Como se tornar um corretor de imóveis

26_corretor

Aposto que todos conhecem um corretor de imóveis ou uma imobiliária, logo o tema não é novidade para ninguém. Em tempos de crise, muitos profissionais tem apostado nessa nova carreira.

O que faz um Corretor de Imóveis?

Basicamente, um corretor avalia imóveis disponíveis para venda, os oferece a interessados e negocia valores entre as partes. Ou seja, intermedeia a relação entre o cliente vendedor e o cliente comprador na transação de um imóvel, deixando claras as informações relacionadas à propriedade para, se for o caso, efetivar a venda.

Vantagens

Entre as vantagens desse segmento, estão as diferentes possibilidades de trabalho e uma flexibilidade maior na rotina.

É comum que profissionais de outras áreas se interessem em se tornar corretores de imóveis pela maior independência e autonomia no trabalho, longe das atividades burocráticas ou sem contato pessoal de outras profissões. Com o atendimento a diferentes clientes e necessidades, a rotina do corretor envolve a participação em plantões, eventos de lançamento e captação de bons imóveis. Além disso, se optar por ser um profissional autônomo, não precisará lidar com as cobranças e pressões diretas de um chefe ou do ambiente corporativo.

Apesar de ter horários mais flexíveis em relação a outras profissões, é importante ressaltar que, em muitos momentos, os corretores precisam atender os clientes em horários alternativos e auxiliar com eventuais dúvidas mesmo fora do horário comercial ou até no fim de semana.

Desvantagens

Sem nenhuma cobrança de um chefe ou até mesmo do funcionário, o #Corretor de Imóveis autônomo precisa ser auto-disciplinado. Pois é! Se não haver disciplina, o corretor pode correr grandes riscos, como por exemplo perder um atendimento importante, pois esqueceu de anotar em seu CRM Imobiliário, ou perder a visita de um imóvel que era de suma importância para o cliente fechar.

Se ocorrer qualquer deslize, as chances de tornar sua reputação negativa são enormes. Portanto, o foco e objetivo em alcançar novas metas tem que ser acompanhados por um corretor sempre. Sem disciplina não haverá foco, e sem o foco não haverá um objetivo maior.

Se você pretende seguir sua carreira imobiliária como corretor autônomo ou já está seguindo, você pode se interessar em conhecer o Zyoon CRM Imobiliário.

Curso e Conselho Regional

Se você se interessou por essa profissão e deseja tornar-se um Corretor de Imóveis, o primeiro passo é frequentar o curso de TTI (Técnico em Transações Imobiliárias) ou cursos superiores Sequenciais e Tecnológicos de Ciências Imobiliárias ou de Gestão de Negócios Imobiliários na sua cidade ou estado.

Na frequência do curso, deverá o aluno requerer junto ao Conselho Regional dos Corretores de Imóveis – CRECI do seu estado, o registro de estágio, obrigatório para a obtenção do diploma e posterior registro profissional definitivo. Concluído o curso e obtido o respectivo diploma, já poderá o interessado promover o registro de sua inscrição definitiva, mediante requerimento específico, apresentação de determinada documentação e pagamento de uma taxa. #Consultor Imobiliário

Fonte: BlastingNews 

10 dicas de Marketing digital no Mercado Imobiliário

2_corretor

O cenário de venda de imóveis mudou drasticamente ao longo dos últimos 20 anos. Os meios de comunicação e marketing digital, como internet, computadores, smartphones e redes sociais mudaram o modo como vivemos e nos comunicamos. Seguem 10 dicas de sobreviver nesta nova selva publicitária:

1 – Sobreviveram à estas grandes mudanças quem as reconheceu e se adaptou.

2 – O marketing digital imobiliário está evoluindo:

A Internet criou milhares de novas oportunidades de marketing, dado o aumento de conteúdo, e-mail e marketing de mídia social.

