Jovem empreendedor aposta em mercado imobiliário de alto padrão e cresce em meio à crise no setor

27_luxo

O mercado imobiliário tem sido bastante afetado pelo cenário econômico adverso, tanto de forma negativa como positiva. Com os juros altos e a instabilidade política, o sonho da casa própria acaba sendo adiado, porém, o momento é de boas oportunidades de compra de imóvel por parte de investidores.

De acordo com a Pesquisa do Mercado Imobiliário, realizada pelo Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP, de janeiro a setembro deste ano, a quantidade de imóveis comercializados na cidade despencou 21% em comparação com o mesmo período do ano passado. Na locação, a média é de -3,10%, segundo o Índice FipeZap.

Com uma conjuntura tão adversa, como vender?

Para o especialista em mercado imobiliário, Igor Almeida, a resposta pode ser resumida em uma única palavra: “Atendimento”. Dono de uma imobiliária com imóveis de alto padrão, a Igor Almeida Consultoria Imobiliária, localizada em Higienópolis, bairro nobre e reduto da elite paulistana, e que negocia cifras na casa dos milhões. Sua clientela é composta por artistas, políticos, grandes empresários, personalidades influentes e famílias abastadas.

Embora não revele números, o executivo pontua que, em tempos de recessão, o bom atendimento faz toda a diferença:

“Sempre prezo pelo cliente. Nós o vemos como amigo. Prestamos um atendimento totalmente diferente do mercado. Eu inclusive saio para tomar café, tenho programação de viagem com clientes e famílias. O corretor às vezes também é ouvinte e muitas vezes acaba fazendo parte da família”, comenta.

A Igor Almeida Consultoria Imobiliária contabiliza um saldo bastante positivo em 2016: “Conseguimos transformar um momento complicado em uma oportunidade lucrativa”, diz o dono da consultoria.

Igor entrou no ramo imobiliário por acaso, chegou a São Paulo em 2013, trabalhando como caixa numa padaria em Higienópolis. Sua facilidade para lidar como público atraiu a atenção de um corretor, que o convidou para trabalhar na área. Fez tantos clientes que, em 2015, decidiu abrir sua própria empresa. Hoje, conta com uma imobiliária de 450 metros quadrados, com uma infraestrutura luxuosa, em um antigo casarão, que foi totalmente reformado para atender a demanda de mais de 20 corretores e uma carteira ampla de clientes que segue à risca seus conselhos.

Mesmo em tempos de aplicativos, que facilitam a venda, locação e seguro de imóveis, Igor Almeida afirma que nesse segmento de alta renda, isso conta pouco. O que faz a diferença é o “calor humano” e a confiança na consultoria imobiliária.

“Você acha que um proprietário vai se sentir seguro deixando seu imóvel de R$ 10 milhões nas mãos de alguém que ele nunca viu na vida? É nessas horas que o corretor se faz necessário. É a pessoa de confiança do dono das chaves”, garante.

Segundo ele, a crise tem se mostrado favorável para quem tem o perfil investidor, já que existem boas oportunidades de imóveis com preços inimagináveis há poucos meses, e com grande potencial de crescimento em médio prazo.

Fonte: Terra

Brasileiros inovam e empreendem nos EUA

19_mercadodeluxo

Empreender nem sempre é fácil. Transformar uma ideia em algo concreto não é simples e exige esforço. O empreendedorismo está muito relacionado à inovação, onde o objetivo é criar algo novo e único ou inovar em algum setor que já existe.

A brasileira Mariana Valentim, fundadora da Cochic, está há mais de 10 anos na Flórida, e sempre trabalhou com eventos para a comunidade brasileira e norte-americana no sul da Flórida, servindo uma variedade de produtos típicos da cozinha brasileira. Após perceber a aceitação de petiscos brasileiros em solo americano, principalmente a coxinha, surgiu a ideia de profissionalizar o negócio e criar a Cochic – uma empresa que produz coxinhas gourmet de diferentes sabores para delivery e eventos em geral.

“A ideia foi criar uma nova linha gourmet do tão famoso aperitivo brasileiro no mercado americano”, enfatiza.

A Cochic Gourmet foi lançada ao público em setembro de 2016, em um grande evento em Boca Raton. A empresa trouxe ao mercado a novidade de coxinhas servidas em copinhos, em variados sabores: frango, presunto e queijo, milho e queijo, queijo, kielbasa, nutella e doce de leite.

Com preços acessíveis (1 copo, $6; 2 copos, $10 dólares), o produto logo fez sucesso e a barraca da Cochic teve fila de consumidores interessados em provar as delícias.

Sobre empreender nos EUA, Rafael Silva, marido e sócio de Mariana no empreendimento, destaca que não foi tão fácil passar pela parte burocrática para legalizar o negócio e colocar a ideia em prática na América.

“Talvez seja mais difícil do que no Brasil, tendo em vista o rigor maior para se conseguir licenças. Nem tudo é permitido aqui, como por exemplo, vender alimentos na rua. A fiscalização é mais rigorosa, tem multas se você não atua sob a lei, mas depois de tudo resolvido, o retorno também é garantido”, declara.

