Atrasou o condomínio? Nova regra cobra mais rápido e pode tirar sua casa

24_corretor

Quem tem apartamento próprio ou alugado sabe que todo mês chega o boleto do condomínio. Porém, pode acontecer de o morador não ter dinheiro suficiente para quitar a dívida. O que acontece nesses casos?

Se o morador não pagar o condomínio, ele terá um prazo bancário, geralmente de 30 dias, para quitar a dívida, mas precisará arcar com multa de 2%, juros de 1% ao mês, mais correção pela inflação do período atrasado.

Renato Daniel Tichauer, presidente da Assosíndicos (Associação dos Síndicos de Condomínios Comerciais e Residenciais do Estado de São Paulo), afirma que, em geral, o primeiro passo é a administradora do condomínio entrar em contato com o morador por carta ou através do síndico para verificar se de fato não houve o pagamento.

Se o atraso entra para o segundo mês, a administradora passa o pedido de cobrança para um advogado, que precisa ser contratado pelo condomínio. Se não houver pagamento, o escritório de advocacia já pode entrar com a ação contra o proprietário para exigir o pagamento.

O advogado especialista em direito imobiliário e condominial Rodrigo Karpat diz que não existe um valor mínimo para entrar com um processo, mas é preciso avaliar a dívida. “Por uma taxa de condomínio de R$ 100 não se justifica o ingresso de ação antes de alguns meses de atraso. Já um condomínio de luxo, com cota condominial de R$ 3.000, por exemplo, uma única cota já justifica o ingresso da ação”.

Nova regra deixou cobrança mais rápida

Angélica Arbex, gerente de relacionamento da Lello Condomínios, explica que com o novo CPC (Código de Processo Civil), que entrou em vigor em março de 2016, a cobrança de condomínio ficou mais rápida.

Antes, os processos de cobrança eram feitos em duas fases. Na primeira, era necessário provar que a dívida existia, o que poderia demorar entre dois e três anos, segundo Arbex. Só depois disso é que se pedia a execução da dívida, ou seja, exigia-se o pagamento.

“Desde o ano passado, a primeira fase não existe mais. Deixar de pagar o condomínio passou a ser considerado uma dívida real”, disse a gerente de relacionamento da Lello. Se o condômino não pagar o que foi determinado pelo juiz em três dias, ele terá a penhora online, ou seja, tudo o que está em sua conta bancária é direcionado para o pagamento da dívida. Se não tiver o dinheiro na conta, os bens são penhorados. Nessa fase, o proprietário pode perder o imóvel.

“A penhora do imóvel é o último recurso. O prazo para perder o imóvel dependerá do andamento do processo”, diz o presidente da Assosíndicos.

O advogado especializado em direito imobiliário e cível Alessandro Calistro afirma que se o imóvel for a leilão e a dívida do condomínio for menor, o proprietário receberá a diferença. Ou seja, se ele deve R$ 10 mil de condomínio e o imóvel vale R$ 200 mil, ao ter o bem penhorado, o dono receberá R$ 190 mil de volta.

As administradoras estão tentando resolver a situação sem ter que brigar na Justiça. Esse é um dos motivos apontados pelo Secovi-SP (sindicato das empresas do mercado imobiliário) para a queda de 26,2% nas ações por falta de pagamento de condomínio em janeiro na comparação com dezembro de 2016 na cidade de São Paulo. Em relação ao mesmo mês do ano passado, a redução foi de 10,3%.

Lista de devedores atrasados

Arbex afirma que, em São Paulo, caso o pagamento do condomínio deixe de ser feito, o morador pode ter o nome protestado e ir para a lista de devedores atrasados (inadimplentes).

Segundo ela, é permitido que no boleto seja detalhado quais unidades deixaram de pagar o condomínio, já que é uma prestação de contas para os outros moradores.

Porém, não pode haver divulgação de quem não pagou em lugares públicos. “Não pode colocar a lista de devedores no elevador onde transitam pessoas que são de fora do condomínio”, disse.

Sem votação

O presidente da associação explica que é possível impedir o morador com o condomínio atrasado de votar em assembleias, no caso de ser o proprietário do imóvel. Porém, não aconselha que a proibição ocorra para o uso das áreas comuns, como piscina, por exemplo. “Pode ser considerado proibição do direito de ir e vir. Não é recomendado”.