Mesmo com a tecnologia adentrando a área imobiliária, os corretores de imóveis de hoje dependem fortemente de meios tradicionais de marketing, ou seja, propagandas em anúncios em jornais por exemplo. Este meio é muito eficiente ainda mas não atinge pessoas on-line e é aí que as pessoas gastam muito do seu tempo.

3 – É fundamental para os agentes e corretores de imóveis abraçar o marketing digital porque as pessoas mais do que nunca estão usando a internet para encontrar casas em sua área que estão à venda.

4 – Social Media Marketing é essencial

Redes de mídia social são exatamente o que os agentes imobiliários precisam para construir relações com potenciais compradores dentro de sua comunidade. Quanto ás principais redes de mídia social, que você deve considerar como agente imobiliário são Pinterest, Twitter, Facebook, Instagram, Google+ e LinkedIn.

5 – O porquê da eficiência das redes sociais no marketing digital imobiliário:

Fique em contato com os clientes

Seja mais acessível aos clientes

Responda mais rapidamente aos clientes

Comercialize os seus negócios para um público mais jovem

6 – Interessados neste tipo de mídia:

Os clientes comuns

As empresas de construção

Agentes judiciais

Investidores

Jornais e emissoras de TV

7 – Precisa de algumas idéias de marketing de mídia social frescas?

Faça perguntas aos seus seguidores, como: “Qual cozinha você escolheria para esta casa na praia?”, em seguida dê opções, posts como este envolve seus seguidores e vai fazê-los comentar suas preferências e compartilhar sua página.

8 – Outra grande ferramenta de mídia social é o seu cabeçalho. Atualizando esta peça-chave da mídia social imobiliária pode-se aumentar o seu alcance social e permite que você se conecte com alguém à procura de um imóvel.

9 -Marketing de conteúdo é importante

Marketing de conteúdo está se tornando a forma mais eficaz de atrair e converter prospectos em clientes. Marketing de conteúdo exige que você escreva conteúdo coadjutor. Postar vídeos curtos e escrever artigos são as formas mais eficazes de marketing de conteúdo.

10 – 70% dos consumidores acham que as empresas que criam conteúdo são mais comprometidas com a construção de um melhor relacionamento com eles.

 

Um dos maiores benefícios do marketing imobiliário é como ele impacta positivamente no resultado de suas buscas, tanto você cliente que busca seu imóvel, como você construtora que procura o cliente para seu imóvel.

(Post escrito originalmente pela equipe do Blogtecnoword)

Fonte: digitalimob

Como corretor imobiliário, Trump se saiu mal desde o começo

7_corretor

Em 2008, a Trump Mortgage desmoronou quando o mercado imobiliário implodiu e a economia dos EUA afundou em sua pior recessão desde a Grande Depressão.

Donald Trump tinha ouvido toda aquela conversa fiada sobre como o mercado imobiliário dos EUA estava superaquecido e sobre os problemas que vinham por aí.

Ele não se deixou abalar. Era o segundo trimestre de 2006 e ele estava abrindo caminho para um novo empreendimento de financiamentos imobiliários, a Trump Mortgage.

O hoje candidato à presidência dos EUA tinha grandes planos para a empresa. A sede ficaria em seu emblemático edifício, no número 40 de Wall Street, e iria intermediar US$ 3 bilhões em empréstimos só no primeiro ano e uns US$ 100 bilhões em dez anos.

Seu filho, Donald Jr., tinha ajudado a montar o plano de negócios. Naquele mês de abril, quando consultado sobre o surgimento de rachaduras nas fundações do mercado imobiliário, ele desdenhou e disse à rede de televisão CNBC que aquele era “um ótimo momento para abrir uma empresa de hipotecas”.

Um ano e meio depois, a Trump Mortgage estava fora do mercado. Junto com dezenas de outros bancos e corretoras, a empresa desmoronou quando o mercado imobiliário implodiu e a economia dos EUA afundou em sua pior recessão desde a Grande Depressão.

