
1. Estar em família; viagens multigeracionais
2. Viagens de celebração
3. Viver experiências exclusivas/cruzeiros de luxo
4. Lua de mel e destination wedding
5. Viagens com propósitos específicos (culinária, vinhos, cultura, cinema)/viagens em grupos

Como os brasileiros estão viajando
1. Viagem internacional de uma semana
2. Viagem internacional de duas semanas ou mais
3. Viagem nacional de uma semana
4. Viagem internacional de 3 a 5 dias
5. Viagem nacional de 3 a 5 dias

Fonte: Bem Paraná

Viagens de luxo: confira as tendências do mercado de turismo

16_luxo

O verdadeiro luxo é desfrutar de experiências únicas e seletas. A antropóloga do consumo Vanessa Brandini aponta o que é tendência no mercado premium.

Preço alto não determina um produto ou uma experiência de luxo. E, sim, o quanto uma roupa, um acessório, um objeto ou uma viagem podem proporcionar um raro e seleto prazer. Conversamos com a antropóloga do consumo e coordenadora de pesquisa na Escola de Pós-Graduação Roberto Miranda
Educação Corporativa em São Paulo, Valeria Brandini, que aponta qual a definição de luxo hoje e as tendências do mercado premium.

“O que determina o conceito de luxo não é a formulação de preço ou uma determinação do mercado. Existe, sim, o mercado de bens de luxo, uma categoria diferenciada em termos de preço, qualidade,
seletividade e tudo mais. Mas o conceito de luxo não é isso. É anterior, existe desde o início das primeiras civilizações. Luxo é tudo aquilo que é raro, escasso e seletivo. Por exemplo, tem gente que vem ao Brasil e adquire determinados tipos de artesanato indígena, que em alguns Estados da região central são coisas corriqueiras, mas, em outros países, serão um adereço de luxo. Trata-se de um marcador social, que muda conforme definições culturais ou de acesso. Tem gente que acha que luxo é tudo o que tem preto e dourado. Mas o trabalho do Oscar Niemeyer é luxo no mundo inteiro, por ser raro, escasso, seletivo.”

Excelência no serviço

“A grande tendência é o setor de serviços de luxo, que é muito deficitário no Brasil. O que diferencia uma loja Jaguar ou uma loja onde a pessoa vai comprar um Aston Martin? O carro é aquele, a pessoa provavelmente já conhece, o que vai diferenciar é o atendimento, o investimento na ambientação, no serviço de concierge… Atendimento hoje é essencial: conseguir surpreender o consumidor, trazer não o excesso mas a exceção, uma experiência de consumo completamente diferenciada, como exceção à regra.”

O excesso é cafona

“Um comportamento de empáfia de usar o luxo como forma de exposição, isso hoje é uma coisa cafona. A diferença entre  exceção e excesso, muitas vezes, é pequena – e a diferença entre luxo e cafona está na forma.”

Uma das viagens mais caras hoje é para a África do Sul: o culto ao excesso dá lugar ao valor da experiência de extrema exclusividade

O valor do exclusivo

“Uma das viagens mais caras que se tem não é para Paris, não é para os grandes hotéis, não é para Mônaco, mas para a África do Sul (leia mais nas páginas 8 e 9). Justamente porque não é aquele luxo do excesso que a gente está acostumado, mas é uma experiência de extrema exclusividade.”

De olho no público brasileiro

“Não existe um padrão de consumidor de luxo – o Brasil é um país novo na vivencia do luxo. Você tem o luxo de tradição, das famílias quatrocentonas, quinhentonas, em que o padrão de entretenimento, viagem e consumo já é naturalmente alto. E muito se fala que o novo rico brasileiro só ostenta. Mas comecei a perceber que tem pessoas que conquistaram poder aquisitivo alto e que não estão nessa de ostentar, entendendo que luxo hoje é, por exemplo, poder mandar seu filho estudar em uma grande universidade no Exterior…”.

Fonte: Revista Donna

Lições do mercado para a hotelaria de luxo em 2017

_moldura_marcelo_lara_wordpress

A recessão econômica atravessada pelo Brasil atingiu diversos segmentos do Turismo. Um deles, no entanto, não sofreu alterações tão drásticas assim: o mercado de luxo. Globalmente, a tendência é similar, de manutenção do consumo e enfoque cada vez mais voltado para as experiências.

O portal Skift promoveu uma discussão sobre quais são os desafios e oportunidades dos players da hotelaria de luxo para 2017. Conversando com CEOs, executivos e gerentes de hoteis, o veículo trouxe um panorama valioso para o mercado brasileiro.

A atual definição de “luxo”
Para o CEO do grupo Viceroy Hotel, Bill Walshe, “em nosso mundo, luxo é carregado de individualidade. Nós evitamos ao máximo replicações. A importância estética em design no luxo é a ainda incrivelmente importante por que as pessoas querem ser inspiradas”.

