Telhados verdes são uma aposta bonita e sustentável para as casas

30_decoracao

Colorir os centros urbanos de verde parece impossível, mas um projeto de arquitetura que utiliza plantas nas coberturas dos imóveis pode mudar essa realidade. Os chamados telhados verdes são uma forma de trazer a sustentabilidade e o cuidado com o meio ambiente para a casa ou apartamento. Além de alegrarem o cenário predominantemente cinza das cidades, eles auxiliam na drenagem da água da chuva e proporcionam isolamento acústico e térmico.

Os telhados vivos, como também são chamados, podem ser jardins em edifícios com telhado plano ou podem ser uma cobertura de gramíneas em telhados com inclinação. A grande vantagem é o isolamento acústico e térmico. Uma pesquisa realizada na Universidade de São Paulo (USP) mostrou que a diferença de temperatura entre um prédio com telhado verde pode ser até 5°C menor do que um com cobertura de concreto. Além disso, nos edifícios com esse cuidado sustentável, a umidade relativa do ar é cerca de 15% maior.

A drenagem da água das chuvas também é feita por esse jardim no alto das residências, assim como a absorção de poeira e poluição. Com isso, reduz-se a necessidade de escoamento de água e de sistemas de esgoto. Nesse jardim, pode-se plantar pequenas hortas, com alface, brócolis e olerícolas em geral além de se colocar vasos e flores. “É uma maneira de trabalhar uma questão ambiental, com uma visão não tão urbana, além de retomar o contato com a natureza”, explica o engenheiro agrônomo da empresa curitibana Esalgarden, Gustavo Milak.

Instalação

Para quem quer optar por esse projeto, é necessário muito estudo. Para casas e edifícios já construídos, a ajuda de um engenheiro é essencial, já que deve ser observada a capacidade da laje de suportar a estrutura. “Hoje o que muitos fazem é trocar o telhado por uma laje para produzir hortas e ter um jardim, mas é importante verificar quanto a estrutura comporta de peso, para evitar rachaduras na casa”, destaca o engenheiro agrônomo. Com a aprovação de um engenheiro em mãos, o proprietário precisa seguir algumas dicas. Para locais com laje, ela deve ser impermeabilizada, para impedir vazamentos e infiltrações.

Fonte: Bonde

Casa sustentável é feita de papelão e dura 100 anos

24_arquitetura

É isso mesmo o que você leu. Essa casa é feita de papelão e não se desfaz com a chuva. Aliás, ela não se desfaz por nada e é capaz de durar 100 anos! Os criadores são integrantes do estúdio de design holandês Fiction Factor. Batizada de Wikkel House, o lar é construído em apenas 24 horas e tem 50 anos de garantia.

Você deve estar se perguntando: “Mas como é que ela dura tanto tempo e sobrevive às mudanças climáticas sendo de papelão?”. A responsável por tudo isso, segundo os desenvolvedores, é uma supercola que é aplicada em todas as camadas e, depois, a casa é revestida de madeira ou outro material à escolha do cliente.

Optar pela casa de papelão é três vezes mais sustentável do que escolher uma tradicional de alvenaria. Além disso, ela é mais barata. Custa cerca de 25 mil euros, aproximadamente R$ 90 mil. E sabe o que mais? Ela é construída em blocos e, por isso, pode ser desmontada, transportada e se adaptar ao tamanho que você quiser.

O imóvel funciona perfeitamente, com instalações hidráulicas e elétricas. Você pode também customizar o interior, que é todo de madeira, com cores, estampas ou como preferir. Atualmente existem 12 unidades construídas, todas na Europa. Na verdade, ela pode ser o que você quiser: uma casa de praia, uma cabana no interior, um escritório ou o lar da sua família.

Confira as fotos abaixo:

wikkelhouse-2-casa-papelao
O segredo para o papelão não se desfazer com as mudanças climáticas é uma supercola aplicada em todas as camadas  (Foto: Divulgação/Wikkel House)

wikkelhouse-6-casa-papelao
Depois de receber a supercola, a casa é revestida de madeira ou outro material à escolha do cliente (Foto: Divulgação/Wikkel House)

wikkelhouse-4-casa-papelao
A casa pode ser construída em qualquer lugar: praia, campo ou cidade (Foto: Divulgação/Wikkel House)

wikkelhouse-5-casa-papelao
O imóvel é capaz de receber instalações elétricas e hidráulicas (Foto: Divulgação/Wikkel House)

wikkelhouse-3-casa-papelao
Além de ser três vezes mais sustentável que uma casa de alvenaria comum, a Wikkel House sai por cerca de R$ 90 mil (Foto: Divulgação/Wikkel House).

 

Fonte: Revista Casa e Jardim

Ar condicionado a energia solar pode chegar ao Brasil em breve

O sistema reduz em cerca de 50% o consumo de energia elétrica e pode ser uma solução para economizar na conta de luz

Está perto de chegar ao Brasil um ar condicionado que consome 50% a menos de energia. Isso porque boa parte de seu funcionamento é a base de energia solar e a instalação é mais simples do que a de um ar condicionado convencional.

AR-CONDICIONADO

Continue Lendo

Da feira para mesa

Veja três móveis lindos feitos com paletes reaproveitados
 (Foto: Dulla/Casa e Jardim)
(Foto: Dulla/Casa e Jardim)

Eles são muito usados nas feiras livres, mercados e no transporte de mercadorias. Mas os paletes podem também render um bom móvel improvisado para a sua casa. Facilmente eles se transformam em mesas de centro econômicas e sustentáveis. Se tiverem rodinhas, são ainda mais práticas e, com cor, levantam a decoração. Veja exemplos em três salas de diferentes estilos: Continue lendo…