A empresa nunca chegou perto de suas metas de captação de recursos e deixou pelo menos um processo judicial, movido por uma corretora que alegou ter sido trapaceada em relação a uma comissão de US$ 238.000.

De todos os empreendimentos de Trump que não em imóveis – como filés de carne bovina, vodca, empresa aérea, jogo de tabuleiro, website de viagens, revista – este é talvez o que menos combina com a imagem de guru financeiro que ele cultiva durante a campanha à presidência.

Além de expor a pressa do bilionário para entrar em um mercado que estava à beira do abismo, este episódio ocorreu em um segmento intimamente vinculado aos imóveis.

Negócio arriscado

“Trump escolheu o pior momento para entrar nos financiamentos imobiliários, perto do fim do período de expansão”, disse Cliff Rossi, professor de finanças da Escola de Administração Robert H. Smith, da Universidade de Maryland.

É claro que outros executivos do setor financeiro também foram pegos de surpresa pela crise imobiliária. Contudo, Rossi, que já foi analista de risco de empréstimos ao consumidor do Citigroup, disse que a angústia no segmento hipotecário era palpável em 2006 e que muitos alertavam sobre o quanto o negócio tinha se tornado arriscado.

Hope Hicks, porta-voz de Trump, não respondeu aos pedidos de comentário da reportagem.

A Trump Mortgage era uma corretora de financiamentos de prédios comerciais e residenciais e também de empréstimos que usavam imóveis como garantia. A empresa cobrava taxas por atuar como intermediária entre os mutuários e os bancos. A instituição em si não concedeu nenhum empréstimo, por isso é difícil encontrar documentos e dados sobre o número de empréstimos geridos por ela.

Quando a empresa fechou, Trump adotou uma postura que agora é conhecida do público, distanciando-se do desfecho. Em agosto de 2007, ele disse à publicação Crain’s New York Business que tinha meramente concedido a licença de seu nome à empresa, responsabilizou as pessoas contratadas para administrá-la e voltou atrás em sua opinião em relação à atratividade das hipotecas.

“O setor de hipotecas”, disse ele, “não é um setor do qual eu particularmente gostava ou queria muito fazer parte”.

Fonte: Exame

Corretores veem aquecimento em 2017

03_corretor

O mercado imobiliário já começa a apresentar sinais de reação na economia. Além de lançamentos estarem acontecendo, especialistas do setor afirmam que 2017 deverá começar aquecido. Pelo menos essa é a opinião de corretores de imóveis, referendada pelo presidente da Associação dos Corretores e Empresas Imobiliárias de Sorocaba (Aceiso), Harley Mena. Com essa perspectiva positiva para esse setor da economia — importante para o desenvolvimento do País –, hoje se comemora o Dia do Corretor de Imóveis, 27 de agosto.

Harley Mena observa que o mercado imobiliário acompanha o ritmo da economia e que os preços estão sofrendo um alinhamento real. “Tivemos por quatro anos preços fora da realidade, mas estamos sentindo uma melhora nos últimos três meses. As pessoas estão acreditando mais no País e voltando a aplicar”, diz ele.

A profissão de corretor de imóveis é regulamentada há 38 anos pela Lei Federal 6.530, de 12 de maio de 1978. Esse profissional pode estar nas imobiliárias, construtoras ou como autônomo, isto é, sem vínculo algum com empresas, transformando-se num legítimo consultor imobiliário.

2 mil

A associação dirigida por Mena completou neste ano 23 anos de existência. Entre os mais de dois mil corretores em Sorocaba, Votorantim e cidades circunvizinhas, pelo menos 380 são sócios da Aceiso. Segundo ele, é importante essa sociedade, pois, além de fortalecer o segmento, garante aos associados uma série de benefícios e vantagens para atuar no mercado.