Manter uma marca de luxo
“Há toda uma nova geração de consumidores de luxo que se hospedaram em hotéis luxuosos com seus pais e tiveram essa experiência. Eles são mais inteligentes que a geração anterior porque eles já viram tanto e realmente querem uma cultura de bons serviços”, afirmou o cofundador e diretor de Criação do Pendry Hotels, Mike Fuertsman.

O chefe executivo de Marketing e Vendas do The Ritz-Carlton, Ed French, acredita que “o desafio para nós é garantir a preservação da nossa marca. Mantê-la relevante para o consumidor de hoje, ao global, ao mais jovem e velhos”.

Demandas do consumidor
“Algo que não mudou e nunca mudará é o valor”, disse Walshe. “Não está relacionado a preço. Você pode pagar US$ 200 ou US$ 2 mil por um quarto de hotel, mas os hóspedes continuarão buscando valor. Eles querem ser entretidos, surpreendidos, estimulados. O viajante de luxo não tem tolerância para a mediocridade, e eles possuem uma tolerância baixíssima ao tédio.”

Autenticidade + experiência = exclusividade
“Autenticidade pode ser entregue de várias maneiras, desde um cardápio com alterações frequentes até manter uma relação próxima com pescadores locais”, afirma Walshe. “Esta é uma autêntica expressão para algo ‘fresco’. É real e as pessoas sentem que fazem parte do destino visitado, e que estamos fazendo um esforço para ser mais criativo”, conclui.

Fonte: Panrotas

 

Edifício de luxo mais alto de NY oferece descontos milionários

03_luxo

Aqueles que compraram apartamento na ultraluxuosa torre mais alta de Manhattan receberam descontos milionários, um sinal dos tempos nesse mercado inundado de residências caras.

No número 432 da Avenida Park, os compradores que assinaram contrato e concluíram aquisições neste ano conseguiram reduções médias de 10% no valor, segundo análise da empresa de avaliações imobiliárias Miller Samuel.

Em uma das grandes transações mais recentes a serem fechadas, uma cobertura no 88º andar foi vendida por US$ 60,9 milhões, com desconto de 20% e relação ao valor inicialmente buscado pelos construtores, mostram registros municipais de propriedades tornados públicos em 2 de dezembro.

Com o surgimento de uma série de novos projetos de luxo no horizonte da cidade, as incorporadoras dos edifícios que chegaram ao mercado mais cedo estão fechando negócios para se desfazerem das unidades antes que a concorrência se torne mais acirrada.

As vendas no 432 Park, uma torre de 426 metros localizada na Rua 57, perto da Park Avenue, começaram em 2012, quando o edifício era apenas uma ideia no papel. Agora, com a construção concluída, as aquisições podem ser fechadas e os construtores estão ressaltando isso, juntamente com os cortes nos preços, como forma de selar acordos com compradores que contam com muitas alternativas.

“Acho uma jogada inteligente”, disse Jonathan Miller, presidente da Miller Samuel. “É um reconhecimento do produto que está chegando depois desse.”

Cobertura de Sanders

A cobertura de US$ 60,9 milhões foi adquirida por Lewis Sanders, o ex-CEO da Alliance Bernstein Holding. O preço pago por ele pelo apartamento de 748 metros quadrados foi inferior aos US$ 76,5 milhões buscados inicialmente pelas incorporadoras Macklowe Properties e CIM Group.

Uma enxurrada de apartamentos de luxo está chegando ao mercado em Manhattan justamente em um momento em que o interesse dos investidores está diminuindo.

A expectativa era de que mais de 3.500 unidades recém-construídas seriam listadas para venda neste ano, segundo estimativa de setembro da corretora Corcoran Sunshine Marketing Group. Mais da metade delas é considerada de luxo ou precificada em mais de US$ 2.400 o pé quadrado (US$ 25.833 o metro quadrado).

Sanders, atualmente CEO da Sanders Capital, não deu retorno a uma mensagem telefônica em busca de comentário sobre a compra, pela qual assinou contrato em maio. Joey Arak, porta-voz do edifício, disse que a Macklowe Properties prefere não comentar as vendas do 432 Park.

A torre, cujo recorde de altura acabará sendo quebrado por outros dois edifícios que estão sendo erguidos nas proximidades, também vendeu sua unidade mais alta com desconto.

A compra de uma cobertura que ocupa todo o 96º andar foi fechada por US$ 87,7 milhões em setembro, mostram registros públicos. Ela havia sido listada para venda por US$ 95 milhões.

Essa transação foi uma das nove do 432 Park nas quais o comprador assinou contrato neste ano e recebeu desconto, segundo registros municipais das vendas concluídas.

Fonte: UOL