Proprietário é responsável

Quando o atraso do pagamento do condomínio é do inquilino, a cobrança vai para o dono do imóvel, segundo Calistro. Ele afirma que, normalmente, o proprietário é avisado pela administradora sobre a falta de pagamento.

O especialista diz ainda que no contrato de locação deve estar detalhado que a partir da data de locação, o inquilino é quem será responsável por pagar água, luz, IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e a taxa condominial, além do valor do aluguel. Se atrasar o pagamento do aluguel, a multa pode chegar a 10% por atraso. Já o boleto do condomínio tem multa de 2%, mais juros e correção.

CPF no boleto

A partir deste ano, os boletos precisarão ter o CPF do dono do imóvel. A medida também vale para os boletos de cobrança do condomínio. No ano passado, de acordo com Arbex, as administradoras pediram para que os moradores fizessem um cadastro. Algumas estipularam um prazo e determinaram que, se não fosse feita a atualização, o dado seria extraído do cadastro de imóvel e o morador teria que arcar com os custos dessa pesquisa. Arbex orienta a quem ainda não fez a atualização a procurar a administradora do prédio ou o síndico.

A medida será implementada aos poucos. Segundo a Febraban (Federação Brasileira de Bancos), a partir do dia 10 de julho, a regra valerá para boletos com valor igual ou superior a R$ 50 mil. Já a partir de 11 de dezembro, todos os boletos deverão ter o CPF.

Para Walter Tadeu de Faria, diretor-adjunto de Negócios e Operações da Febraban, a mudança facilitará o pagamento das contas vencidas, que poderão ser quitadas em qualquer banco, além de evitar o pagamento duplicado e fraudes.

Fonte: UOL

Restaurant Week. Os menus de luxo a 20 euros estão de volta (e trazem novidades)

8_luxo

Eis que chegaram as semanas mais aguardadas pelos amantes do bem-comer. A nova edição da Restaurant Week volta a trazer menus especiais em mais de cem restaurantes que participam no evento, que decorre até dia 12 de março.

“Esta é uma forma de democratizar o acesso a restaurantes ditos de luxo”, explica Sérgio Sequeira, responsável pelo The Fork em Portugal, empresa responsável pela organização do evento. Assim, durante duas semanas, pelo valor fixo de 20 euros, os clientes têm direito a um menu elaborado pelos restaurantes e que engloba sempre uma entrada, um prato principal e uma sobremesa (exceção feita às bebidas, que são pagas à parte).

A edição de 2016 já tinha deixado de ser exclusiva de Lisboa e Porto, mas este ano conta com a participação de restaurantes de 20 cidades distribuídas pelos distritos de Lisboa, Porto, Aveiro, Coimbra, Leiria, Évora, Beja, Faro e Funchal. Ao contemplar mais cidades, o evento conta também com uma lista de restaurantes alargada que conta com 20 novas entradas. É o caso do Delfina e do Café Portugal, em Lisboa, o LSD no Porto ou o Vila Tamariz no Estoril.

A lista de espaços aderentes pode ser consultada através do site ou aplicação do The Fork, plataformas que também devem ser usadas para fazer reservas.

Existem dois períodos para fazer a reserva: o primeiro decorreu até dia 1 de março e foi reservado a clientes Millennium, que para usufruir desta prioridade apenas tiveram de fazer o pagamento com o cartão do banco. Para os restantes, as marcações podem ser feitas para a semana entre 2 e 12 de março.

O evento tem tido um crescimento constante e, segundo dados da organização, no ano passado chegou perto dos 30 mil clientes. “A componente solidária chama muita gente”, acredita Sérgio Sequeira. Isto porque, por cada menu de 20 euros, um euro é doado a instituições de solidariedade. A Acreditar, que ajuda as famílias de crianças com cancro, e a Casa Mimar, um centro temporário de acolhimento de crianças em perigo, foram as escolhidas deste ano.

