Casa própria pelo celular é aposta do Santander

_MOLDURA_Marcelo_Lara_Wordpress

O Santander já oferece o financiamento da casa própria pelo celular. O banco acaba de lançar uma plataforma que permite aos clientes a possibilidade de contratar o crédito imobiliário online, do início ao fim do processo.

Os interessados podem simular, aprovar o crédito, enviar os dados e os documentos necessários pelo celular ou computador. Só será necessário ir à agência no momento da assinatura do contrato, já que é necessário registrar o contrato no Cartório de Imóveis competente. Com isso, estima-se que o prazo médio para a finalização do processo cairá dos atuais 60 dias para apenas 30.

Além disso, os interessados conseguem acompanhar o andamento de cada etapa do contratação – simulação, análise de crédito, análise técnica, contrato e liberação de recursos – pelo Internet Banking ou diretamente no aplicativo do Santander. O cliente será informado, por e-mail ou SMS, se precisa enviar documentos, quais os avanços no processo e o que falta para que o recurso seja liberado mais rapidamente. O sistema ainda permite a conexão entre canais, em qualquer etapa do negócio.

Gilberto Abreu, diretor de Crédito Imobiliário do Santander, explica que é possível iniciar o processo em uma agência, por exemplo, e dar andamento nos canais eletrônicos, de uma forma sempre simples e intuitiva. Esse conceito é conhecido como autoservice, e tende a dar mais fluidez à contratação do crédito, já que o cliente é avisado online dos prazos para o envio da documentação.

Fonte: Mercado Imobiliário

Qual é o perfil dos clientes da internet?

O perfil dos consumidores mudou, assim como os seus hábitos de compra e as possibilidades de aquisição de bens e serviços.

140802_Mercado_Imobiliario

Comodidade é a palavra do momento, e com a internet isso se torna algo muito atrativo, tendo-se em vista que é possível visitar dezenas de sites que oferecem imóveis, compará-los e optar pelo que melhor convier.

Continue lendo…

O papel do corretor de imóveis no futuro

pompeii_banking

A internet foi muito severa com os intermediários, várias profissões estão morrendo graças a facilidade de encontrar e receber um produto sem o auxílio de um terceiro. Isso aconteceu em diversos setores, um que foi muito afetado foi o de turismo, hoje você não precisa mais de uma agência de viagens para comprar uma passagem ou reservar um hotel. Não só este setor, mas todos, a economia em geral será afetada para sempre, muitas profissões irão deixar de existir…. E a nossa profissão? De corretor de imóveis?

Quando vamos a um supermercado e compramos algum produto, não nos importamos que o atendimento seja primoroso, isso acontece porque os produtos não tem valor agregado, mas quando uma mulher vai comprar uma bolsa numa loja de grife, ela exige um atendimento diferenciado, porque? Porque aquele produto tem valor agregado! Agora imagine, se uma bolsa de poucos milhares de reais exige um atendimento personalizado, quem dirá um imóvel que custa centenas de milhares de reais.

Sim, a tecnologia está tirando o valor agregado dos produtos, porque o custo da produção é cada vez menor, e por isso, produtos melhores estão cada dia mais baratos, ou seja, no futuro, o valor agregado estará associado como nunca ao valor intangível do produto e não mais a sua qualidade de produção. Explicando em miúdos, você só pagará caro por aquilo que mexer com o seu emocional…

E o que o corretor de imóveis tem a ver com isso? Tudo, pois a venda de imóveis no futuro poderá ser possível pela internet, com novas tecnologias, como: atendimento via holografia e a visita do imóvel utilizando realidade virtual e holografia táctil, ou mesmo utilizando realidade aumentada para descobrir e visitar imóveis na região sem o auxílio de intermediários. Sim, isso parece conversa de maluco, mas será possível em poucos anos e os corretores que não investirem em relacionamento, em como se portar na frente de um cliente, irão ter que mudar de profissão.

O relacionamento prova ter resultado quando observamos que ainda hoje existem agentes de viagens que vendem pacotes de viagens segmentados para um público classe A, e provavelmente sempre existirão, porém em um mercado menor e mais profissional. Por isso aprenda desde já a focar em relacionamento, na sua postura, pois hoje você não precisa de um cliente, você precisa de um amigo que compre de você. Sim, no futuro as máquinas e a tecnologia irão dominar o mundo, mas elas nunca serão capazes de substituir a essência humana, as relações interpessoais.

Fonte: Guru do Corretor – Por 

60% do processo de compra de imóvel é feito na internet, diz executivo do Google

Gerente de Negócios Imobiliários do Google Brasil, Igor Lima, afirmou que a tendência é que esse percentual aumente ainda mais

O processo de compra de imóveis, que vai desde pesquisar até a compra efetiva, já é feito 60% pela internet e a tendência é que esse percentual aumente ainda mais, de acordo com a previsão do gerente de Negócios Imobiliários do Google Brasil, Igor Lima, apresentada durante sua palestra no V Encontro Brasileiro dos Corretores de Imóveis e no Congresso do Mercado Imobiliário realizado em Foz do Iguaçu, na semana passada.

Na Opinião do executivo, cada vez mais consumidores procuram e compram imóveis pela web, sem a intermediação de um corretor. Só no ano passado, entre 30% e 35% das vendas de imóveis foram efetuadas a partir da internet.

Ele conta que esta mudança no comportamento de compra do cliente já foi percebida pelos empresários, mas o setor ainda não se adaptou completamente. Construtoras e incorporadoras ainda não utilizam a internet como ferramenta de atração de clientes, preferindo os meios tradicionais como televisão e impressos. Neste sentido, o gerente do Google Brasil acredita que os corretores de imóveis estão mais antenados com a transformação do mercado, usando mais as redes sociais e ferramentas da internet para auxiliar seu trabalho

Na opinião do executivo, cada vez mais consumidores procuram e compram imóveis pela web, sem a intermediação de um corretor (Divulgação)
Na opinião do executivo, cada vez mais consumidores procuram e compram imóveis pela web, sem a intermediação de um corretor (Divulgação)

“Os empresários já perceberam que isso mudou. Mas o mercado é muito tradicional. Eles vão ter que perceber isso na prática quando afetar os resultados” disse Lima

“Os corretores aprenderam muito mais rápido porque estão na ponta do processo lidando diretamente com o cliente. Eles estão vendo que o cliente chega no stand sabendo de tudo”

O executivo ressalta que, entre cinco ou seis buscas realizadas por brasileiros na internet, apenas cinco são em sites do mercado imobiliário, quatro imóveis são visitados e em somente dois os consumidores ficam interessados, o que significa que “as pessoas buscam muito mais imóveis, mas limitam as visitas.”

Fonte: Info Money – Por Luiza Belloni Veronesi