Além de trabalhar com delivery nas áreas de Deerfield Beach, Boca Raton e Pompano, e atuar em eventos, a ideia do casal de empreendedores é expandir o negócio e abrir uma loja física até o fim do ano em Deerfield Beach.

Água de coco: da caixinha para a garrafinha
Os brasileiros Mário Cebrian e Mário Caldas também inovaram e trouxeram para o sul da Flórida a água de coco vendida em carrinhos e servida in natura. Os empresários e sócios contam que a criação da Only Miami surgiu após idas e vindas aos Estados Unidos, onde perceberam que havia apenas a água de coco em caixinhas nos supermercados. “Desde a época que fiz high school através de um intercâmbio, em 1992, percebi que os americanos em geral consomem água de coco somente em caixinhas e isso me intrigava”, conta.

Mesmo na Flórida, um estado com grande quantidade de coqueiros, perceberam que a fruta era pouco ou raramente consumida ao natural e em sua maioria jogada fora.

“As empresas preferem comercializar a água de coco em caixinha, que fica na prateleira do supermercado por dois anos. Isso não é bom, a água de coco dessa forma não é natural, não faz bem pra saúde”, declara Cebrian.

Como a Flórida tem um clima quente e pela dificuldade em encontrar água de coco fresca e geladinha, servida no próprio coco ou em copos, como geralmente se vê no Brasil, os sócios decidiram trabalhar a ideia e, após pesquisarem sobre a viabilidade do projeto, resolveram trazer um carrinho do Brasil.

No entanto, para poder usá-lo em solo americano, foi preciso adaptá-lo conforme as instruções do Departamento de Agricultura da Flórida e fazerem cursos, até que em 2015 conseguiram a aprovação e começaram a comercializar o coco na praia de Sunny Isles.

“Foi o primeiro carrinho de água de coco licenciado e autorizado para vender em área livre, na praia ou na rua, em todo o estado”, conta.

Hoje, após passadas as etapas de implantação e aceitabilidade, o negócio está em expansão e a empresa conta com três carrinhos e quatro funcionários.

Questionados sobre como é empreender nos EUA, os sócios concordam que a parte burocrática de documentação e fiscalização é mais rigorosa que no Brasil. A Only Miami recebeu recentemente o selo de qualidade “Fresh from Florida” do Departamento de Agricultura estadual, um certificado para produtos locais, frescos e naturais.

A Only Miami comercializa a água de coco na praia em garrafinhas ou no próprio coco in natura, por $6 dólares, em alguns pontos de Sunny Isles, mas também participa de eventos pelas cidades da Flórida. “Temos recebido convite para participar de eventos de hospitais, academias e outros locais que promovem a saúde, uma vez que trabalhamos com um produto focado no bem-estar e na vida saudável. Esse é o nosso diferencial”, relata.

Cebrian conta ainda que estão à procura de parceiros para levar o negócio a outros pontos do estado e pretendem expandir ainda mais, com propostas para franquias para o primeiro trimestre de 2017.

Fonte: Gazeta News

Corretor de imóveis: A importância de inovar no mercado imobiliário

Sem Título-1

Em tempos de incertezas onde especialista e formadores de opinião discutem sobre a existência ou não de uma bolha no mercado imobiliário brasileiro, o que você tem feito para inovar em seu cotidiano profissional e aumentar suas vendas? Hoje o mercado imobiliário oferece oportunidades para todos oscorretores de imóveis. Porém, a sobrevivência em um mercado cada vez mais competitivo depende diretamente da inovação e desenvoltura de cada profissional. Confira algumas dicas para destacar-se perante a concorrência e aumentar o número de prospecções de clientes por mês.

Concorrência: Estude o que os seus concorrentes estão fazendo de diferente para atrair clientes e destacarem-se no mercado. Identifique os erros/falhas e negociações de sucesso deles. Escolha de três a seis corretores de imóveis e/ou imobiliárias que você considera concorrentes  e acompanhe o desempenho de cada um durante o mês.

Divulgue seus imóveis na internet: Utilize as inovações tecnológicas para inovar também no seu negócio. A internet é com certeza uma grande aliada neste quesito. Crie um site imobiliário e disponibilize seus imóveis na internet para seus cliente. Além disso integre seu site aos principais portais imobiliários da sua cidade, aumentando suas chances de negociações.

Desenvolva novas técnicas: Não fique sentado no plantão de vendas ou na imobiliária esperando os clientes chegarem. Inove e pense estratégias para atrair possíveis compradores dos seus imóveis. Divulgue seus imóveis nos principais portais imobiliários, promova coquetel de lançamento para os empreendimentos que você está comercializando e participe ativamente das ações que o mercado imobiliário realiza (feiras, palestras e reuniões com incorporadoras).

O corretor de imóveis que está preparado para inovar no seu dia-a-dia e no atendimento ao cliente, tem maiores chances de sucesso em novas negociações. É necessário espelhar-se em cases de sucesso do mercado imobiliário, fazer melhor que a concorrência  e aprender com os os erros. O importante mesmo é estar sempre inovando.

Fonte: Comunidade Imobex