Fonte: Sol.sapo

10 dicas de Marketing digital no Mercado Imobiliário

2_corretor

O cenário de venda de imóveis mudou drasticamente ao longo dos últimos 20 anos. Os meios de comunicação e marketing digital, como internet, computadores, smartphones e redes sociais mudaram o modo como vivemos e nos comunicamos. Seguem 10 dicas de sobreviver nesta nova selva publicitária:

1 – Sobreviveram à estas grandes mudanças quem as reconheceu e se adaptou.

2 – O marketing digital imobiliário está evoluindo:

A Internet criou milhares de novas oportunidades de marketing, dado o aumento de conteúdo, e-mail e marketing de mídia social.

Mesmo com a tecnologia adentrando a área imobiliária, os corretores de imóveis de hoje dependem fortemente de meios tradicionais de marketing, ou seja, propagandas em anúncios em jornais por exemplo. Este meio é muito eficiente ainda mas não atinge pessoas on-line e é aí que as pessoas gastam muito do seu tempo.

3 – É fundamental para os agentes e corretores de imóveis abraçar o marketing digital porque as pessoas mais do que nunca estão usando a internet para encontrar casas em sua área que estão à venda.

4 – Social Media Marketing é essencial

Redes de mídia social são exatamente o que os agentes imobiliários precisam para construir relações com potenciais compradores dentro de sua comunidade. Quanto ás principais redes de mídia social, que você deve considerar como agente imobiliário são Pinterest, Twitter, Facebook, Instagram, Google+ e LinkedIn.

5 – O porquê da eficiência das redes sociais no marketing digital imobiliário:

Fique em contato com os clientes

Seja mais acessível aos clientes

Responda mais rapidamente aos clientes

Comercialize os seus negócios para um público mais jovem

6 – Interessados neste tipo de mídia:

Os clientes comuns

As empresas de construção

Agentes judiciais

Investidores

Jornais e emissoras de TV

7 – Precisa de algumas idéias de marketing de mídia social frescas?

Faça perguntas aos seus seguidores, como: “Qual cozinha você escolheria para esta casa na praia?”, em seguida dê opções, posts como este envolve seus seguidores e vai fazê-los comentar suas preferências e compartilhar sua página.

8 – Outra grande ferramenta de mídia social é o seu cabeçalho. Atualizando esta peça-chave da mídia social imobiliária pode-se aumentar o seu alcance social e permite que você se conecte com alguém à procura de um imóvel.

9 -Marketing de conteúdo é importante

Marketing de conteúdo está se tornando a forma mais eficaz de atrair e converter prospectos em clientes. Marketing de conteúdo exige que você escreva conteúdo coadjutor. Postar vídeos curtos e escrever artigos são as formas mais eficazes de marketing de conteúdo.

10 – 70% dos consumidores acham que as empresas que criam conteúdo são mais comprometidas com a construção de um melhor relacionamento com eles.

 

Um dos maiores benefícios do marketing imobiliário é como ele impacta positivamente no resultado de suas buscas, tanto você cliente que busca seu imóvel, como você construtora que procura o cliente para seu imóvel.

(Post escrito originalmente pela equipe do Blogtecnoword)

Fonte: digitalimob

Arquitetura com personalidade para todos os tamanhos

16_decoracao

É possível desenvolver um ambiente moderno, multifuncional e cheio de personalidade, mesmo com apartamentos e casas cada vez menores. A ideia fica evidente no projeto assinado pelos arquitetos Diogo Luz e José Guilherme Carceles, da Casa 100 Arquitetura, para o apartamento de 65 m² localizado em São Paulo, batizado de Poledance.

Projetado para um jovem advogado, solteiro e que gosta de receber amigos, a morada surpreende pela sua multifuncionalidade e design de interiores. Com todo o desenho de marcenaria desenvolvida pelos arquitetos, a proposta do projeto foi criar um ambiente amplo e que atendesse todas as necessidades do cliente. Os móveis baixos que contornam toda a sala, foram pensados para servir de bancos, apoios ou mesa.

“O cliente queria um espaço para dar festas e receber os amigos. Quando perguntamos o que ele queria no projeto, ele respondeu ‘Quero um Poledance’. Por isso o nome. A partir disto, criamos um ambiente leve, mutável, multifuncional, contemporâneo, urbano e livre“, conta o arquiteto Diogo Luz.