Para ser corretor de imóveis, não é necessário ser formado em um curso de nível superior, porém o candidato tem de fazer por cerca de oito meses um curso específico, chamado de curso técnico de Transações Imobiliárias.

Após esse curso, é submetido a uma avaliação para obter o registro profissional de trabalho do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo (Creci-SP). “Aliás, orientamos que toda pessoa que precisar consultar um profissional, deve pedir a ele que apresente o registro no Creci, a fim de garantir que o corretor está legalizado”, aconselha Mena.

Fonte: Jornal Cruzeiro

Tudo sobre a greenery, cor que será tendência de decoração nos casamentos de 2017

03_decoracao

A Pantone lançou internacionalmente a cor anunciada para 2017: Greenery.  Segundo a design especialista em cor e fundadora da Academia da Cor e Design Fabiane Mandarino, a tonalidade escolhida é um verde bem aquecido e carregado de amarelo.

“Esse verde escolhido nos remete ao verde da folhagem e evoca toda a vitalidade da natureza e nos convida a respirar fundo e está ligada a nossa necessidade de explorar novas possibilidades, experimentar e reinventar. A escolha remete a sensação de relaxamento, saúde, frescor e renovação”, comenta a expert.

Por isso, nos casamentos do ano que vem, a cor vai predominar.

“A tendência botânica começou a surgir do meio do ano de 2016 para o final. Muito com o foco na decoração com  combinações como verde e cinza ou branco. A cor escolhida como tendência para 2017 é harmônica, uma ótima aposta para casas que querem investir em casamentos e festas ao ar livre ou na praia”, afirma a assessora de eventos Fabiana Pinheiro, da Bem Assessorados.

Fonte: Caras

8 roteiros de viagem nos Estados Unidos: as melhores road trips

03_miami

 

Os Estados Unidos são conhecidos pelas boas condições das estradasSim: o país foi feito para dirigir. E, se você é um apaixonado por aventuras, não pode deixar de fazer pelo menos uma road trip por lá na sua vida. Nós selecionamos algumas rotas para inspirar você a planejar esse passeio . Abaixo, seguem algumas opções selecionadas por nós.

1. Appalachian Trail

Além de estrada, também é o roteiro de trekking mais conhecido e longo dos Estados Unidos. Para uma viagem de aventura, você pode aliar as duas atividades. São mais de 2 mil km de estradas que percorrem 14 estados americanos: Maine, New Hampshire, Vermont, Massachusetts, Connecticut, New York, New Jersey, Pennsylvania, Maryland, West Virginia, Virginia, Tennessee, North Carolina, Georgia. Basta decidir quais cidades e vistas a priorizar.

appalachiantrail

2. Costa Leste

A ideia é começar em Nova York e terminar em Miami. Dois mil e 600 quilômetros separam as duas cidades. Depois de NY, você pode passar por Washington D.C., Fayetteville (Carolina do Norte), Savannah (Georgia), Cocoa Beach (já na Flórida) e finalmente Miami. Cocoa Beach é a cidade americana mais perto de uma estação da NASA (ou seja, é o melhor ponto de observação do lançamento de foguetes). Para este roteiro, você pode separar pelo menos 10 dias.

3. Death Valley e Grand Canyon

Esse é um roteiro mais ousado e certamente um dos com mais belas paisagens. Pelo deserto, a maioria das pessoas começa a road trip em Las Vegas e segue até o Grand Canyon (principalmente quando não há muito tempo). Mas a dica é inovar e conhecer também o Death Valley (na Califórnia). Comece o passeio por ali, pare em Vegas e siga para o Grand Canyon, com atrativos como Jacob Lake e Vermillion Cliffs National Monument pelo caminho. Se fosse percorrida sem paradas, a viagem entre Death Valley e Gran Canyon duraria cerca de 8 horas. Para uma viagem tranquila e aproveitadora, reserve uns 5 dias.

grandcanyon

4. Going to the sun road

É um passeio mais curtinho, com apenas 85 quilômetros de extensão, ideal para encaixar em um outro roteiro pelo país. Mas, certamente, é um dos que tem a paisagem mais encantadora. A estrada fica nas Montanhas Rochosas e é a única que passa dentro do Glacier National Park, em Montana. Geralmente, a estrada fica aberta entre junho e outubro, quando não há nevascas e riscos para trafegar. Em 2013, foi eleita uma das 10 rotas de carro mais bonitas dos Estados Unidos pela revista Forbes.