Além de pensar no design e no uso dos espaços, Diogo e José Guilherme desenvolveram um projeto luminotécnico com luz indireta na sanca de gesso, que possui duas funções: a iluminação comum do dia a dia ou a colorida para festas. Por estarem sobre a sanca, elas não aparecem, deixando o espaço mais agradável.

O balcão da cozinha foi desenhado com um fecho “toque”, ficando maior conforme o desejo do morador. E para fazer o papel da mesa de jantar foi usado um quadro grafitado, que quando não está sendo utilizado, está pendurado na parede. Um pendente foi instalado sobre o balcão, coroando o ambiente.

Fonte: NH

A decoração ideal para um 2017 cheio de boas energias

27_decoracao3

Do Ano Novo, todos querem coisas boas. Mas os desejos que esperamos que se concretizem dependem mais de nós mesmos do que de fatores externos. Por isso, a mudança deve começar dentro de cada um e no ambiente em que vivemos. O primeiro passo para ter uma vida mais harmônica e organizada é uma casa que propicie o bem-estar.
“A decoração transmite sensações de acordo com as cores, os materiais, os objetos e a disposição dos móveis. Somos influenciados pelas mensagens, pelo visual e pelo simbolismo que podem deixar um espaço frio ou acolhedor”, afirma Cris Ventura, consultora de feng shui.
Segundo ela, é possível atrair energias positivas para o ano que se inicia com simplicidade, expressando os gostos e as preferências dos moradores, de acordo com a personalidade de cada um.
“Como cada pessoa tem uma vibração diferente, vale colocar um vaso com flores coloridas na sala. Elas ajudam a harmonizar a energia do grupo. As frutas simbolizam a abundância. Coloque uma fruteira no centro da mesa e use laranjas (que significam fartura), uvas, ameixas e pêssegos. De cor quente, esses alimentos atraem a prosperidade”, destaca.
Repaginando
Já a arquiteta Carmen Calixto ressalta que começar o ano com a casa renovada é um incentivo a mais para tirarmos do papel todos os projetos idealizados. “Os elementos decorativos que podem ser trocados com facilidade e proporcionam outra atmosfera à casa são almofadas, quadros, tapetes, adornos e cortinas”, afirma.
A especialista explica ainda quais cores são ideais para cada ambiente. “Para salas, nós podemos ousar mais, então, cores mais fortes e vibrantes podem ser utilizadas. Nos quartos, as cores mais neutras e acolhedoras proporcionam relaxamento. Banheiro e cozinha são ambientes que exigem mais limpeza, por isso cores claras denotam mais cuidado e limpeza”, ensina Carmen.
E são justamente as cores que a arquiteta Melina Mundin recomenda para transformar a casa em um ambiente mais alegre. “Não precisa ser muito, mas todos nós precisamos de toques de cor em casa para nos deixar mais alegres. Pequenos quadros, vasos de flor e almofadas já ajudam bastante. Mas para aqueles que, assim como eu, amam as cores, começar o ano com uma parede pintada de outra cor, ou reformar uma velha poltrona e deixá-la estampada já faz muita diferença.
Também para quem quer renovar a casa com a cor do ano, o verde trazido pela Pantone combina com tudo e estimula boas vibrações para um ano cheio de harmonia”, frisa Melina (leia mais abaixo sobre a cor do ano).
Para quem vai receber parentes e amigos na virada do ano em casa, ela recomenda abusar das luzes na decoração. “Seja com velas ou luzes, tipo as de Natal. Plantas para inspirar esperança através do verde. Peças douradas na mesa como souplat, por exemplo, inspiram confiança. Também é interessante usar toques de azul na toalha de mesa, nas taças ou em algum enfeite para representar coisas boas. O azul é a cor de todos os bons sentimentos”, afirma Melina.