5. Loneliest Road

A “Estrada mais solitária” (na tradução para o português) é a Rota 50 e atravessa 12 estados americanos: Califórnia, Nevada, Utah, Colorado, Kansas, Missouri, Illinois, Indiana, Ohio, West Virginia, Virginia e Maryland. São 460 km de estrada, conhecida pelo nome exatamente por passar por locais com pouca civilização. É um roteiro com vistas magníficas, como Sierra Nevada, Appalachian, Rocky Mountains, deserto de Utah e Nevada e Lake Tahoe.

SONY DSC

6. Pacific Highway

Aqui, o passeio será feito pela Highway 1, que costeia o Pacífico. O trajeto mais tradicional é de San Franciso a San Diego (ou seja, sentido norte-sul), uma distância de cerca de 930 km. Assim você vai contar com a vista para o mar durante todo o trajeto. Para completar todo o trajeto sem pressa e com várias paradas em pequenas cidades pelo caminho, o ideal é reservar pelo menos 15 dias. Além de San Diego e San Francisco (e das outras principais cidades da Califórnia, como Los Angeles), a praia de Half Moon Bay, Carmel by the Sea, Big Sur, Manhattan Beach e Laguna estão entre os atrativos pelo caminho.

7. Rota 66

São cerca de 3 mil km, passando por diferentes paisagens, que vão desde a desertos até montanhas. É uma das rotas mais antigas do país, inaugurada em 1926. Neste roteiro, as principais cidades encontradas são Las Vegas, San Francisco, Los Angeles, Dallas, Chicago e New York. É importante você escolher bem as cidades, já que o caminho é longo (e fica difícil fazer tudo de uma vez só). Além delas, você pode escolher outras cidades nesta estrada, que liga Illinois à Califórnia, passando por Missouri, Kansas, Oklahoma, Texas, New Mexico e Arizona.

rota66

8. Roteiro pelo sul

A ideia é começar por Atlanta (Geórgia), seguir um pouco ao norte, passar pelo estado da Carolina do Sul e terminar em Orlando (Flórida). Esse roteiro não é muito comum, mas ideal para quem quer conhecer cidades mais históricas, que trazem um pouco do passado dos Estados Unidos. Entre as duas cidades, um ponto imperdível são as Great Smoky Mountains, em Pigeon Forge (Tennessee). Charleston (Carolina do Sul) e Savannah (uma das cidades mais bonitas do país) também são ótimo acréscimos. O percurso inteiro completa cerca de 10h de viagem. Então, é bom reservar pelo menos uma semana para ir parando com calma.

Fonte: Revista Donna

 

Entenda a diferença entre consultor e corretor imobiliário

27_corretor

Uma dúvida comum no meio imobiliário é em relação aos termos consultor e corretor. Os dois são comumente utilizados para referenciar uma mesma função, mas existem algumas especialidades que diferenciam um corretor de um consultor imobiliário. Confira!

Consultor Imobiliário

O Consultor Imobiliário é o profissional que está por dentro dos acontecimentos deste mercado. Ele através de pesquisas e análises elabora diagnóstico e formula soluções, podendo produzir estimativas de médio e longo prazo sobre o mercado imobiliário. Com a consultoria, os clientes ficam a par de qual o momento mais propício para compras e vendas de imóveis.