Entre as plantas recomendadas por ela estão a suculenta e o cactus. “Eles exigem pouca manutenção, duram bastante e caem bem com qualquer decoração”, pontua a arquiteta.
Fragrância
Pensar no aroma do ambiente também é uma forma de decorar. O cheiro transmite sensações de aconchego, revigoramento e frescor. Segundo Nayana Pedreira, fundadora da Acqua Aroma, empresa pioneira no ramo de aromatizadores no Brasil, para cada cômodo há uma fragrância ideal.
O quarto, ambiente mais íntimo da casa, combina com lavanda, que traz tranquilidade e relaxamento, e com baunilha, para um clima mais romântico. Na sala, Nayana recomenda um aroma mais suave, como a brisa, uma vez que esse ambiente é de uso coletivo, voltado para receber visitas e relaxar. Se for trabalhar nesse cômodo, a dica é adotar o alecrim.
Já na cozinha, onde é comum a mistura de cheiros, os aromatizantes ideais são aqueles com função neutralizante, preferencialmente com notas cítricas. Para o banheiro, Nayana indica as fragrâncias como verbena e limão siciliano, cítricas e suaves, assim como a lavanderia, com toque floral e que transmite sensação de limpeza.
Plantas e flores
As plantas e flores conferem sensação de aconchego e alegria às casas. Essa é uma simples solução para melhorar os ambientes, renovando as energias. “Faltam verde e vida em nosso cotidiano e as flores trazem essa beleza e estética para dentro de casa”, destaca a arquiteta e designer Katalin Stammer, supervisora dos cursos de Design de Interiores e Design de Jardins do Centro Europeu.
Katalin destaca que é necessário identificar se o espaço é quente, úmido, iluminado ou escuro para escolher a melhor planta para cada local e casa. “As flores são muito sensíveis e precisam de um cuidado especial para que elas continuem bonitas e saudáveis durante o maior tempo possível. Mas ao contrário do que muitos pensam, não é tão complicado assim. Dedicando alguns minutos do dia para as plantas, é fácil ter uma casa aconchegante, colorida e perfumada”, detalha.
Para a profissional, plantas como astromélia, orquídea e gloxínia são boas opções para quem pretende dar um toque especial aos ambientes internos. Já o beijo americano, a vinca, a sálvia, a onze-horas e a margarida são indicadas para os jardins de verão.
A Cor do Ano 2017 simboliza novos começos
O Instituto Pantone, famoso mundialmente pela normatização de cores, acaba de divulgar a Cor do Ano 2017: a Greenery. Trata-se de um tom fresco, moderno, amarelo-esverdeado, que evoca os primeiros dias da primavera, quando a vegetação se renova. A cor lembra ainda a exuberância da vida ao ar livre, e está presente em paisagens de todo o mundo.
O tom busca envolver as pessoas mais modernas nesse mundo natural. “Greenery abre o caminho para 2017 trazendo a autoconfiança pela qual aspiramos em meio a um quadro político e social tumultuado. Satisfazendo nosso desejo crescente de rejuvenescer e revitalizar, Greenery simboliza a reconexão que desejamos com a natureza, com nós mesmos e com um propósito maior”, afirma Leatrice Eiseman, diretoraexecutiva do Pantone Color Institute.
Harmonização
A Greenery é um tom versátil “trans-sazonal” que permite muitas combinações de cores. Pode ser harmonizada com neutros, brights, tonalidades mais profundas, tons pastéis, metálicos e também com as Cores do Ano 2016, Rose Quartz e Serenity. A Cor do Ano 2017 simboliza novos começos.
Fonte: O Tempo

Está pensando em construir sua casa? Veja o que você precisa saber antes de começar

corretor-de-imoveis-seg

Conquistar a casa própria talvez seja o maior objetivo de muitas famílias no Brasil. Mas também existem os empreendedores, que querem investir na construção de imóveis para locação e venda. Contudo, para que tudo saia da melhor forma possível, é preciso redobrar a atenção para detalhes importantes, como viabilidade do projeto e localização e custo com fornecedores e prestadores de serviço. Veja aqui tudo o que você precisa saber antes de começar a construção da sua casa nova!
Planejamento do orçamento

Faça uma simulação de tudo o que será necessário para a construção da sua nova casa. Coloque no papel custos com mão de obra, fornecedores, materiais de construção, terreno e documentação. Com a estimativa de custos em mãos, fica mais fácil verificar a viabilidade do investimento e definir o melhor tipo de projeto de construção e localização, além de estimar com maior precisão o tempo para o término da edificação.
A localização

Definir a região em que se pretende morar é o primeiro passo. Escolher um terreno em uma localidade distante por ser mais barato talvez traga prejuízos no futuro. Leve em consideração que você irá morar nessa nova casa por muito tempo, portanto, verifique as condições do bairro, a distância dessa região ao seu local de trabalho etc.
Escolher o melhor local para a construção de sua casa requer, também, alguns cuidados e burocracias. A primeira delas é verificar com a prefeitura qual é a documentação necessária para a edificação e, também, se o terreno escolhido está adequado e regulamentado para habitação. Depois, é importante pesquisar acerca da situação da imobiliária perante ao CRECI (Conselho Regional de Corretores de Imóveis).
Como escolher o tipo de terreno certo para a construção?

A recomendação geral é que a área do terreno tenha medidas parecidas em cada um dos quatro lados. Contudo, inicialmente, necessita-se a definição de uma ideia de construção, ou seja, a elaboração do projeto arquitetônico da residência. Assim, você saberá o tamanho e o formato ideal do terreno que precisa.
Nesse caso, é importante conversar com um profissional da área de arquitetura. Mesmo que haja a possibilidade de gerar um custo elevado, é uma medida importante levando em conta que você viverá nessa casa por muito tempo.
Cuidados para a contratação de fornecedores e de mão de obra especializada

Pesquise pelos fornecedores da região em que você pretende realizar a edificação. O indicado é verificar mais de uma opção de fornecedor e pedir orçamentos. No site http://www.aecweb.com.br/ ,especializado em arquitetura e construção, você encontra indicações de fornecedores, além de dicas de soluções para construção.
A contratação de mão de obra deve ser verificada também. Certifique-se que os profissionais responsáveis pela construção sejam experientes e não deixe de verificar as condições de segurança para a realização do trabalho.

Fonte: Jornal Agora MS

Conexão em Miami – o que fazer?

miami-sexta

 

Está indo viajar e tem escala em Miami? Bom, primeiro é preciso saber quanto tempo vai sobrar depois de todo o processo de desembarque e imigração até o próximo voo. Isso porque os bairros vizinhos do Aeroporto Internacional (MIA) oferecem algumas atrações que você pode considerar conhecer, se estiver se perguntando o que fazer em Miami ao invés de ficar plantado no aeroporto por horas. No segundo andar do Terminal E tem um guarda volumes que você pode deixar suas malas e aproveitar seu tempo durante sua conexão em Miami.

Bem ali do lado, tipo cinco minutos, tem a belíssima Blue Lagoon Drive. A área verde na beira do lago de quase 50 mil metros quadrados é uma alternativa para relaxar ao ar livre e alongar o corpo antes de encarar o resto da viagem. Se preferir esticar um pouco mais, os bairros de Coral Gables, Doral e Downtown ficam a menos de 30 minutos do aeroporto. Você pode alugar um carro ou pegar um táxi para um destino específico. De lá, uma ideia interessante pode ser pegar uma bicicleta para rodar pelas ruas ou fazer os tradicionais passeios da Gray Line, naqueles ônibus vermelhos de dois andares que fazem city tour pela cidade e já dá pra ter um gostinho de turismo em Miami.

Ainda saindo do aeroporto, o shopping Dolphin Mall, o Melreese Golf Course e o resort Trump National Doral oferecem serviço gratuito de transporte que você pode aproveitar seja para fazer umas comprinhas, jogar uma partida de golfe ou fazer uma massagem no spa do hotel. E se quiser entrar no clima de “estou de férias em Miami”, planeje visitar a South Beach. A Lincoln Road e a vizinha Española Way concentram uma série de lojas de marcas famosas e várias butiques.

Apesar de parecer entediante, a espera no aeroporto pode ser divertida. A começar pelas peças de arte que estão espalhadas pelos Terminais Norte e Sul. No Terminal D, na área da American Airlines tem diversas opções de restaurantes. Lá também estão a loja do Romero Britto e a livraria Books & Books. O Terminal H/J é famoso pelo Bacardi Bar que serve um mojito delicioso – considerado o drink oficial de Miami, além do Jetsetter Spa, perfeito para você descansar e relaxar antes de seu próximo voo.

Fonte: Embarque na viagem