Corretor Imobiliário

Já o Corretor Imobiliário, que ao contrário do consultor responsável pelas teorias, é o profissional ligado a prática. O corretor é a pessoa que prospecta imóveis e compradores. Analisando o lugar, a arquitetura e as exigências dos interessados. Ele tem as técnicas necessárias para promover todas as etapas das negociações e transações dos imóveis, garantindo o melhor negócio para ambas as partes.

Para intermediar compras, locações e permutas, o Corretor Imobiliário precisa estar cadastrado ao CRECI (Conselho Regional de Corretores de Imóveis).

Apesar de tratarem do mesmo assunto, é evidente que são duas profissões distintas, mas existem profissionais que possuem o conhecimento e as técnicas necessárias para exercer as duas funções. Rogério Moura que além de ser Delegado dos Sindimóveis e Perito Avaliador Judicial, também é Consultor e Corretor Imobiliário; ele ressalta a importância de exercer as funções simultaneamente, pois com o conhecimento de mercado de um consultor e as técnicas de um corretor, consegue oferecer aos seus clientes, atendimento completo e diferenciado.

Fonte: OM

As cores de 2017

19_decoracao1

 

As principais marcas de tintas apontam as tonalidades que serão tendência no próximo ano. Está aí uma boa desculpa para mudar o astral da casa!

A beleza natural do Brasil serviu de inspiração para a nova coleção da marca americana Colorhouse. A colorista carioca Fabiane Mandarino colaborou na criação de seis novas cores, entre elas, este rosa suave, chamado Bromélia. Apesar da homenagem, a empresa ainda não entrega no país.

O azul-claro fresco Mergulho Sereno é a aposta da Coral. A coleção 2017 da marca conta com outras 44 tonalidades divididas em quatro tendências.

19_decoracao2

A mistura do cinza com o marrom deu origem à cor Poised Taupe (SW 6039), da Sherwin-Williams.

19_decoracao3

A Lukscolor elegeu como cor do ano um marrom com toques de amarelo queimado, que ganhou o nome de Lizard (LKS 2275).

19_decoracao4

Cortina de teatro é o nome da cor escolhida pela Suvinil. O tom, que mistura vermelho e violeta, é o mesmo encontrado na brasilina, um corante extraído do pau-brasil.

19_decoracao5

O azul vibrante Arquipélago é a escolha da Eucatex. A marca apresentou outras 20 cores, divididas em quatro grupos.

19_decoracao6

Fonte: Revista Casa e Jardim

 

Brasil aparece com destaque no mercado de turismo de luxo

luxo-ml

Hospedagens sofisticadas, excelência de serviços, experiências diferenciadas e altas cifras. Estas são as principais características do turismo de luxo, segmento que vem apresentando um crescimento significativo nos últimos anos. De acordo com dados divulgados no ano passado pela ITB Berlim e IPK International, o segmento obteve entre 2011 e 2015 um crescimento de 48%. Levantamentos da Organização Mundial de Turismo (OMT) e da International Luxury Travel Market (ILTM) apontam que o turismo de luxo representa 3% do total de turistas no mundo. Em contrapartida o nicho é responsável por 25% de toda a receita gerada pelo turismo no planeta.

O interesse nas altas cifras fizeram com que a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) firmasse em 2009 uma parceria com a Brazilian Luxury Travel Association (BLTA), associação reúne os mais exclusivos hotéis, resorts, pousadas e operadoras, para a promoção do turismo de luxo no país. A medida vem dando resultado. O Brasil ocupa a quarta posição na lista de maiores receptores de turismo de luxo, atrás apenas de Estados Unidos, Alemanha e Argentina.

“Estamos tendo bons resultados. Por meio de ações cooperadas organizamos roadshows promovendo o Brasil como destino de luxo em cidades como Nova Iorque, Chicago, Paris e Londres. Além disso participamos de feiras do calendário da Embratur, o que possibilita uma boa exposição”, explica Guilherme Padilha, presidente da BLTA. Com base em dados do anuário de 2013 da associação, o segmento gerou uma receita bruta de aproximadamente 633 milhões aos hotéis de luxo.

De acordo com o mesmo levantamento, 51% dos turistas de luxo são decorrentes de viagens de trabalho e negócio, seguido por turismo e lazer (29%) e eventos e congressos (16%). “Esses turistas tem um gasto médio diário de R$1 mil a R$1,2 mil”, destaca. Padilha ainda salienta que que os números apresentam um equilíbrio entre o mercado nacional e o estrangeiro. “O número de turistas nacionais e estrangeiros são de 50%-50%. Por conta do câmbio tivemos um grande aumento no número de turistas nacionais em 2015, mas em 2016 o número voltou a se equilibrar”, completa.

De acordo com Carlos Ferreirinha, fundador e presidente da MCF Consultoria, esta opção do brasileiro por destinos nacionais deve se manter no próximo ano. “Os destinos nacionais têm tudo para garantir expressiva dominância ou alternância na preferência. Os brasileiros que viajavam muito reduziram o ritmo e com isso optaram para experiências domésticas”, afirma.

O especialista ainda destaca que o mercado de luxo nacional pode despontar ainda mais por aliar qualidade a hospitalidade. “Atualmente alguns destinos brasileiros estão alinhados à excelência internacional. Fasano, Emiliano e Unique no urbano, além de Ponta dos Ganchos, Kenoa e Nannai, que são fascinantes. Temos cordialidade e simpatia de sobra. Temos que organizar mais em processos”, salienta.

BRASILEIROS NO EXTERIOR
Para especialistas do setor o Brasil tem papel de destaque neste crescimento. De acordo com a BLTA, o turista brasileiro está entre os que mais gasta no que diz respeito ao turismo de luxo. “Esta balança é desequilibrada, pois o Brasil é um dos mercados emissores de turistas de luxo para o mundo. Estamos entre os que mais gastam fora, o que significa um valor muito maior do que o mercado nacional arrecada com o turismo de luxo”, explica Guilherme Padilha.

Entre os principais destinos visitados pelos Brasileiros estão Itália, França, Estados Unidos, África do Sul, Portugal, Peru, Chile, Tailândia e Austrália.

A importância do turista brasileiro para o segmento também é observada pelo vice-presidente de Vendas global da Small Luxury Hotels of the World (SLH), Jeffrey Sirota, que aponta que a instabilidade econômica no país afetou o mercado internacional, principalmente em destinos dos EUA. “O mercado brasileiro afeta muito o mercado global em termos de turistas. Nós percebemos, por exemplo, que as viagens para os Estados Unidos reduziram, por conta do câmbio. Cidades como Nova Iorque e Miami apresentaram queda”, relata.

CRESCIMENTO
As expectativas para o mercado de luxo apontam para um crescimento nos próximos anos. o estudo Shaping the Future of Luxury Travel (Construindo o Futuro das Viagens de Luxo), da Amadeus, o qual afirma que nos próximos dez anos o setor deve crescer em torno de 6,2%. De acordo com a Virtuoso, rede especializada no mercado de viagens de luxo, alguns destinos surgem como emergentes na lista de interesse, como a Região da Indochina (Vietnã, Camboja e Myanmar), países da Escandinávia, Portugal, Tailândia, Rússia, Peru, Japão, China, África do Sul e Tanzânia.

PRINCIPAIS HOTÉIS DE LUXO
O site TripAdvisor listou recentemente uma lista com os 25 principais hotéis de luxo do Brasil e do exterior, com base na avaliação dos turistas. As lista, denominada “Travellers Choice 2016”, conta com grandes marcas famosas, como Unique, Hilton e Grand Hyatt. Confira os dez primeiros de cada uma:

TOP 10: HOTÉIS DE LUXO NO BRASIL
1) Ponta dos Ganchos Exclusive Resort – Santa Catarina
2) Sait Andrews Gramado – Rio Grande do Sul
3) Belmond Hotel das Cataratas – Paraná
4) Miramar Hotel by Windsor – Rio de Janeiro
5) Belmond Copacabana Palace – Rio de Janeiro
6) UXUA Casa Hotel & Spa Trancoso – Bahia
7) Hotel Unique – São Paulo
8) Felissimo Exclusive Hotel – Santa Catarina
9) Grand Hyatt – São Paulo
10) Hilton Barra – Rio de Janeiro

TOP 10: HOTÉIS DE LUXO NO MUDO
1) Nayara Springs – Costa Rica
2) Gili Lankanfushi Maldives – Ilhas Maldivas
3) Golden Woll Hotel – República Tcheca
4) Cocoa Island by COMO – Ilhas Maldivas
5) La Maison Arabe – Marrocos
6) The Oberoi Vanyavilas – Índia
7) The Privilege Floor Lotus Blanc – Camboja
8) Ponta dos Ganchos Exclusive Resort – Brasil
9) Hotel The Serras – Espanha
10) Saffire Freycient – Austrália

Fonte: Mercado&Eventos

Está pensando em construir sua casa? Veja o que você precisa saber antes de começar

corretor-de-imoveis-seg

Conquistar a casa própria talvez seja o maior objetivo de muitas famílias no Brasil. Mas também existem os empreendedores, que querem investir na construção de imóveis para locação e venda. Contudo, para que tudo saia da melhor forma possível, é preciso redobrar a atenção para detalhes importantes, como viabilidade do projeto e localização e custo com fornecedores e prestadores de serviço. Veja aqui tudo o que você precisa saber antes de começar a construção da sua casa nova!
Planejamento do orçamento

Faça uma simulação de tudo o que será necessário para a construção da sua nova casa. Coloque no papel custos com mão de obra, fornecedores, materiais de construção, terreno e documentação. Com a estimativa de custos em mãos, fica mais fácil verificar a viabilidade do investimento e definir o melhor tipo de projeto de construção e localização, além de estimar com maior precisão o tempo para o término da edificação.
A localização

Definir a região em que se pretende morar é o primeiro passo. Escolher um terreno em uma localidade distante por ser mais barato talvez traga prejuízos no futuro. Leve em consideração que você irá morar nessa nova casa por muito tempo, portanto, verifique as condições do bairro, a distância dessa região ao seu local de trabalho etc.
Escolher o melhor local para a construção de sua casa requer, também, alguns cuidados e burocracias. A primeira delas é verificar com a prefeitura qual é a documentação necessária para a edificação e, também, se o terreno escolhido está adequado e regulamentado para habitação. Depois, é importante pesquisar acerca da situação da imobiliária perante ao CRECI (Conselho Regional de Corretores de Imóveis).
Como escolher o tipo de terreno certo para a construção?

A recomendação geral é que a área do terreno tenha medidas parecidas em cada um dos quatro lados. Contudo, inicialmente, necessita-se a definição de uma ideia de construção, ou seja, a elaboração do projeto arquitetônico da residência. Assim, você saberá o tamanho e o formato ideal do terreno que precisa.
Nesse caso, é importante conversar com um profissional da área de arquitetura. Mesmo que haja a possibilidade de gerar um custo elevado, é uma medida importante levando em conta que você viverá nessa casa por muito tempo.
Cuidados para a contratação de fornecedores e de mão de obra especializada

Pesquise pelos fornecedores da região em que você pretende realizar a edificação. O indicado é verificar mais de uma opção de fornecedor e pedir orçamentos. No site http://www.aecweb.com.br/ ,especializado em arquitetura e construção, você encontra indicações de fornecedores, além de dicas de soluções para construção.
A contratação de mão de obra deve ser verificada também. Certifique-se que os profissionais responsáveis pela construção sejam experientes e não deixe de verificar as condições de segurança para a realização do trabalho.

Fonte: Jornal Agora MS